Publicidade

sábado, 17 de dezembro de 2011

A decisão do Mundial - Olhar de um santista

Para falar sobre a expectativa da decisão entre Santos x Barcelona pelo Mundial de Clubes FIFA 2011, nada melhor que um santista. Uma maneira de descrever o quanto pesa essa final para milhares de torcedores. O texto é do amigo Pedro Henrique Silva Barreiros (@Phbarreiros94)

O ano de 2011 tem sido marcado pelas grandes conquista do alvinegro praiano. O primeiro semestre foi consolidado com a bicampeonato paulista e a terceira conquista da Taça Libertadores, que por conseqüência classificou os meninos da vila para o mundial de clubes no Japão , e empolgou todos os torcedores para a busca do Tri mundial. È confiando no brilho da dupla Neymar e Ganso que sonhamos com essa conquista, dupla que apesar de nova já conquistou o Brasil e a America e agora vai em busca do Mundial. Junto com eles está toda a nação santista que sonha ver esta conquista.

Pedimos a toda comissão técnica e aos jogadores que entrem no campo com o coração pulsando por vitória, pois é uma historia de 48 anos atrás que pode se repetir.O clima do jogo é definido como vida ou morte, no qual a nossa torcida espera há muito tempo por esse título. São gerações que não presenciaram as conquistas passadas e que hoje tem a chance de poder gritar que é Tri Campeão Mundial.

Deste modo vamos todos nos unir para enfrentar o Barcelona que coloca a sua supremacia de melhor time do mundo em um jogo contra o nosso Peixe, o nosso Santos que tem um passado glorioso e se todos jogadores entrarem com o coração na ponta da chuteira terá um presente e futuro muito glorioso.Aqui fica o meu abraço e motivação a toda a nação santista pois “nascer, viver e no santos morrer é um orgulho que nem todos podem ter”.

É santista também? Deixe seu pitaco na torcida pelo Santos. Mostre o que você espera desta decisão. Mande aqui no blog ou pelo twitter: @pitacosdabola.

Santos x Barcelona: além do melhor do mundo

Santos x Barcelona. Jogo esperado por muitos. Porém, um duelo que decide o campeão do Mundial de Clubes FIFA 2011. Não é a decisão de quem é o melhor time do planeta. Mas é uma conquista pode marcar a história.

É claro na cabeça de quase todos que o Barcelona é o melhor time do mundo. Ganhando ou perdendo neste domingo. Uma equipe que fica o máximo possível com a bola, chega ao ataque com facilidade e eficiência. Tem craques e mais craques. Tem o melhor jogador do planeta. Vai além de Messi. Passa por Xavi, Iniesta, Fábregas e tantos outros. É um time, não um apanhado de jogadores. Muito bem comandado por Guardiola.

Uma vitória não fará do Santos o melhor do mundo. Mas fará campeão do mundo. E isso será marcado por toda história. É a chance de colocar Neymar, Ganso, Muricy e companhia em um patamar diferente. Os primeiros a conquistarem o mundo após Pelé. Isso não é para qualquer um. Não é um fato com peso simples. Não será só mais uma conquista.

É sim o jogo do ano para o Peixe. Mas não é um jogo qualquer para o Barça. Os espanhóis não aguentam mais perder Mundiais para brasileiros – São Paulo 1992, Internacional 2006. Querem fechar este ciclo de forma ainda mais incrível e campeã.

Volto a dizer: Santos x Barcelona é um duelo esperado. Será bom ver Neymar e Messi frente a frente em seus times, lugar onde rendem mais. Porém, é um duelo que pode ser decidido por dois importantes coadjuvantes: Ganso e Xavi.

Para o santista não importa como será. Pode ser até um gol de Alan Kardec, que ficaria na história como o gol espírita, após rebote em cabeçada de Durval. O certo para o torcedor é que será o título mais importante de uma geração. De uma história. O primeiro pós-Pelé.

Um grande jogo não é feito apenas pela qualidade dentro do campo. A expectativa que ele gera mostra a grandiosidade dos oponentes. Por isso Santos x Barcelona é tão esperado. E tão falado. Uma partida que define o campeão do mundo. Mesmo que não seja o melhor.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Seleção PB Brasileirão 2011

Com muito atraso, coloco aqui a Seleção Pitacos da Bola do Brasileirão 2011. Um breve comentário sobre cada jogador. Buscou-se presentear quem foi mais vezes decisivo e quem teve uma certa regularidade na competição.

Goleiro: Fernando Prass (Vasco)

Seguro, de boas atuações e regular em grande parte do Brasileirão. O camisa 1 vascaíno passou confiança ao time quando precisou.

Grandes atuações: 1x0 Atlético/GO (F); 1x1 Atlético/GO (C); 2x0 São Paulo (F) e 2x0 Avaí (F).

Lateral-Direito: Fagner (Vasco)

Na força do apoio, chegando várias vezes à linha de fundo, puxando contra-ataques e aparecendo como surpresa. Esse foi Fagner, outra importante peça vascaína na conquista do vice-campeonato.

Grandes atuações: 2x0 Santos (C); 2x0 Avaí (F); 2x0 Atlético/MG (C); 2x0 Avaí (C); 1x1 Flamengo (C).

Zagueiros: Dedé (Vasco) e Réver (Atlético/MG)

Dedé teve um ano gigante. Arrumou a zaga vascaína. Foi decisivo até no ataque. Venceu mais do que perdeu quando marcou os grandes craques adversários. Não é a toa que o chamam de "Dedéckembauer". Um dos grandes zagueiros do futebol brasileiro.

Grandes atuações: 2x0 São Paulo (F); 2x0 Santos (C); 2x0 Avaí (F); 3x1 Ceará (C); 3x0 Cruzeiro (F); 2x2 Corinthians (C); 2x0 Bahia (F); 2x0 Botafogo (C); 1x1 Palmeiras (F).

Réver teve problemas com a má fase do Galo. Porém, foi mostrando firmeza, capacidade e o bom futebol de outros tempos. Seguro, ajudou como pode o Atlético escapar da degola. E por isso, chegou a ser lembrado por Mano Menezes.

Grandes atuações: 3x0 Atlético/PR (C); 3x1 Avaí (F); 1x1 Bahia (F); 2x1 Santos (C); 2x0 Fluminense (F); 2x0 Grêmio (C).

Lateral-Esquerdo: Cortês (Botafogo)

Uma das gratas revelações deste Brasileirão. Apareceu muito bem e foi uma das grandes armas do Botafogo quando o time ainda brigava pelas primeiras posições. Caiu de rendimento com todo o time, mas mesmo assim garantiu a vaga nesta seleção. E na de Mano, nos jogos pela Copa Roca.

Grandes atuações: 2x2 Ceará (F); 4x0 Vasco (C); 1x1 Atlético/GO (C); 2x2 Bahia (C).

Volantes: Paulinho (Corinthians) e Marcos Assunção (Palmeiras)

Paulinho foi o motor corintiano em boa parte do Brasileirão. Comandou o time no meio na primeira parte. Caiu um pouco de rendimento, mas raramente foi mal. Fez vários gols decisivos e aparece como um dos principais responsáveis pelo título. Sem nenhum exagero.

Grandes atuações: 2x1 Coritiba (C); 2x0 Botafogo (F); 2x1 América/MG (C); 2x2 Ceará (C); 3x2 Grêmio (C); 1x0 Cruzeiro (F); 2x1 Atlético/PR (C); 2x1 Atlético/MG (C).

Marcos Assunção foi o comandante palmeirense. Quando estava em campo, o time tinha uma referência na organização e na grande arma: a bola parada. Com ele, brigou por Libertadores. Sem ele, caiu muito. Na volta, salvou da queda e quase complicou o rival na última rodada.

Grandes atuações: 3x2 Atlético/MG (C); 1x1 Coritiba (F); 1x1 São Paulo (F); 2x1 Corinthians (C); 1x1 América/MG (C); 1x1 Vasco (C); 2x0 Bahia (F); 1x0 São Paulo (C).

Meias: Diego Souza (Vasco) e Wellington Nem (Figueirense)

Diego Souza comandou o time vascaíno em grande parte do ano. Teve seus sumiços, como de costume. Porém, foi mais vezes decisivo e um dos grandes deste Brasileirão.

Grandes atuações: 2x1 Atlético/MG (F); 2x0 Santos (C); 4x0 Grêmio (C); 1x1 Atlético/GO (C); 3x0 Cruzeiro (F); 2x0 Bahia (F).

Wellington Nem foi mais atacante que meia, mas entra aqui nessa posição. A grande revelação deste Brasileiro. Ousado, com bom controle de bola e decisivo em várias partidas. Um dos grandes responsáveis pela surpreendente campanha do Figueira.

Grandes atuações: 4x2 Cruzeiro (F); 3x2 Santos (F); 3x1 Grêmio (F); 2x1 Palmeiras (F); 2x1 Atlético/MG (C).

Atacantes: Ronaldinho (Flamengo) e Fred (Fluminense)

Ronaldinho jogou muito bem o primeiro turno. Muito menos no segundo. Porém, o suficiente para garantir seu lugar na Seleção PB.

Grandes atuações: 4x0 Avaí (C); 4x1 Atlético/MG (C); 3x2 América/MG (F); 5x4 Santos (F); 2x0 Grêmio (C); 2x2 Internacional (F).

Fred não jogou muito no primeiro turno. Apareceu mesmo no segundo. Assim como o Fluminense. Levou o tricolor à Libertadores e por pouco não acabou artilheiro. Fora os golaços.

Grandes atuações: 4x0 Ceará (C); 3x1 Avaí (C); 3x1 Coritiba (C); 2x1 Palmeiras (F); 5x4 Grêmio (C); 4x0 Figueirense (F).

Técnico: Tite (Corinthians)

Contestado, balançou algumas vezes, mas persistiu. Soube fazer o Corinthians manter firme o objetivo. Não é o treinador dos sonhos. Porém, é o técnico campeão brasileiro. E ganhou jogos com boas mudanças quando precisou. Por isso, é o técnico.

Grandes atuações: 5x0 São Paulo (C); 3x2 Atlético/MG (F); 3x0 Atlético/GO (C); 1x0 Ceará (F).

Melhor do Brasileirão: Paulinho (Corinthians)

Alguns vão dizer: maluco. Outros vão rir. Porém, Paulinho foi muitas vezes fundamental ao Corinthians. Formou com Ralf uma dupla tão boa como Josué-Mineiro pro São Paulo de anos atrás. Foi o motor do time. Marcava, fazia o jogo girar e chegava ao ataque como surpresa. Fez gols importantes e ajudou muito o Corinthians na conquista do título. Por tudo isso, merece ser escolhido como melhor do Brasileirão.

Revelação: Wellington Nem (Figueirense)

Reservas: Julio César (Corinthians); Nei (Internacional). Emerson (Coritiba), Paulo André (Corinthians) e Juninho (Figueirense); Leo Gago (Coritiba), Renato (Botafogo), Elkeson (Botafogo) e Montillo (Cruzeiro); Julio César (Figueirense) e Neymar (Santos). Técnico: Cristovão Borges (Vasco).

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Seleção PB - 38ª rodada

Felipe (Flamengo); Fagner (Vasco), Paulo Andre (Corinthians), Victorino (Cruzeiro) e Avine (Bahia); Fabrício (Cruzeiro), Diogo Orlando (Avaí), Roger (Cruzeiro) e D'Alessandro (Internacional); Guerrón (Atlético/PR) e Luís Fabiano (São Paulo). Técnico: Vagner Mancini (Cruzeiro).

Melhor da rodada: Roger (Cruzeiro).

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Brasileirão - Última rodada - Degola

- Cruzeiro 6x1 Atlético (MG): Placar "estranho" e Cruzeiro salvo. A Raposa foi melhor em todo o jogo. Fato. Entrou ligada, abriu o placar com menos de 10 minutos - gol de Roger após bela jogada de Anselmo Ramón. Tinha uma nação azul apoiando. Na segunda boa oportunidade, Leandro Guerreiro ampliou. Logo depois, Welington Paulista cruzou para Anselmo Ramon marcar o terceiro. Um pouco mais de tempo e Fabrício, com tranquilidade, fez 4 a 0.

Após o inesperado atropelamento no primeiro tempo, o Cruzeiro começou a segunda etapa no mesmo ritmo e chegou ao quinto gol. Vez de Wellington Paulista, em mais uma jogadaça de Roger. Réver ainda diminuiu. Wellington Paulista foi expulso. Everton fez 6 a 1 no fim, completando jogada de Ortigoza.

Chamo o placar de "estranho" não por suspeitar entrega ou algo assim. Longe disso. Apenas estranha um time que ia muito mal, jogando na raça, se encontrar assim e golear o maior rival, que vinha apresentando bom futebol nos últimos jogos. No geral, bom para o Brasileirão, que terá o Cruzeiro ano que vem. Um time grande, que jogou muitas vezes como pequeno, mas soube recuperar sua grandeza em tempo.

- Atlético (PR) 1x0 Coritiba: Furacão venceu, mas não se salvou. Jogo equilibrado, como esperado. Atlético chegou mais ao ataque e teve as melhores chances de abrir o placar no primeiro tempo. O Coritiba chegou apenas em uma cobrança de falta no fim.

Veio o segundo tempo. Rubro-negro no abafa. O Coxa, precisando vencer para chegar na Libertadores, não conseguia criar. E, na bola parada, o Furacão chegou ao gol. Falta cobrada por Paulo Baier e desvio de Guerrón. O Coritiba parou na marcação do rival. Teve a chance de empatar no final, mas Renan Rocha salvou.

O Atlético caiu com o gosto de que poderia escapar. Não deu. Fruto de uma péssima administração no clube. Que a Série B sirva de recuperação, fortalecimento e aprendizado. O Coritiba não teve forças no jogo que poderia chegar à Libertadores. Viu o rival cair com um gosto amargo de não chegar onde queria.

- Bahia 2x1 Ceará: O Ceará caiu. O Bahia não entregou. Uma partida equilibrada, com o alvinegro tomando iniciativa, quase sempre com Osvaldo. Porém, na primeira boa chance do Bahia, o primeiro gol. Camacho acertou um tiraço de fora e abriu o placar. O Vozão foi em busca do empate. Mandou bola no travessão e tudo. Mas quem fez foi o Bahia. Gol de Lulinha, em chute mascado que entrou chorando.

Felipe Azevedo ainda descontou antes do intervalo. Ele mesmo teve a chance de empatar na segunda etapa. O Vozão lutou, buscou, criou chances, mas não conseguiu igualar.

O Bahia ficou com a vaga na Sulamericana. O Ceará, com a Série B. O tricolor chegou além do esperado. O Vozão ficou com a sensação que dava para ter um final melhor que esse.

Brasileirão - Última rodada - Sulamericana

- São Paulo 4x1 Santos: Apesar da goleada, não deu para o tricolor. O São Paulo dominou desde o começo. Não demorou para Luís Fabiano fazer 1 a 0. Os reservas do Santos não tinham forças. Até chegou a equilibrar a partida em certo momento. Mas, o time sãopaulino aparecia muito bem no ataque. E o segundo gol veio. Aliás, um golaço de Cícero, em belo chute de fora da área. O terceiro veio logo depois. Lucas també experimentou de fora e fez 3 a 0.

Cabia mais. Porém, o São Paulo reduziu o ritmo. O Santos, em um dos raros lances de perigo, diminuiu. Gol de Elano com ajuda de Rogério Ceni. Porém, o tricolor era melhor. Quando voltou a levar perigo, fez mais um. Novamente com Luís Fabiano, que passou pelo zagueiro e contou com ajuda do goleiro.

Goleada que quase ajudou. Só não foi suficiente por causa da vitória do Inter. O São Paulo, que chegou a ser um dos candidatos à Libertadores, não conseguiu a vaga novamente. Leão fica e vai precisar arrumar a casa. Não convenceu ainda. Os reservas do Santos que queria uma vaga no Mundial, viram que não dá.

- Avaí 1x1 Figueirense: Caiu quando não podia e pagou perdendo a vaga. No clássico contra o rebaixado Avaí, o Figueirense não apresentou o bom futebol de antes. Teve dificuldades para armar. Quando chegou ao ataque, levou pouco perigo para Moretto - a melhor chance foi no fim do primeiro tempo. O Avaí também chegava pouco, mas conseguiu abrir o placar antes do intervalo. Cruzamento de Lincoln e Diogo Orlando fez: 1 a 0.

Precisando vencer, o Figueira conseguiu o empate logo na volta do intervalo. Belo chute de Éder para fazer 1 a 1. Maicon mandou uma bola na trave logo depois. A virada parecia questão de tempo. Porém, a expulsão de Julio César atrapalhou. O Avaí demorou, mas voltou a assustar. Ficou perto de fazer o segundo, mas não conseguiu.

O Figueirense não ficaria com a vaga na Libertadores se ganhasse. Porém, não parecia o mesmo que surpreendeu tantos e chegou forte na reta final. Faltou camisa? Não sei. O que faltou? Força. O Avaí caiu. Empatou, mas não atrapalhou o rival. Então, sem motivos para comemorar.

- Atlético (GO) 5x1 América (MG): Para o Atlético, a vaga na Sulamericana é muito bem-vinda. O rubro-negro atropelou desde o começo. O primeiro gol quase saiu aos 25 segundos. O 1 a 0 era questão de tempo e Felipe aproveitou a liberdade para marcar. Logo depois, o goleiro Márcio cobrou falta com categoria para fazer o segundo. O Dragão perdeu boas chances de ampliar, mas conseguiu o terceiro ainda no primeiro tempo. Gol de Gílson, após bom cruzamento de Thiaguinho.

O América acordou depois do intervalo. Conseguiu até diminuir, com Paulo Henrique, contra. Levou perigo em boa parte da segunda etapa. Porém, deixou o Atlético voltar para o jogo. Voltou no golaço de Anaílson, encobrindo o goleiro. Um dos mais bonitos do Brasileirão. Paulo Henrique, no fim, fez a favor e compensou o gol contra.

Em um Brasileirão de altos e baixos, a Sulamericana caiu bem ao Atlético. Fecha com boa goleada e tranquilidade. Hélio dos Anjos precisa arrumar algumas peças, deve perder outras, mas construiu um bom time, dentro dos limites. O América caiu e cedeu. Não tinha porque lutar mais. Mesmo assim, deu trabalho, apesar do placar.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Brasileirão - Última rodada - Libertadores

- Vasco 1x1 Flamengo: Não deu para o Vasco. Deu para o Flamengo. O empate garantiu o rubro-negro na Libertadores. Jogo muito movimentado no Engenhão. Os times buscando o ataque desde o começo. Era lá e cá. O Flamengo assustava, o Vasco respondia, e assim seguia. O árbitro errou feio ao não ver o pênalti de Willians em Diego Souza. O jogo esfriou um pouco e a equipe vascaína passou a dominar. E veio o gol.

Mais uma boa jogada pela direita. Nilton cruzou na cabeça de Diego Souza, livre, abrir o placar. Por muito pouco não saiu o segundo em sequência.

Veio o segundo tempo. Começou da mesma forma do primeiro: lá e cá. Vasco atacava, Flamengo respondia. E empatou. Deivid recebeu belo passe de Ronaldinho e tocou para Renato Abreu deixar tudo igual. O gol foi um balde de água fria no time vascaíno. A expulsão de Jumar ainda mais. O título, que já não dependia apenas do Vasco, ficou mais longe. Bernardo ainda tentou, mas parou em Felipe. O Flamengo ainda teve chances de virar com Ronaldinho e Deivid. Foi a vez de Prass salvar.

Um ano de guerreiros para o Vasco. Ganhar a Copa do Brasil e brigar por tudo após um começo conturbado e um grave problema com Ricardo Gomes não é para qualquer um. Não conseguiu cumprir seu papel. Mesmo assim não seria campeão. Mas teve força e garra. O Flamengo, no fim, ainda ficou com a Libertadores. Justiça ou não, salvou o ano.

- Botafogo 1x1 Fluminense: Em um dos jogos que não valia muita coisa, empate. Os gols saíram logo no começo. Fred abriu o placar e Felipe Menezes (belo gol) empatou. Sinal de que teríamos um jogo. Maicossuel por pouco não fez um golaço. Mas a partida não manteve o mesmo ritmo. O Botafogo ficou perto da virada no primeiro tempo. O Fluminense também tentou assustar.

Ainda acreditando na vaga na Libertadores, o Botafogo foi para cima no segundo tempo. Chegou a fazer o gol por duas vezes. Ambos anulado. Ambos discutíveis. O Fluminense só assistiu a partida após o intervalo e segurou o empate. E olha que Fred quase fez um gol de voleio no fim.

Fluminense garantido na Libertadores. Deu a volta por cima, atropelou com Fred e garantiu sua vaga quando poucos esperavam. Aliás, foi o campeão do segundo turno. Um time organizado por Abel Braga que se encontrou no tempo certo. O Botafogo fez o caminho inverso. Após começar bem o Brasileirão, mostrar um ótimo futebol e se candidatar ao título, fez o de sempre. Caiu de produção, viu Caio Júnior sair no fim e até a Libertadores escapou. O jeito é reconstruir em 2012. Oswaldo de Oliveira foi uma boa escolha.

- Internacional 1x0 Grêmio: Sofrido, brigado, na raça. Não poderia ser diferente. A vaga na Libertadores veio em um Grenal. E o Colorado conseguiu. Foi para cima no começo do jogo. Mesmo sem disputar mais nada, o tricolor também levou perigo. Porém, o Inter chegava mais ao ataque. Victor ia segurando o 0 a 0. Muriel também teve trabalho.

A vaga só viria com a vitória. O Inter encontrava dificuldades para chegar ao ataque. O Grêmio assustava. Chegou a mandar uma bola na trave. D'Alessandro tentava levar o Colorado nas costas. A pressão ia aumentando. Até que Oscar foi derrubado na área. Quem cobrou? D'Ale, para fazer 1 a 0. O tricolor caiu após o gol. O Inter teve chances de ampliar. Mas o 1 a 0 bastou.

Dorival conseguiu levar o Internacional à Libertadores. Mais um que precisou acertar o time no meio do caminho e contar com boas atuações de Leandro Damião e D'Alessandro. Vaga merecida. Um time que, com alguns reforços, vai brigar pelo título continental. O Grêmio tentou atrapalhar. Faltou perna. Ou jogador. Com preferir.

Brasileirão - Última rodada - Campeão

- Corinthians 0x0 Palmeiras: Um título para Doutor Sócrates. Na raça, com o Corinthians cumpriu seu papel. Empatou e ficou com o título. Como era esperado, jogo equilibrado, com um Palmeiras incomodando muito, principalmente com Marcos Assunção. Porém, um primeiro tempo com poucas oportunidades. A melhor chance foi do alvinegro antes do intervalo. Boa jogada pela direita e após confusão a bola sobrou para Liédson chutar para fora.

A expulsão exagerada de Valdívia no começo do 1º tempo diminuiu o ritmo do Palmeiras. O jogo seguiu da mesma forma. Muita briga, algumas tentativas, mas nada de gol. Mesmo com um a menos, o alviverde ficou com o grito de gol na garganta. Falta cobrada por Marcos Assunção e após desvio de cabeça a bola tocou na trave. Wallace foi expulso - também de forma exagerada - e o Corinthians também ficou com um a menos.

O Palmeiras chegou a fazer o gol, mas não valeu. Teve início de briga, mais duas expulsões. Mas pouco futebol. O Verdão tentou, mas não conseguiu a vitória. O título é corintiano.

Empate suficiente para o torcedor corintiano fazer a festa. Um título merecido pela campanha. Foram 27 rodadas na liderança. Desde a 2ª rodada presente no G4. Não é para qualquer um. Um time equilibrado, com algumas pequenas oscilações, porém muito bem contornada por Tite. Aliás, a direção acertou ao manter o treinador nas crises. Colhe o fruto. Corinthians campeão brasileiro mais uma vez. Em tarde triste para muitos pela morte de Socrátes, o Timão faz a festa de sua nação. Ao Palmeiras, resta repensar e planejar um 2012 melhor.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Brasileirão - Pitacos Última Rodada

Chegou o grande final de semana. Esperado por muitos. Independente se o seu time chegou com chances de algo. Ou se briga para fugir da degola. Todo mundo esperou por esse final de semana desde a primeira rodada.

A CBF acertou (aleluia!) ao colocar os clássicos na última rodada. As decisões ganharam ainda mais emoção. Serão 10 jogos ao mesmo tempo. Todos valendo ao menos algo. Nem que seja uma vaguinha na Sulamericana. O que não é nada mal.

A CBF errou (normal!) ao não dar o mando devido de campo para São Paulo e Botafogo. E até mesmo o Vasco. Por mais que seria uma bomba armada no Rio e em São Paulo, é preciso definir isso com muita antecedência. E sem prejudicar ninguém.

Vamos aos pitacos. Pode criticar. Pode opinar. Pode dizer o contrário. O espaço é de todos.

- Corinthians x Palmeiras: Pode-se dizer que é uma das duas finais. A principal. Até porque apenas o Corinthians joga pelo empate. Joga também com Moradei e Jorge Henrique. Mas sem Danilo e com Alex. O Palmeiras joga seu ano? Não. Joga para vencer o rival e dar pelo menos uma alegria para o torcedor palmeirense. E uma vitória aqui seria o mesmo que gritar “campeão”.

Palpite: Palmeiras

- Vasco x Flamengo: A segunda final do Brasileirão 2011. Dependendo como for em São Paulo, o título fica mais uma vez no Rio de Janeiro. Ou não. O Vasco não mostrou abalo após a queda na Sulamericana. O torcedor recebeu de braços abertos o time. Além disso, a equipe mostrou estar iluminada. O gol de Bernardo no fim não pode ser a toa. O Flamengo não em alta, mas venceu bem o Inter, mesmo com vários desfalques. Precisa de um empate para Libertadores. Mas, quer mesmo é a vitória. Se for com gol de Ronaldinho, ele vira ídolo de vez.

Palpite: Vasco

- Botafogo x Fluminense: Um dos poucos jogos que não valem quase nada. Eu sei, você dirá que o Botafogo briga por Libertadores. Na teoria. Porque na prática, o time espera por 2012, sob comando de Oswaldo de Oliveira. O Fluminense quer acabar bem o ano, onde conseguiu surpreender, arrancar e chegar novamente à Libertadores.

Palpite: Fluminense

- Atlético (PR) x Coritiba: De todos os clássicos, esse deve ser o mais eletrizante. O Atletiba do século. Ou até mesmo da história. O Atlético não depende de si, mas se vencer, pode escapar do rebaixamento. E tudo que o torcedor do Coritiba quer é vencer e rebaixar o rival. Um jogaço. O Furacão não tem mostrado grandes forças, mas tem raça. Joga na Baixada, o que pode ser diferencial. O Coxa tem a Libertadores nas mãos mais uma vez. Depende, novamente, de um jogo. Mais uma decisão para fazer, quem sabe, 2011 um ano perfeito.

Palpite: Empate

- Internacional x Grêmio: Difícil não apontar o Internacional como franco favorito. O time vem jogando bem, briga pela Libertadores, joga no Beira-Rio. O Grêmio não vem bem, até esboçou uma arrancada lá pelo meio do Brasileirão, mas nada demais. Roth já pediu para sair e Caio Júnior vem aí. Mais um com a cabeça em 2012.

Palpite: Internacional

- Avaí x Figueirense: Rebaixado, o Avaí quer atrapalhar o rival. Um alento após a pífia campanha. O Figueirense não aguentou os dois últimos jogos em casa. É hora de descarregar no rival e, quem sabe, beliscar a Libertadores.

Palpite: Figueirense

- São Paulo x Santos: Mesmo longe de casa, o São Paulo quer fechar o ano de bem com a torcida. Mesmo que a Libertadores não venha. Tem tudo para isso. Pega o Santos, reserva e com a cabeça no Japão. Quem vai ser o louco de arriscar a perna em uma dividida? Só que quer garantir seu espaço na lista de Muricy.

Palpite: São Paulo

- Cruzeiro x Atlético (MG): O jogo que vai parar Minas Gerais. O Cruzeiro joga a vida. O Galo, joga para rebaixar o rival e dar pelo menos uma alegria para o torcedor. Cuca revê seu ex-time, podendo rebaixa-lo. O Cruzeiro não tem Fábio e nem Montillo. Enquanto o time celeste tem mostrado mais raça que técnica, o Atlético mostrou ter um time neste fim de Brasileiro. Ah, o Galo briga pela Sulamericana.

Palpite: Empate

- Bahia x Ceará: Em meio à polêmica de “ajudar o Nordeste”, o Bahia recebe o Ceará livre do rebaixamento. Mas pode beliscar sua vaga na Sulamericana e voltar para uma competição internacional após mais de 20 anos. O Vozão joga sua vida na Série A. Se livrou no fim do último jogo. Será que escapa de vez agora?

Palpite: Empate

- Atlético (GO) x América (MG): Duelo que só vale a vaga na Sulamericana para os goianos. E quem acha isso pouco, para eles não é. Disputar a competição internacional é muito bem vinda ao Atlético. O América, rebaixado, quer mostrar que poderia escapar com um pouco mais de jogos. E tem razão.

Palpite: Atlético (GO)

No fim das contas, o Brasileirão acabaria assim:

CAMPEÃO: Vasco

LIBERTADORES: Vasco, Corinthians, Fluminense, Internacional e Figueirense (além do Santos)

SULAMERICANA: Flamengo, São Paulo, Coritiba, Botafogo, Palmeiras, Grêmio e Atlético (GO)

REBAIXADOS: Ceará, Atlético (PR), América (MG) e Avaí

Seleção PB - 37ª rodada

Felipe (Flamengo); Cicinho (Palmeiras), Jéci (Coritiba), Leonardo Silva (Atlético/MG) e Gílson (América/MG); Ralf (Corinthians), Marcos Assunção (Palmeiras), Alex (Corinthians) e Bernardo (Vasco); André (Atlético/MG) e Liédson (Corinthians). Técnico: Cristovão Borges (Vasco).

Melhor da rodada: André (Atlético/MG).

Brasileirão - 37ª rodada - Jogos do Domingo (5ª parte)

- Ceará 2x2 Cruzeiro: Decisão que não definiu nada. Jogo brigado, disputado e de várias oporunidades. O Cruzeiro assustou primeiro. O Ceará respondeu, parou uma vez em Fábio, mas logo abriu o placar. Osvaldo deu belo drible em Diego Renan e bateu firme: 1 a 0. A resposta cruzeirense foi imediata. Cruzamento de Montillo e Anselmo Ramón aproveitou: 1 a 1. O Vozão ainda teve grande chance de ficar à frente no placar novamente.

Como o empate não ajudava ninguém, os dois times seguiram firmes em busca da vitória no segundo tempo. Jogo seguiu lá e cá. E o Cruzeiro conseguiu a virada. Marquinhos Paraná apareceu pela direita e Ortigoza, que acabara de entrar, aproveitou: 2 a 1. Após isso, Raposa fechaa, segurando como podia. O Ceará pressionando, buscando o ataque e dando trabalho para Fábio. Até que, após um chutão para o ataque, o zagueiro Daniel Marques ficou com a sobra, livre, e deixou tudo igual.

Gol salvador, que impediu o Ceará de cair e o Cruzeiro de se salvar. Gol que mantém a briga contra a degola até a última rodada. Uma rodada que promete muito. Dois times que podem não ter qualidade, mas que mostraram raça e entrega. E é justamente isso que salvará um dos dois. Ou nenhum.

- América (MG) 2x1 Atlético (PR): Coelho caiu, mas não se entregou. Um jogo equilibrado desde o começo. Os dois times levaram perigo já nos primeiros minutos. O América, aos poucos dominava. Até que, em cruzamento rasteiro da direita feito por Amaral e Yes, we Kempes abriu o placar. O Atlético tinha dificuldades na criação e pouco chegava ao ataque. O time mineiro, sem peso, levava perigo e por pouco não ampliou ainda na primeira etapa.

O Atlético não jogava bem, mas conseguiu o empate no segundo tempo. Achou um pênalti em cima de Marcelo Oliveira. Paulo Baier bateu e deixou tudo igual. Mas o América era melhor. Renan Rocha salvou o rubro-negro algumas vezes. Porém, a pressão mineira deu resultado. Gílson apareceu no meio da área, livre, aproveitar o cruzamento de Marcos Rocha: 2 a 1.

O Atlético não cai graças ao gol do Ceará no fim. Mas, vai para última rodada com uma missão complicada: vencer o Atletiba e torcer contra Ceará e Cruzeiro. O time lutou nas últimas rodadas, porém perder para o rebaixado América complicou a situação. Com mala-branca ou não, ou com espírito de vingança contra Antônio Lopes, o Coelho jogou bem e venceu com méritos. Se tivesse mais três ou quatro rodadas, não cairia.

Brasileirão - 37ª rodada - Jogos do Domingo (4ª parte)

- Santos 1x1 Bahia: Um empate vencedor para o Bahia. Souza, insistente, abriu o placar logo no começo. Surpreendeu os titulares do Santos. Após isso, contou com Marcelo Lomba, fazendo grandes defesas. Mas Neymar estava naqueles dias. Ele, entre três zagueiros, chutou para empatar. Neymar ainda criou duas chances de virar o placar no primeiro tempo.

O ritmo caiu após o intervalo. Bahia fechado e apostando nos contra-golpes. Santos com posse de bola, mas sem força no ataque e poupando para o Mundial. Como ninguém queria arriscar, o empate seguiu até o fim.

O Santos empatou nos dois jogos de "preparação" para o Mundial. Nada demais. Mas, que exige certas atenções. O Bahia escapou da degola no melhor jeito Joel. Segurando o quanto pode os pontos fora de casa. De ponto em ponto, salvou o tricolor.

- Grêmio 2x2 Atlético (GO): Em jogo que não valia muita coisa, tudo igual. O Grêmio teve mais volume de jogo. Porém, deu espaços para o Atlético chegar, gostar e abrir o placar. Na segunda finalização do rubro-negro, Anselmo recebeu nas costas da zaga e não perdoou: 1 a 0. O tricolor voltou a dominar e arriscou um pouco mais.

O gol gremista só veio no segundo tempo. William Magrão recebeu belo passe de Marquinhos e empatou. Não demorou e o tricolor conseguiu a virada. Mario Fernandes chutou e Marquinhos completou: 2 a 1. O ritmo caiu e o Dragão foi chegando. E após cobrança de falta, lambança de Victor, e bate-rebate, Anderson aproveitou para deixar tudo igual novamente. E por pouco Anselmo não deu a vitória ao time goiano no fim.

O resultado valeu a Sulamericana para o Grêmio. Justo pelo que o time gaúcho apresentou no Brasileirão. O Atlético quer a vaga, mas precisa vencer na última rodada.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Brasileirão - 37ª rodada - Jogos do Domingo (3ª parte)

- Palmeiras 1x0 São Paulo: E o Verdão voltou. Na velha e boa arma: bola parada. Foi assim nas boas chances que teve no primeiro tempo. O São Paulo teve poucas, mas grandes oportunidades. Na melhor delas, Juan apareceu na cara do gol, após passe de Dagoberto. Bola na trave. Após isso, foi a vez do Palmeiras ter a grande chance de abrir o placar. Rogério Ceni salvou em duas belas defesas. E ficou na bronca com Valdívia.

O segundo tempo foi de grande equilíbrio. O São Paulo precisava vencer para ficar mais perto da Libertadores. O Palmeiras, querendo fechar bem o ano. Ambos criaram chances de abrir o placar. Mas o alviverde tem Marcos Assunção. A velha fórmula. Falta, direta, gol: 1 a 0 Palmeiras. O Verdão seguiu em cima, assustando. Na base da bola aérea, o tricolor buscou o empate. Porém, o time palmeirense ficou perto de matar o jogo com Fernandão, que perdeu.

Vitória comemorada pelo torcedor palmeirense. Rivalidade a parte, deve ser comemorado o fato que o time voltou a jogar bem, como nos tempos que queria uma vaga na Libertadores. Como a dupla Marcos Assunção e Valdívia fazem bem à equipe. O primeiro pela eficiência na bola parada. O segundo, por voltar a jogar de forma solta. Pena que já é tarde. O São Paulo, desde a chegada de Leão e Luís Fabiano, só jogou bem contra pequenos. Nas grandes provas, perdeu. Não foi diferente contra o Palmeiras.

- Atlético (MG) 4x0 Botafogo: Galo forte e salvo de uma vez. Embora o Botafogo tenha começado muito bem. Perdeu duas boas chances de abrir o placar. Na primeira descida, Neto Berola fez boa jogada pela esquerda e sofreu pênalti. Daniel Carvalho cobrou e fez: 1 a 0. Caminho aberto para goleada. O Galo teve duas boas chances de ampliar. Na terceira, André aproveitou o rebote para fazer: 2 a 0. O Botafogo teve a chance no fim do primeiro tempo. Mas Loco Abreu, no melhor estilo Brasil na Copa América, isolou, longe do gol. Provando assim que não era dia do alvinegro carioca.

Era dia dos mineiros. O Galo comandou o segundo tempo. Perdeu chances de liquidar o jogo. Insistiu e fez a goleada. André, em contra-ataque, recebeu nas costas da zaga e encobriu Jefferson. Golaço. 3 a 0. No finalzinho, bola parada e Leonardo Silva liquidou.

Atlético salvo. Cuca mais uma vez se tornou salvador de um time "rebaixado" antes da hora. Conseguiu fazer um time do que era apenas um monte de jogadores. Arrancou na hora certa. E colhe os frutos. O Botafogo, na sua impaciência, colhe também seus frutos. Queda livre e Libertadores longe demais. Não pela possibilidade. Ela ainda existe. O problema é o futebol. Isso já não existe mais.

Brasileirão - 37ª rodada - Jogos do Domingo (2ª parte)

- Flamengo 1x0 Internacional: Mesmo desfalcado, Flamengo vence e fica perto da Libertadores. O rubro-negro não fez um bom primeiro tempo. Sentiu a falta de entrosamento. Viu o Inter chegar mais ao ataque e controlar boa parte do primeiro tempo. D'Alessandro e Leandro Damião eram os mais perigosos. Faltou pontaria. O Flamengo acordou antes do intervalo. Bastou um bom lance. A bola caiu nos pés de quem decide. Passe veio quadrado, Moledo falhou, Ronaldinho não: 1 a 0.

O rubro-negro por pouco não ampliou no começo do segundo tempo. O Inter seguiu ofensivo, mas sem a mesma qualidade do primeiro tempo. Só conseguiu se acertar após a entrada de Andrezihnho. Foram várias chances desperdiçadas. Felipe salvou em chute de Leandro Damião. O colorado cansou. E o Fla por pouco não matou o jogo no contra-ataque.

Bastou o gol de Ronaldinho. O Flamengo não jogou bem. Sentiu os desfalques. Mas se superou. O camisa 10 mostrou que, mesmo em má fase, é decisivo. E coloca o rubro-negro perto da Libertadores. O Internacional jogou bem, teve volume de jogo. Mas faltou pontaria e ousadia. Pagou o preço em uma falha da zaga.

- Coritiba 1x0 Avaí: O Coritiba chegou. Porém, quem esperava goleada sobre o rebaixado Avaí, enganou-se. Jogo equilibrado, com o time catarinense marcando forte a saída de jogo do Coxa e assustando em vários lances. Vanderlei teve trabalho para segurar o Avaí. Quando conseguiu chegar com perigo, o alviverde parou em Moretto. E na trave.

Veio o segundo tempo. Precisando vencer, o Coritiba foi para o abafa. Mas encontrava as mesmas dificuldades para superar a marcação do Avaí. Nem mesmo com Fabiano expulso o time conseguiu espaços. Sendo assim, o gol só poderia sair de uma bola parada. Escanteio cobrado e Jéci subiu para cabecear firme e fazer o gol da vitória. Aí foi só administrar.

O incrível aconteceu. Todo mundo foi tropeçando. O Coritiba não. Engrenou a sequência que faltou durante todo o Brasileiro. Fez valer ainda mais o fator casa. E chegou ao G5. Basta vencer para chegar a Libertadores. Coroar assim um ano praticamente perfeito. E rebaixando o rival. O Avaí jogou com vontade, bem armado e por pouco não atrapalhou o Coritiba. Por que Moretto não foi titular antes?

domingo, 27 de novembro de 2011

Brasileirão - 37ª rodada - Jogos do Domingo (1ª parte)

- Figueirense 0x1 Corinthians: Ainda não. O Corinthians sentiu o gosto do título, mas não é campeão. Jogo travado, com o Figueirense bem organizado. As poucas chances de gol foram do time catarinense. Chegou a acertar a trave, com Julio César.

Sem criação, Tite colocou Alex no intervalo. O Corinthians acordou e melhorou. Aos poucos, foi dominando o jogo. Mas viu o Figueirense ficar perto de abrir o placar.

Porém, Alex mostrou mais uma vez ter estrela. Fez uma jogadaça pela esquerda. E colocou na cabeça de Liédson, para fazer o gol do jogo: 1 a 0. O time catarinense tentou o abafa. Mesmo assim, vitória corintiana. Mas nada de título.

Faz algumas rodadas que insisto: Alex tem sido o diferencial na criação corintiana. Entrou e resolveu mais uma vez. Título perto. Mas, pode escapar. O Figueirense já não depende de si para chegar a Libertadores. Perdeu em casa justo quando não podia. Uma pena, diante de uma campanha tão boa.

- Fluminense 1x2 Vasco: O gol da esperança. O Vasco segue vivo na briga pelo título. Gol que recompensa o erro da arbitragem logo no começo. Diego Souza fez em posição legal, mas teve o gol anulado. Foi um primeiro tempo equilibrado. O Fluminense demorou um pouco para se encontrar, mas teve duas grandes chances de abrir o placar no primeiro tempo. O Vasco, comandado por Diego Souza, viu Élton perder um gol feito, digno de Inacreditável FC. Marquinho respondeu a altura.

O jogo ficou ainda mais movimentado no segundo tempo. O Fluminense teve sua grande chance de fazer o primeiro gol. Partida truncada. E só começou a ser decidido nos últimos 15 minutos.

As alterações de Cristovão levaram o Vasco a vitória. Alecsandro, pouco depois de entrar, recebeu passe de Diego Souza e marcou: 1 a 0. Quase fez o segundo, em seguida.

Porém, o Fluminense tem Fred. Isso não pode ser esquecido. A defesa do Vasco esqueceu. E o camisa 9 marcou um lindo gol: 1 a 1. Gol que matava o Brasileirão para o Corinthians.

Tensão. Entrega. Raça. Tudo isso ficou evidente no fim. Eram 45 minutos. Contra-ataque puxado por Diego Souza, que lançou Alecsandro na direita. No meio da área, Bernardo, que entrou no intervalo. Apareceu como um foguete, livre. Precisou de duas tentativas. E a bola estufou às redes e o peito dos vascaínos: 2 a 1.

Para quem sente falta ou defende o mata-mata, esse jogo saciou qualquer saudade. O Vasco mostrou ser guerreiro. Quer o título e não se entregou. Estrela de Cristovão Borges, que colocou a dupla Alecsandro e Bernardo, decisivos. Grande jogo que deixa tudo para última rodada. Vale destacar também o Fluminense, que brigou o quanto pode. Mas é o Vasco quem continua na briga. Com um espírito guerreiro.

Brasileirão - Pitacos 37ª rodada

Eu pensei em fazer um começo para os pitacos da rodada. Mas, ia acabar dizendo que faltam duas rodadas, que o campeão pode sair nesta, que a briga pela Libertadores pode ficar ainda mais equilibrada, que temos duas decisões contra o rebaixamento. Porém, melhor ir direto aos pitacos da rodada.

- Figueirense x Corinthians: A goleada sofrida para o Fluminense não pode fazer esquecer: ganhar do Figueira no Scarpelli foi algo para poucos. Principalmente no segundo turno. O time catarinense é chato e bem organizado. Nos últimos jogos, o Corinthians venceu com estrela de campeão. Mas precisa ficar atento.

Palpite: Figueirense

- Fluminense x Vasco: Uma decisão. Um clássico. Fluminense embalado. Vasco organizado e focado. Além disso, um duelo particular entre Fred x Dedé. Ou seja: um jogão imperdível. Onde a experiência pode fazer a diferença.

Palpite: Vasco

- Flamengo x Internacional: Terceira final desta rodada. Flamengo, em queda, precisa vencer se quiser ir para Libertadores. Bem organizado, o Inter pode aproveitar o momento para ficar ainda mais perto da vaga.

Palpite: Empate

- Palmeiras x São Paulo: Salvo da degola e com um bom futebol após o retorno de Marcos Assunção, o Palmeiras já avisou que os clássicos da últimas rodadas serão um campeonato a parte. O São Paulo, com Leão, só jogou bem contra os rebaixados. Hora de provar que merece ir à Libertadores.

Palpite: Palmeiras

- Atlético (MG) x Botafogo: Outro jogão. Galo buscando escapar da degola. Basta ganhar. Botafogo quer voltar ao G5. Precisa vencer. Atlético em melhor momento. Cariocas em queda.

Palpite: Atlético (MG)

- Coritiba x Avaí: O Coritiba chega nas últimas rodadas sonhando com Libertadores. Mesmo irregular, conseguiu embalar no fim. Jogando em casa, soube comandar. Não deve ser diferente agora, diante do rebaixado Avaí. Time catarinense já entregou os pontos. E apareceram crises internas, para ajudar. Para finalizar, perder pode atrapalhar o rival Figueirense de ir à Libertadores.

Palpite: Coritiba

- Santos x Bahia: Um dos últimos testes antes do Mundial. Muricy manda força máxima para o jogo. Bahia, frágil, não pode vacilar se não cai. Deve jogar no estilo Joel: fechado, no contra-ataque.

Palpite: Santos

- Grêmio x Atlético (GO): Jogo que não vale nada. Só para confirmar vaga na Sulamericana. Grêmio quer fechar bem em casa. Atlético, surpreender. Tricolor em melhor fase.

Palpite: Grêmio

- Ceará x Cruzeiro: Uma final. Assim é encarada essa partida por ambos. Vozão embalado pela vitória sobre o Grêmio, que manteve o alvinegro vivo. Cruzeiro, ainda mal, mas mostrando raça.

Palpite: Empate

- América (MG) x Atlético (PR): O Coelho foi rebaixado. Porém, tem muito jogador lá querendo derrubar Antônio Lopes, o grande culpado apontado por alguns do elenco. Com isso, o Atlético pegará um adversário complicado. Mas tem jogado com capacidade para surpreender.

Palpite: Atlético (PR)

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Champions League - Reta final da fase de grupos (1ª parte)

- Grupo A

O Bayern Munique garantiu o 1º lugar na chave ao derrotar o Villarreal por 3 a 1. Ribéry abriu o placar logo no começo do jogo. Superior na partida, os alemães ampliaram ainda no primeiro tempo com Mario Gomez, que aproveitou o rebote após chute de Tymoshchuk. No segundo tempo, o Villarreal até esboçou reação ao diminuir no retorno do intervalo, com belo gol de De Guzman. Mas a reação parou aí. Ribéry aproveitou mais uma chance e matou o jogo.

No duelo direto pela outra vaga do grupo, o Napoli derrotou o Manchester City, por 2 a 1, e passa a ser o favorito para ficar com a 2ª colocação. Graças a grande atuação de Cavani. O primeiro gol veio em cobrança de escanteio, onde tocou de cabeça. Balotelli não demorou para aparecer e deixar tudo igual. Mas, no começo do segundo tempo, Cavani iniciou e terminou a jogada, fazendo o gol da vitória. O Napoli por pouco não ampliou. O City por muito pouco não empatou. Mas ficou mesmo no 2 a 1.

Bayern Munique classificado, líder e com sobras. Sobram Napoli, com 08 pontos, e City, com 07. O Villarreal não pontuou. Próxima rodada tem City x Bayern, Villarreal x Napoli. Façam suas apostas.

- Grupo B

Aqui, é a Internazionale quem se garantiu, ao ficar no empate contra o Trabzonspor, fora de casa, por 1 a 1. Álvarez abriu o placar no primeiro tempo, após bela tabela. O empate turco veio logo depois, com Altintop, em belo chute de fora contando com desvio.

O grande resultado do grupo B foi a vitória do Lille sobre o CSKA Moscou fora, por 2 a 0. De lanterna, o time francês voltou a pensar seriamente na vaga. Berezoutski fez um belo gol contra e ajudou os franceses no começo do segundo tempo. Sow aproveitou rebote e matou o jogo.

Inter classificada e garantida em primeiro, com 10 pontos. Para a outra vaga, todos tem chances. Trabzonspor, com 06, Lille e CSKA Moscou, com 05, brigam. Internazionale x CSKA, Lille x Trabzonspor. Por isso que a rodada foi tão importante para os franceses.

- Grupo C

O Benfica arrancou empate do Manchester United, fora, por 2 a 2, e garantiu a vaga na próxima fase. Os portugueses foram para cima logo no começo e abriram o placar. Jogada de Gaitán pela direita e Jones marcou contra. E por pouco não ampliou. O Manchester demorou mas conseguiu o empate. Nani cruzou da esquerda e Berbatov - impedido - deixou tudo igual.

O United cresceu com o gol e seguiu apostando no lado esquerdo. E dali saiu a virada. Mais um cruzamento de Nani e Fletcher apareceu entre a zaga para chutar e completar no rebote: 2 a 1. Porém, nem deu tempo de comemorar. Bruno César fez a jogada pela esquerda e Aimar aproveitou a sobra: 2 a 2. Bagunçado, o Manchester tentou, sem sucesso, pressionar.

Quem gostou do empate foi o Basel, que venceu o Otelul Galati, por 3 a 2, e segue com chances de classificação. O time suíço começou com tudo e fez 3 a 0 logo no primeiro tempo. Fabian Frei abriu o placar e Alexander Frei fez 2 a 0 em menos de 15 minutos. Streller ampliou. No segundo tempo, os romenos ainda reagiram, diminuiram para 3 a 2 com gols de Giurgiu e Antal, mas não conseguiu o empate.

Benfica, com 09, está classificado. Isto porque, na última rodada, o Manchester United pega o Basel, fora. United tem os mesmos 09 pontos. O Basel tem 08. O Otelul Galati não fez nenhum ponto.

- Grupo D

O Real Madrid passeou sobre o Dínamo Zagreb: 6 a 2. Com 20 minutos de jogo, já estava 4 a 0. Benzema fez logo aos 02 e depois tocou para Callejón ampliar. Higuaín fez bela jogada e marcou o terceiro gol. E no rebote do argentino, Ozil fez o quarto. No segundo tempo, Higuaín ainda fez 5 a 0 e tabelou com Benzema, que fez o sexto. No fim, Beciraj e Tomecak diminuiram para os croatas.

Na outra partida, o Ajax segurou o Lyon, fora, e ficou no 0 a 0. As melhores chances no primeiro tempo foram dos holandeses. Os franceses melhoraram no segundo tempo, mas a pressão não deu resultado.

Real Madrid, 100%, com 15 pontos. Ajax, em segundo, muito perto da vaga, com 08. Lyon tem 05. Dinamo Zagreb sem nada. Zagreb x Lyon, Ajax x Real. Um empate basta para os holandeses.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Seleção PB - 36ª rodada

Moretto (Avaí); Fagner (Vasco), Rodrigo Moledo (Internacional), Rhodolfo (São Paulo) e Juan (São Paulo); Paulinho (Corinthians), Marcos Assunção (Palmeiras) e Felipe (Vasco); Felipe Azevedo (Ceará), Luís Fabiano (São Paulo) e Fred (Fluminense). Técnico: Abel Braga (Fluminense).

Melhor da rodada: Fred (Fluminense).

Reservas: Charles (Cruzeiro) e Valdívia (Palmeiras).

Brasileirão - 36ª rodada - Jogos do Domingo (3ª parte)

- Figueirense 0x4 Fluminense: Fred. Mais uma vez ele. E o Fluminense atropelou o Figueirense em pleno Scarpelli. O time catarinense se impôs logo no começo e foi melhor em boa parte do primeiro tempo. Teve boas chances para abrir o placar. O tricolor levou perigo em alguns lances. Mas, o Figueira comandava as ações. Mas nada de gol.

Veio o segundo tempo. Outro jogo. Fred apareceu. Os gols também. O camisa 9 chutou cruzado logo aos 02 minutos para abrir o placar. O Figueirense tentou responder, mas não teve muito tempo para respirar. A noite era de Fred. Carlinhos cruzou, a bola passou pelo goleiro, pelo zagueiro, só para encontrar o atacante: 2 a 0.

O Figueirense não se entregou. Tentou ir para cima e diminuir. Mas era noite tricolor. Era noite de Fred. Ele puxou contra-ataque, tocou para Deco que deixou Marquinho na boa para fazer o terceiro. Para fechar mais uma atuação de gala, o camisa 9 recebeu um lindo passe de Lanzini, nas costas da defesa, e bateu sem deixar a bola cair: 4 a 0.

O Fluminense está na Libertadores. Briga pelo título. E conta com um herói chamado Fred. O atacante resolveu quando o time mais precisava. Fez o tricolor chegar quando muitos não esperavam. Vencer o Figueirense no Scarpelli não é para qualquer um. Golear assim, muito menos. O Figueirense não jogou mal. Foi o Fluminense que atropelou. Mas não coloque o Figueira como morto. O time pode ficar com a vaga na Libertadores também.

- Coritiba 1x0 Santos: Placar suficiente para o Coritiba sonhar com Libertadores até o fim. Os reservas do Santos não deram grande trabalho. O Coxa começou melhor. Boas trocas de passe no ataque, velocidade. Mas poucas chances de gol no primeiro tempo. O Peixe, com seu mistão, nada fez.

O mesmo ritmo continuou no segundo tempo. Coritiba ainda melhor e mais perto do gol. Pressionou e criou mais oportunidades desde a volta do intervalo. A trave e Aranha tentaram segurar, mas o gol veio. Cruzamento de Geraldo e Leonardo marcou. Após isso, o Coritiba apenas administrou. Teve ainda chance de ampliar. O Santos não jogou.

E o Coritiba ainda tem chances de Libertadores. Remotas, complicadas, mas com tanta gente tropeçando, por que não? A tabela ao menos ajuda. O Santos com a cabeça no Mundial mandou seu time misto. Dizem que estava em campo. Eu vi apenas o goleiro.

- Bahia 0x2 Palmeiras: Palmeiras salvo. Jogou melhor e venceu. Não foi um grande jogo, mas o alviverde teve boa atuação. O primeiro tempo foi de poucas oportunidades. Na primeira vez que chegou, o Palmeiras abriu o placar. Escanteio com Marcos Assunção, Luan mandou na trave e Ricardo Bueno aproveitou. O Bahia tentou reagir, mas o Verdão tinha controle do jogo.

O segundo tempo foi mais movimentado. O Palmeiras perdeu a chance de ampliar e se salvou de levar o empate, tudo no começo. Valdívia comandava o alviverde. Primeiro chutou de fora, depois deu um passe incrível para Luan. Marcelo Lomba salvou. Os dois times tiveram gols anulados, um após o outro. No fim, a velha arma palmeirense apareceu. Em uma das únicas faltas próxima da área, Marcos Assunção, com o capricho de sempre, matou o jogo.

O retorno de Marcos Asssunção fez bem ao Palmeiras. Valdívia jogou como o torcedor esperou quase o ano todo. Bons passes, domínio, segurança. Lembrou o Palmeiras que brigava pela Libertadores. O Bahia perde e corre riscos ainda. Precisa cuidar, se não...

Brasileirão - 36ª rodada - Jogos do Domingo (2ª parte)

- Botafogo 1x2 Internacional: Vitória para colocar o Inter no G5 e deixar o Botafogo longe da Libertadores. Jogo travado e com poucas chances claras de gol. O jogo esquentou apenas quando Alessandro não teve fair play e entrou na briga com D'Alessandro. A confusão acordou o Colorado, que teve grandes chances de abrir o placar no fim do 1º tempo. E chegou ao gol. Ótima jogada pela esquerda e Oscar invadiu a área para deixar Leandro Damião na boa para fazer: 1 a 0.

O time gaúcho quase ampliou o placar no retorno do intervalo. Comandado por Renato, o Botafogo melhorou e passou a assustar. Porém, o Inter tem mais qualidade. E bastou um passe incrível de Andrezinho para Oscar ampliar. Felipe Menezes ainda respondeu rápido e diminuiu. A defesa do Inter e Muriel salvaram no fim. Não deu para o Botafogo.

O Internacional chega ao G5 e pode ganhar a vaga para Libertadores. Com qualidade no meio, o time vem jogando bem e, principalmente, fazendo resultados. Posição esta que poderia ser muito bem do Botafogo. Mas o time caiu demais no fim. O problema de não ter banco pesou. Ainda pode, mas não conseguirá. É um time que entregou os pontos antes do fim.

- Atlético (GO) 0x0 Flamengo: Jogo de 0 a 0. O Flamengo precisava vencer para ficar mais perto da vaga na Libertadores. Mas foi o Atlético quem teve boas chances, com Marcão. Com seus meias muito bem marcados, o Fla ameaçou apenas nos chutes de fora.

O Atlético seguiu perigoso e teve um pênalti claro não marcado de Felipe em Marcão. O goleiro rubro-negro quase entregou o ouro logo depois e Marcão perdeu mais um gol. O Flamengo muito pouco fazia. Ronaldinho e Thiago Neves muito mal na partida. Coube a Diego Maurício dar um pouco de ofensividade ao time. Ou seja: 0 a 0. E o Dragão quase fez no fim.

Placar justo para um Atlético que não soube aproveitar as chances e um Flamengo apático, como quem não tem mais pelo que brigar no Brasileiro. A Libertadores pode vir. Mas com esse futebol, não. O Atlético está salvo de qualquer risco de rebaixamento e pode começar a pensar em 2012.

- Cruzeiro 1x1 Atlético (PR): No duelo dos desesperado, um empate que não ajuda ninguém. Não faltou disposição na partida. Jogo equilibrado desde o começo, com os times chegando ao ataque. O Atlético chegava bem pelo lado direito. E por ali que abriu o placar. Wendel aproveitou falha grotesca de Diego Renan e cruzou na medida para Marcinho marcar: 1 a 0. O gol fez o Cruzeiro ir para cima. O empate veio em contra-ataque. Cruzamento de Wellington Paulista e Charles aproveitou: 1 a 1.

O segundo tempo foi de mais vontade do que chances criadas. O Atlético sempre melhor. E o Furacão foi prejudicado pela arbitragem. Paulo Baier recebeu em posição legal para fazer o gol da vitória, mas o auxiliar marcou impedimento. O rubro-negro paranaense teve ainda duas chances no fim, mas parou em belas defesas de Fábio.

O empate não é tão ruim para o Atlético, mas perder dois pontos por causa da arbitragem nesta reta final é complicado. O Cruzeiro joga sua vida contra o Ceará na próxima rodada. Mas, não tem como negar. Os dois times mostraram porque estão nesta situação. Pouca qualidade dos dois lados.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Brasileirão - 36ª rodada - Jogos do Domingo (1ª parte)

- Corinthians 2x1 Atlético (MG): Adriano finalmente estreou e colocou o Corinthians na liderança. O Timão teve maior posse de bola, mas pegou um Atlético muito bem organizado na marcação. Com isso, o primeiro tempo foi de raras oportunidades para os dois times. Quase nada de chutes a gol.

Porém, este retrato mudou após o intervalo. O Corinthians levou perigo no primeiro lance. O Atlético fez o gol na sua primeira chance. Jogada bem ensaiada. Cobrança de falta. Bernard, Richarlyson, Daniel Carvalho e Leonardo Silva. Um toque de cada um. Galo 1 a 0.

O gol veio justamente quando Tite ia colocar Alex para melhorar o setor de criação. Manteve a mudança e tirou o apagado Danilo. Depois, sacou William, o melhor do time até ali, e colocou Adriano. Torcida chegou a ficar na bronca. Porém, logo perceberam o motivo.

Adriano foi fazer o pivô. Aliviou Liédson na marcação. E o Corinthians começou a criar. Por pouco não levou o segundo gol. Com "dois camisas 9", a bola ficou constantemente na área do Galo. Renan Ribeiro foi realizando grandes defesas. Mas aí, o trio de frente apareceu de vez no jogo.

Tudo mudou em 10 minutos. Primeiro Émerson começou a jogada, achou Alessandro, que cruzou na cabeça de Liédson. Tudo igual no Pacaembu. O empate se arrastava. Até que aos 43, um desarme, uma bola espirrada se transforma em contra-ataque. Émerson engata a 5ª marcha. E espera o momento certo para deixar Adriano na cara do gol, para bater cruzado e virar o placar.

A velha máxima de "vitória com a cara do Corinthians" precisa ser lembrada. Novamente os ingredientes de virada, sofrimento, gol no fim e herói se misturam. Na reta final, pode fazer uma diferença incrível. Adriano é o maior herói corintiano da última semana. Finalmente estreou para a torcida. Tite apostou no Imperador. Ele aliviou a marcação em Liédson no empate e depois fez o gol da vitória. Um gol que, até aqui, valeu toda espera, paciência e investimento.

Dizer que o Corinthians ganhou o Brasileirão com esse gol é precipitado. Mas, com o gol, faltam 04 pontos para o título. Primeiro, o Figueirense, brigando por Libertadores, em Floripa. Depois, o Palmeiras, rival louco para carimbar o título. Não tem vida fácil. Mas tem gordura necessária para ser campeão.

O Atlético não cai. Cuca apostou em uma boa marcação e em uma bola parada. Deu certo. Mas, mudou mal a equipe, deixou o Corinthians pressionar e pagou o preço. Mas, o Galo dificilmente cai. Tem gente pior.

domingo, 20 de novembro de 2011

Brasileirão - 36ª rodada - Jogos do Sábado

- Vasco 2x0 Avaí: Vasco faz seu papel. O Avaí assustou no começo, em uma lambança de ataque e defesa. Serviu para deixar o time vascaíno atento. Após o lance, domínio total da equipe carioca. Ainda mais com a expulsão de Junior Urso, aos 20 minutos. O Vasco foi para cima. Parou em Marcelo Moretto, que fez grandes defesas para salvar o Avaí e segurar a pressão gigante dos cariocas.

Pressão que seguiu após o intervalo. E o gol veio. Grande jogada de Felipe, que limpou o marcador e acertou belo chute de fora: 1 a 0. Sem forças, o Avaí assistia o Vasco jogar. Moretto seguiu trabalhando bem. Éder Luís fazia um carnaval na defesa. O segundo gol foi questão de tempo. Cruzamento da esquerda (mais um) e Élton fez, de cabeça. Após isso, o time vascaíno apenas administrou.

Vasco fez o dever de casa. Venceu o rebaixado Avaí. Agora, secar o Corinthians e dois clássicos pela frente. Situação não é fácil. Mas, jogando bem assim, pode fazer seu papel. O Avaí já tinha caído. Mostrou mais uma vez porque. Exceto a grande atuação de Marcelo Moretto. Sem ele, seria um sacode sem tamanho.

- São Paulo 3x1 América (MG): Sem chances para o Coelho. O São Paulo fez finalmente uma boa atuação e volta a pensar em Libertadores. Com escalação mais ofensiva, o tricolor pressionou boa parte do 1º tempo. Neneca teve trabalho desde o começo e salvou como pode o time mineiro. O América pouco ameaçou. O São Paulo era superior. Abriu o placar com Luís Fabiano, após escanteio cobrado por Dagoberto. A pressão do São Paulo continuou e o segundo gol saiu. Novamente com Luís Fabiano, que recebeu dentro da área e chutou cruzado.

Veio o segundo tempo e Juan matou o jogo logo no começo. Mais uma boa jogada trabalhada no ataque, Luís Fabiano deixou o lateral na boa para empurrar para as redes: 3 a 0. A expulsão de Xandão e o placar fizeram o São Paulo tirar o pé. Com isso, chamou o América para o ataque. O Coelho buscou até chegar ao gol. Alessandro diminuiu.

O São Paulo jogou como há muito tempo não jogava. Venceu, atuou de forma ofensiva, se impôs desde o começo. Não deixou o América aprontar mais uma vez. Venceu e voltou a sonhar com Libertadores. E, pelos tropeços dos adversários, pode sim. Só que, para os dois clássicos - Palmeiras e Santos - precisa de mais bola. O Coelho lutou até o fim, mas caiu. Volta para Série B de cabeça erguida ao menos.

- Grêmio 1x3 Ceará: Vozão segue firme para fugir da degola. Precisando da vitória, o Ceará foi ao jogo com três atacantes. Com posse de bola e boa saída para o ataque, o alvinegro abriu o placar com Felipe Azevedo, após boa jogada de Osvaldo: 1 a 0. Porém, o Grêmio controlou as ações e empatou o jogo, com Douglas. O tricolor não virou o placar porque Fernando Henrique salvou no fim do 1º tempo.

No desespero, o Ceará precisava vencer e foi atrás disso logo na volta do intervalo. Thiago Humberto foi derrubado na área. Felipe Azevedo cobrou e fez: 2 a 1. O Grêmio por pouco não empatou logo na sequência. E não demorou para Felipe Azevedo fazer mais um e praticamente matar o jogo. O atacante entrou do jeito que deu entre a defesa gremista, tentou uma vez, pegou rebote, e chutou. Victor salvou já dentro do gol: 3 a 1. O tricolor gaúcho ainda teve oportunidades de diminuir. Fernando Henrique salvou e Miralles, no fim, perdeu pênalti. O Ceará pode ampliar em contra-ataques. Mas, ficou mesmo no 3 a 1.

Ceará segue na degola. Mas, se não vencesse, já poderia arrumar as malas para Série B. Vitória de quem não entregou os pontos. Agora, decisão contra o Cruzeiro no PV. Se tiver ousadia como neste jogo contra o Grêmio, pode escapar. O tricolor gaúcho apenas espera as férias e, quem sabe, atrapalhar o rival Inter no fim.