Publicidade

sábado, 31 de janeiro de 2009

Palmeiras 2009

Jovem, rápido e melhor. Essas três palavras definem o que se espera do Palmeiras em 2009. O torcedor, não a toa apelidade de "turma do amendoim" por Felipão, cornetou, esperneou e criticou a diretoria pelas várias dispensas e nenhuma contratação de "peso". Ao meu ver, o Verdão foi um dos que melhor se movimentou no mercado, trazendo as grandes revelações do Brasileirão e outras boas apostas.

O desmanche foi considerável. Da base titular do ano passado, sobraram apenas Marcos, Gustavo, Pierre, Sandro Silva e Diego Souza. Desses, apenas Marcos, Pierre e Diego Souza serão titulares. Ou seja: um novo Palmeiras em campo. Novo nas caras e também na idade.

As saídas, a princípio, foram de bons jogadores. Titulares como o lateral-esquerdo Leandro (Fluminense), o atacante Alex Mineiro (Grêmio), Martinez (futebol japonês) e Elder Granja. Destes, Martinez e Leandro fizeram uma temporada regular. Alex Mineiro foi o artilheiro do time, mas caiu muito de produção na segunda parte do Brasileiro, o mesmo de Elder Granja. Os outros que saíram, como Roque Júnior, Léo Lima (Vasco), Gladstone (Náutico), Maicossuel (Botafogo), Denílson, vão porque não mereciam mesmo continuar. Era preciso novos ares.

Apoiando em jovens revelações, o time contratou alguns antes mesmo do ano acabar, já visando a nova cara da equipe em 2009. Chegaram os zagueiros Danilo, do Atlético/PR, e Maurício Ramos, do Coritiba; o lateral esquerdo Pablo Armero, do América de Cali e da Seleção Colombiana; os meias Willians, do Vitória, e Cleiton Xavier, do Figueirense; e as revelações do Brasileirão, os atacantes Marquinhos, do Vitória, e Keirrison, do Coritiba. Além dele, chega o experiente Edmílson, do Villareal, para ser o líder da equipe. Ótimas contratações, mesmo faltando algumas algumas para setores como a lateral-direita.

Com isso, o Palmeiras 2009 deve jogar no 3-5-2, com Marcos; Danilo, Edmílson e Maurício Ramos; Fabinho Capixaba, Pierre, Cleiton Xavier, Diego Souza e Pablo Armero; Marquinhos e Keirrison. Um time novo, veloz, com boa qualidade.

Falar de Marcos é muito fácil. O jogador é ídolo da torcida e tem uma história fantástica. Voltou para valer em 2008, com grandes atuações, quando muitos o davam como "aposentado" - até ele próprio. É, sem dúvidas, um dos melhores goleiros do Brasil. E Bruno, seu reserva, tem tudo para ser o sucessor da camisa 1 com muito estilo.

A defesa continuará sendo um ponto de interrogação. Danilo e Maurício Ramos foram bem na dupla Atletiba, mas ainda falta um pouco de segurança. Edmílson pode ser o homem a trazer isso para a dupla, jogando como líbero e podendo sair mais para o jogo, assim com atuou na Copa em 2002. Porém, esse trio é sem sombras muito melhor que o do ano passado, com Roque Júnior, Jéci e etc.

As laterais perderam seus titulares, e apenas uma foi bem reforçada. Pablo Armero é muito bom jogador, tem velocidade, sabe marcar e apoia com precisão. Substitui a altura Leandro, e até melhor. A direita ficará, ao que indica, com Fabinho Capixaba, jovem lateral que veio do Mirassol ano passado e não convenceu quando entrou no time. Talvez com uma sequencia, comece a jogar bem, mas um reforço para a posição seria bom. Um detalhe: antes Fabinho que Sandro Silva como curinga no setor.

O meio-campo é um dos mais qualificados do país. Pierre é o cão de guarda nato, que marca como nínguem. Joga muito. Cleiton Xavier tem a qualidade de passe muito boa e um ótimo chute de fora. Sem exageros, lembra muito Alex quando chegou do Coritiba. Deve atuar mais recuado, dando liberdade para Diego Souza ter mais uma chance de mostrar que valeu a pena o dinheiro gasto com ele. Potencial pra isso tem, basta um pouco mais de vontade. se bobear, Willians, vindo do Vitória, pode deixar o jogador no banco, e com méritos. Outros bom meia a disposição de Luxa é Deivid Saconni, que estava machucado e, particularmente gostaria de vê-lo nesse time.

O ataque foi alvo de críticas de torcedores, por conta da não permanência de Kléber e falta de contratações de peso. Balela. Marquinhos e Keirrison jogaram em 2008 mais que qualquer outro atacante. Mais até que o próprio Kléber. Marquinhos é meia-atacante, sabe vir de trás, tem habilidade e velocidade. Lembra Edílson, o capetinha, quando chegou no Palestra em 93. Já Keirrison é daqueles que é bom ver logo, porque já já parte pra Europa. Uma pena para nós, amantes do futebol brasileiro. É o grande nome do futebol nacional, tem um oportunismo e inteligência fora do comum, além de finalizar e usar bem da habilidade. A melhor contratação do começo de ano. Por incrível que pareça, devido o atraso desse post, vale dizer que Lenny vai buscar seu espaço e pode pintar no time. Se fosse antes do começo dos jogos, eu não falaia isso. Salvo pelo atraso.

O Palmeiras 2009 tem cara de campeão. Como o do começo de 2008 também tinha. Comendo pelas beiradas, sem muita exploração da impresna, Luxemburgo pode levar o Alviverde muito longe, mais que muito torcedor e comentarista corneta acredita. Eu vejo o Palmeiras campeão em 2009, e não é (só) do Paulista.

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

São Paulo 2009

Ganhar mais ainda. A meta do São Paulo para 2009 é ambiciosa e válida, porque tem elenco, estrutura e comissão técnica para isso. O grande desejo do time é a quarta conquista da Libertadores, que vem ficando no quase faz alguns anos.

Para isso, a base foi mantida por inteiro e ainda por cima, foram feitas ótimas contratações. Uma coisa é certa: a briga para ganhar posições e a possbilidade de variação tática que o técnico Muricy Ramalho terá em mãos é muito grande.

As saídas não foram sentidas pelo torcedor. Os zagueiros Anderson (Cruzeiro) e Juninho (Botafogo) não vinham sendo muito utilizados e foram liberados. O mesmo caso de Jancarlos (Cruzeiro) e Éder Luís (Atlético/MG). São bons jogadores, mas que não se adaptaram ou não foram bem na equipe.

Já as contratações foram muito bem selecionadas. Precisava de um lateral-direito, veio Wagner Diniz, do Vasco. De um lateral-esquerdo de ofício, chegou Junior Cesar, do Fluminense. De um matador, e trouxe Washington, também do Fluminense. Um volante com experiência e pegada, Eduardo Costa (ex-Grêmio), e outro com boa saída de bola, Arouca, o terceiro vindo do Flu. Por fim, mais um bom zagueiro: Renato Silva, do Botafogo.

Assim se montou o São Paulo, que pode ser escalado por Muricy Ramalho no 4-4-2, com Rogério Ceni; Zé Luís (Wagner Diniz ou Joílson), André Dias, Miranda e Junior Cesar (Jorge Wagner); Eduardo Costa (Arouca), Hernanes, Hugo e Jorge Wagner (Jean); Borges (Dagoberto) e Washington (Dagoberto). Ou no 3-5-2, com Rogério Ceni; Rodrigo (Renato Silva), Miranda e André Dias; Zé Luís (Wagner Diniz ou Joílson), Eduardo Costa (Arouca ou Jean), Hernanes, Hugo e Jorge Wagner; (Dagoberto) e Washington (Dagoberto). Uma infinidade de boas opções para o estrategista e "bom ranzinza" Muricy conduzir o São Paulo.

Falar do goleiro é fácil. Rogério Ceni é capitão, líder e ídolo do clube porque sempre mostrou potencial. Confesso que já fui muito crítico a ele, em um período em que se destacava mais pelos gols de falta do que pelas defesas. Mas, ano passado, foi diferente ao meu ver. Se destacou fechando o gol e sendo peça fundamental do São Paulo no hexa. É titular incontestável.

A zaga é outro ponto firme da equipe. Jogando com dois zagueiros ou três, se torna compacta, embora que com três homens atue melhor, de forma mais firme. André Dias tem bom posicionamento, Miranda é seguro, rápido e cabeceia bem, e Rodrigo é forte, embora que irregular. Renato Silva pode conseguir um lugar entre os três. É o que chamariam antes de "zagueiro-zagueiro", sabe fazer o básico muito bem. O problema é se Miranda sair.

As laterais foram reforçadas por jogadores rápidos e que apoiam muito bem. Porém, eu penso que Wagner Diniz é muita correria e pouco finalidade, e Junior Cesar ainda irregular demais. Zé Luís e Jorge Wagner ainda exercem melhor as funções, valendo destacar a evolução de Joilson na segunda metade do Brasileiro.

O meio-campo não tem o tão desejado "camisa 10". Isso aos olhos de alguns, porque Hugo fez o papel com grande performace no último Brasileirão, melhor que muitos dos premiados pela CBF. Deve se manter titular ao lado do novo número 10, Hernanes, que é para mim o jogador mais completo do futebol brasileiro. Tem um ótimo toque de bola, sabe marcar, roubar bola, bate bem pro gol, tem agilidade e habilidade. Quase perfeito. Jorge Wagner pode também fazer o papel de meia, como fazia nos tempos de Cruzeiro e Corinthians. A cabeça de área deve ser disputada por Jean, que ainda precisa evoluir; Eduardo Costa, que seria o "xerife", mas precisa manerar nas faltas; e Arouca, que tem uma ótima saída de jogo e marca bem.

No ataque, três nomes para duas vagas. Dagoberto é mais veloz, driblador e atua mais fora da área. Borges (para Muricy "o melhor pivô do Brasil") se firmou bem no ataque tricolor sendo decisivo no Brasileiro e sabe atuar tanto como pivô como fora da área. E Washington é o centroavante que chega para ser o matador da equipe. Três nomes que vão fazer Muricy ter possibilidade de mudança de jogo e uma boa "dor de cabeça".

O Paulistão deve servir como laboratório para a equipe ganhar corpo, visando a Libertadores. È um time que não precisa de reforços, mas saber se encaixar em campo. Todos sabem do potencial de Muricy Ramalho para isso, mas sozinho ele não pode fazer muito. O grande problema pode ser com uma possível saída de Miranda e Hernanes, o que exigiria boas peças de reposição. O fato é: o São Paulo é favorito para tudo esse ano, mas ser favorito não quer dizer nada.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Vasco 2009

Apagar 2008 e começar tudo de novo será a meta do Vasco. O clube, que não ganha um título desde o Carioca de 2003, montou uma nova equipe para apagar a pífia campanha feita do ano passado, quando se viu talvez o pior Vasco de todos os tempos. O torcedor vascaíno só quer uma coisa em 2009: a volta para a Série A.

Para tal feito, muitas contratações e dispensas. Se eu não esqueci ninguém, saíram 15 atletas e chegaram 19 novas caras. O que demonstra, de longe, que o torcedor precisa de uma boa dose de paciência no começo da temporada. São em si várias apostas. Algumas duvidosas, outras que podem dar certo. O problema é confiar em Léo Lima e Carlos Alberto como líderes desse grupo.

Além disso, vale mencionar que escolheu o treinador certo para remontar o clube: Dorival Júnior. Não é nenhuma estrela, mas por onde passa, cumpre os objetivos. Para se ter idéia: no São Caetano tinha que chegar as semifinais do Paulistão e foi campeão; no Cruzeiro, precisava chegar na Libertadores, e chegou; no Coritiba, chegar na Sul-Americana e ser campeão paranaense, bingo. Espera-se que continue assim.

Dos que partiram, ninguém para se sentir muita falta. Apenas três bons jogadores saíram: Leandro Amaral, Wagner Diniz e Madson. Fora eles, todos foram tarde. O goleiro Rafael pensa que é um grande goleiro, pediu um aumento enorme de salário, fez bobagens e pegou as malas no começo da temporada. Nem chegaram para esse ano "grandes" nomes, como Rodrigo Antônio, Jorge Luiz, Baiano, Jonílson. Não vou falar de Pedrinho, Odvan e, principalmente, Edmundo, em respeito a história dentro da equipe.

Os reforços são apostas. Podiam ser melhor escolhidas, ainda mais pela dificuldade da Série B. Mas tem bons nomes. Chegaram o goleiro Fernando, ex-Coritiba; os laterais-direito Paulo Sérgio, do Grêmio, e Fágner, ex-Corinthians; para a lateral-esquerda vieram Fernando Galhardo, do Vila Nova, e Ramón, do Internacional; os zagueiros Titi, do Náutico, Gian, do Ipatinga, Leonardo, do Shaktar/UCR; os volantes Nilton, do Corinthians, Pedro Vera, do 12 de Octobre/PAR, e Léo Lima, do Palmeiras; os meias Enrico, ex-Atlético/MG, Fernandinho, que volta ao time depois de passagem pelo Japão, Jeferson, do Santo André, Benitez, do 3 de Febrero/PAR e Carlos Alberto, ex-Botafogo, Fluminense e etc; e os atacantes Rodrigo Pimpão, do Paraná, Edgar, ex-São Paulo, e Elton, do São Caetano.

Muita gente. O provável Vasco deve ser escalado por Dorival Júnior no 4-4-2, com Fernando (Tiago); Paulo Sérgio, Titi (Fernando), Leonardo e Ramón (Fernando Galhardo); Nílton, Léo Lima, Jeferson (Fernandinho ou Alex Teixeira) e Carlos Alberto; Rodrigo Pimpão e Edgar (Alan Kardec).

Para o gol, são duas boas opções. Fernando foi muito bem quando estava no Coritiba, mas não sei com estava em Portugal. Tiago também é muito bom, e não entendo porque a torcida e Renato Gaúcho não o queria como titular. Ao meu ver, goleiro não será o problema do Vasco.

A defesa foi dita como "prioridade" para Dorival Júnior, embora que quem chegou não coloca confiança. Na direita, Paulo Sérgio foi bem no Grêmio e no São Caetano, mas irregular no Palmeiras. O seu reserva, Fágner, me impressionou alguns anos atrás, pela Seleção no Sul-Americano sub-20, e pode ser uma boa sombra. A zaga é no mínimo, duvidosa. Titi, Gian, Fernando e Leonardo não são de total confiança. Titi foi até que bem no Náutico, mas nada demais. O mesmo se diz de Leonardo no São Caetano. Fernando e Gian vem atrás. Por isso fica a dúvida. Eu penso que a dupla Titi e Leonardo seria a melhor opção. Na esquerda, Fernando Galhardo foi bem no Vila Nova e merece atenção, apesar de Ramón chegar como provável titular. Uma defesa que não é 100% confiável.

O meio-campo é o melhor setor do time. Nílton é ótimo volante, marca bem e tem ótimo chute. Léo Lima, se for o do Paulistão passado, será o motor da equipe. Jeferson é um bom meia, que vem do Santo André. Pode ser bem substítuido por Fernandinho, que tem velocidade, e Alex Teixeira, que tem muita habilidade. Carlos Alberto, se resolver jogar bola, será o cerébro do time. Todos de boa qualidade e que podem fazer a diferença na temporada.

No ataque, ainda falta um matador. Rodrigo Pimpão tem grande qualidade, mas é um jogador que atua mais fora da área, mas pode mudar o posicionamento. Élton tem velocidade e é daqueles que põe fogo no segundo tempo, por exemplo. Edgar surgiu bem em Santa Catarina, passou pelo São Paulo e "sumiu" no Estrela Vermelha, da Sérvia. É centroavante, de área, mas não era melhor que Alan Kardec, por exemplo. O atacante, que está na Seleçao sub-20, pode ser a referência no ataque cruzmaltino.

O torcedor precisa ter paciência. O time talvez demore um pouco a se entrosar, e faltam peças para melhorar o time. Um bom zagueiro, um bom lateral-esquerdo e um matador deixariam o time muito forte, até para surpreender no Carioca. Com o time que tem hoje, sobe para a Série A. Porém, não espere a facilidade do Corinthians, por exemplo. Força Vasco! Volta Vasco!

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

K9 e Washgol

Não podia ser diferente. A estréia dos camisas 9 de Palmeiras e São Paulo foram o grande destaque da segunda rodada do Paulista. Rapidinho aos jogos:

- Keirrison só não fez chover. Pode-se até dizer que o Mogi-Mirim é um time muito fraco. Mas, o K9 é a bola da vez no futebol brasileiro. Como disse Oswaldo Pascoal, uma pena ver que será mais um grande jogador que abandonará o futebol brasileiro rumo a Europa. Enquanto isso, ficaremos na espera de novos craques. No placar, Palmeiras 3 a 0: Cleiton Xavier fez um e o K9 fez os outros dois, sendo um de pênalti (duvidoso, por sinal) e o segundo um golaço. E o Palmeiras vem firme.

- O Corinthians jogou pro gasto, mesmo com tantos desfalques. Lulinha (quem diria) fez o gol da vitória. Destaco a ótima atuação de Otacílio Neto.

- Um minuto. Foi o que Washington precisou para mostrar que será a grande referência no ataque do São Paulo. Ele ainda marcou mais um no segundo tempo. Pode não ser genial, mas sabe fazer gols. A torcida não precisa de mais que isso. E a Lusa? Mandar embora Estavam Soares depois de uma rodada, sendo que a derrota para o Guarani foi de pênalti? E a pré-temporada, o time montado como ele queria? E pior, ainda acham que Mário Sérgio será a solução?

- Olho no Santos. Um time muito bem organizado, guiado pela qualidade de Lúcio Flávio, a vontade de Madson e o oportunismo de Kléber Pereira. Só a zaga que precisa acordar. Os gols foram do artilheiro e de Rodrigo Souto. Borebi fez para o Noroeste.

Os outros resultados do Paulistão: São Caetano 1x0 Santo André; Ponte Preta 2x0 Paulista; Mirassol 3x3 Marilia; Ituano 0x1 Guarani; Guaratinguetá 2x2 Botafogo; Barueri 2x2 Oeste. As semifinais hoje seriam entre o Palmeiras x Guarani e Santos x São Caetano, os quatro times 100% no Paulita até agora. O artilheiro é Pedrão, do Barueri, com 4 gols. Já pensou?

A terceira rodada começa hoje com Palmeiras x Marília e segue amanhã, com destaque para Guarani x São Paulo, no Brinco de Ouro.

Arbitragem, derrotas e sufocos

Foram essas as três palavras que marcaram o início do Campeonato Carioca. Uma passada rápida pela abertura, visto que há estou atrasado.

- O Botafogo teve uma partida difícil contra o Boavista e, ao meu ver, o empate seria o mais justo nessa partida. O time alvinegro sofreu com a falta de entrosamento, o que já era esperado, e com o péssimo gramado em Saquarema. Mas, alguns destaques individuais apareceram. Leandro Guerreiro fez muito bem seu papel como volante, Maicossuel deu velocidade ao meio-campo alvinegro e Victor Simões teve bons lances de ataque. Aliás, o camisa 10 teve a melhor estréia possível, fazendo os dois gols da vitória. O bom volante Tony fez o gol do Boavista, time que deve dar muito trabalho e pode roubar uma vaguinha para as semifinais.

Sobre a arbitragem de Marcelo de Souza Pinto. Acertou ao anular os dois gols. O problema foi a repercussão que deram a tudo que ocorreu, principalmente no "gol" de Alessandro, que entrou por fora. Caso tenha sido informado por alguem da imprensa, teve bom senso em ouvir. Não agiu errado e, ao meu ver, não complicou. Só foi muito atrapalhado para anular o gol. Nada além disso.

- Eu esperava a derrota do Vasco na estréia contra o Americano. Dorival Júnior precisa urgente de um "homem-gol". Pimpão não é esse jogador, nem Élton e muito menos Faioli (!). Os dois primeiros são jogadores que caem mais pelos lados do campo, não são finalizadores. Carlos Alberto não dá certo no ataque e Léo Lima deve ser, no máximo, um reserva. A zaga ganhará o reforço de Leonardo, ex-Santos. Penso que com a entrada dele, somado a Nilton, Fernandinho e um novo atacante, o time pode dar liga. Não para o Carioca, mas para a Série B. O Americano soube se aproveitar do desentrosamento e da falta de referência na zaga e no ataque do Vasco para fazer os gols, ambos do meia Éberson.

- Não vi a derrota do Fluminense para a Cabofriense, por 3 a 1. Outro time que estava sem ritmo e desentrosado. O terceiro gol dá a imagem de um Fluminense muito cansado em campo. Diguinho abriu o placar para o Flu, enquanto Ramon, Roberto e Da Silva fizeram os gols da virada da Cabofriense. Pelo que li, o resultado não foi justo, visto que o Flu pressionou muito o time da casa. Mesmo assim, ainda acredito no time de René Simões.

- E O Flamengo foi presenteado com três pontos contra a Friburguense. Onde o auxiliar Luiz Antonio Muniz de Oliveira estava para ver aquele impedimento? Não vou culpar o árbitro Leonardo Garcia, apesar do mau posicionamento no lance. O meia Vitor Hugo estava tão atrás que, como diria Fernando Fernander, da Band, "pegou um táxi para chegar". E o gol poderia dar os três pontos a equipe de Friburgo. O destaque do jogo foi o goleiro Adriano, que pegou tudo. Menos permitir o desvio de cabeça de Everton, que fez sobrar limpa para Juan marcar.

- Os resultados da primeira rodada do Carioca: Grupo A (além dos jogos de Fluminense e Vasco) - Madureira 1x1 Resende (Adriano Felício/M e Bruno Meneghel/R); Duque de Caxias 1x1 Tigres (Edivaldo/DQ e Clayton/T) ; Grupo B (além dos jogos de Flamengo e Botafogo) - Macaé 2x0 Volta Redonda (Jackson fez os dois); Mesquita 3x1 Bangu (Fabrício, Nil e Nino/M e Bruno Luiz/B). Só para constar, hoje as semifinais da Taça Guanabara seria entre Cabofriense x Macaé e Mesquita x Americano. Será?

sábado, 24 de janeiro de 2009

Mini-guia do Carioca 2009

Começa hoje o mais elegante campeonato estadual do país. O Campeonato Carioca 2009 terá ingredientes especiais: o Flamengo buscando o tri, o Fluminense tentando voltar a ser o clube mais vezes campeão, o Botafogo querendo quebrar a sina de "quase" e o Vasco se reerguendo depois da queda para a Série B do Brasileiro. Além disso, teremos a volta do Bangu, os jogos no interior (a melhor notícia!) e muitos, mais muitos "dinossauros" e rostos conhecidos do torcedor espalhados pelos clubes pequenos.

O Carioca 2009 segue o mesmo regulamento de sempre. São dois grupos e dois turnos: na Taça Guanabara, o primeiro turno, com os clubes se enfrentando dentro do próprio grupo; na Taça Rio, o segundo turno, os grupos se cruzam. Em ambos os turnos, classificam-se dois de cada chave, onde teremos semifinais e final em partidas únicas. O campeão da Taça Guanabara enfrenta o da Taça Rio, logicamente se não o mesmo que levar os dois, pois já fica com o caneco.

Segue a rápida análise dos clubes:

Grupo A

Americano: Time que sempre complicou para os grandes em Campos, busca voltar aos velhos tempos de surpresa. O time será comandado pelo técnico Paulo Marcos e é bem organizado em campo. Tem bons jogadores, como o volante Dejair, o zagueiro Anderson e o experiente meia Rondinelli, que já atuou pelo próprio clube. Merece atenção.

Cabofriense: Com uma equipe jovem, tendo média de 23 anos de idade, o tricolor de Cabo Frio será comandado pelo técnico Ademir Fonseca. Tem como conhecido no elenco Da Silva, jogador que já atuou pelo Flamengo.

Duque de Caxias: Recém-promovido para a Série B do Brasileiro, o time é comandado pelo técnico Marcelo Buarque. Um dos destaques da equipe é o atacante Edivaldo, que já atuou pelo Botafogo, e terá a companhia de bons jogadores como os meias Léo Oliveira e Alberoni. Olho no tricolor da Baixada.

Fluminense: Com várias contratações, o técnico René Simões quer fazer o Flu voltar a ser campeão estadual. Tem em mãos um grande elenco, com grandes jogadores como o atacante Leandro Amaral, o meia Conca, o lateral-esquerdo Leandro e o volante Diguinho, além dos jogadores que tiveram um bom 2008, como Fernando Henrique. Entra no Carioca como grande favorito, mesmo com um possível desentrosamento no começo.

Madureira: Melhor time do interior ano passado e campeão da Taça Rio em 2006, o Madureira quer ir além e chegar novamente nas finais. Para isso, trouxe de volta o técnico Alfredo Sampaio e tem como destaques os meia Abedi, ex-Vasco e Botafogo, e Adriano Felício, e os atacantes Fábio Oliveira e Alex Alves, que se destacou pelo Botafogo e Portuguesa. Para mim, é o time que pode desbancar um dos grandes no grupo.

Resende: Confesso conhecer muito pouco do time que vem para o Carioca. O que se sabe é que o veterano Viola será a estrela do time comandado por Antônio Carlos Roy. A meta é conseguir ao minímo uma vaga para a Série D do Brasileirão. A expectativa é boa para isso. É esperar pra ver.

Tigres: Um jovem clube com estrutura de time grande. É o que se pode falar desse recém-promovido para a primeira divisão do Carioca. Além da ótima estrutura tem um clube empolgado, comandado pelo treinador João Carlos e com os experientes Yan, meio-campista ex-Vasco e Flu, e Sorato, atacante rodado por vários clubes. Fica a expectativa de conhecer esse clube, que parece ter um grande futuro.

Vasco: Entre os grandes, o time da Colina vai ser o "franco-atirador". É um novo time sob comando do bom Dorival Júnior. O objetivo da temporada não é o Carioca, mas o time pode surpreender muita gente. Os destaques da equipe ficam por conta dos "garotos-problema" Léo Lima e Carlos Alberto, mas vale ficar de olho no lateral Fágner e no atacante Rodrigo Pimpão.






Grupo B

Bangu: É sempre bom ver um time tradicional de volta. O Bangu, vice-campeão Brasileiro em 1985, volta para a elite carioca após o títula na Divisão de Acesso. O time pode dar trabalho, mas provavelmente lutará apenas para permanecer na elite. O principal jogador do time é o volante Douglas Silva, ex-Atlético/PR e Flamengo, mas vale um olhar sobre o meia Paulo Roberto e o atacante Bruno Luís. O técnico será Edson Souza.

Boavista: O time mantém boas atuações desde que chegou a elite e pode ser até roubar um lugar dos grandes. O técnico Júlio Marinho tem em mão um bom elenco, com experientes jogadors como o goleiro Sílvio Luiz, ex-São Caetano, o volante Cocito, ex-Atlético/PR, e o meia Rodrigo "Beckham", ex-Botafogo. Alêm deles, juntam-se o meia Têti e o zagueiro Santiago. Um bom time que dará trabalho.

Botafogo: Um novo Botafogo é o que o torcedor alvinegro deve esperar. O que não significa um time fraco. Para quebrar a sina de sempre ficar no "quase" e voltar a ser campeão, o técnico Ney Franco promete um time rápido e bem postado taticamente. Os destaques são o retorno do zagueiro Juninho, o volante Batista e os atacantes Victor Simões e Reinaldo. Um time que ainda precisa de entrosamento, mas é um grupo que pode dar trabalho. Mas não entra como favorito.

Flamengo: Com a mesma base de 2008, o rubro-negro entra em busca de mais um tri. Comandado por Cuca, o time tem potencial para isso e entra como um dos favoritos. São poucas novidades no elenco, como o meia Zé Roberto, ex-Botafogo, e o volante Willians, do Santo André. O resto são os mesmos destaques: Ibson, Léo Moura, Juan, Fábio Luciano e, claro, o folclórico Obina. Com um time que começa o ano entrosado, diferente dos principais rivais, pode fazer disso a grande diferença.

Friburguense: Lutar para não cair é a meta do Friburguense. Com um time modesto e sem nenhuma estrela, a equipe será treinada por Cleimar Rocha. Entre os poucos destaques estão o zagueiro Cadão e o atacante Ziquinha.

Mac: O time não poderá atuar em casa e mandará os jogos em Araruama, o que pode atrapalhar. Tem um bom treinador (Dário Lourenço) e mescla bem jovens e experientes, como o goleiro Lugão, ex-Volta Redonda, e os atacante Roma, ex-Flamengo, e Léo Macaé. Também tem bons jogadores como o meia Gláuber. Tenta uma vaga na Copa do Brasil e na Série D.

Mesquita: A equipe que quase caiu ano passado tenta dias melhores. Para isso, o time dirigido por Rubens Filho terá o experiente meia Esquerdinha, ex-São Caetano, como líder em campo. Resta saber se dará certo.

Volta Redonda: Outro que quer voltar a ser a pedra no sapato dos grandes e chegar novamente a uma final. O técnico Aílton Ferraz tem em mãos um elenco reformulado e com o zagueirão Júnior Baiano como grande estrela. Jogar em casa, no Raulino de Oliveira, voltará a ser uma grande arma. Olho no Voltaço!

Esses são os clubes que tentarão o caneco ou pelo menos um lugar ao sol. O grande destaque é a volta dos times grandes ao interior do estado, levando alegria aos torcedores e aumentando as chances dos "pequenos" surpreenderem.

Para mim, Fla e Flu entram como favoritos. Mas ainda vejo ou Bota ou Vasco dando muito mais trabalho do que imaginam. É esperar pra ver.

Segue a primeira rodada: sábado - 16h, Macaé x Volta Redonda; Mesquita x Bangu; Madureira x Resende; Boavista x Botafogo; 18h15, Vasco x Americano; 20h30, Duque de Caxias x Tigres; domingo - 17h, Flamengo x Friburguense; 19h15, Cabofriense x Fluminense.

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Abertura do Paulistão

O Paulistão 2009 começou assim para os grandes: para Santos e Palmeiras, muito bom. Já Corinthians e São Paulo tiveram uma estréia em nível bom, mesmo com os empates em casa. Como isso? A frase de Muricy Ramalho na coletiva após o jogo contra o Ituano explica: "vocês (jornalistas) observam resultados. Eu vejo futebol e sei que meu time foi bem". Pelo interior, destaque para as estréias de Guarani e Bragantino. Vamos aos jogos:

- O Palmeiras teve uma vitória magrinha sobre o Santo André, em Ribeirão Preto, por 1 a 0. Porém, um resultado de extrema importância por dois motivos: primeiro porque ameniza as derrotas na pré-temporada e dá moral ao grupo; segundo porque cala os cornetas, que sem motivo fizeram barulho até agora contra a diretoria. O time não foi uma maravilha, a defesa ainda falha demais e o ataque se atrapalhou muito. Porém, enfrentou um bom time e conseguiu importantes três pontos.

Vale destacar a atuação de Pierre, sempre guerreiro, Cleiton Xavier, autor do gol e quem criou a maioria das jogadas de perigo do time, e Lenny que, mesmo sem fazer gols, se movimentou bem, deu a assistência para Xavier. O Santo André jogou muito bem, mas deu muito espaço nas laterais. Mesmo assim, deve dar trabalho para muita gente grande.

- Não acompanhei a estréia do São Paulo, mas pelo pouco que vi, o empate foi extremamente injusto. O Ituano veio para jogar atrás e achar um gol e conseguiu isso. O tricolor pecou pelo preciosismo nas finalizações. Ao que me disseram, grande atuação de Hugo, que fez o gol são-paulino. O gol do time de Itu foi de Miranda, contra.

Voltando ao que disse Muricy na coletiva: o Paulista será um laboratório até o time entrar em forma e o que vale é o time evoluir. Jogou bem e teve azar. Coisas do futebol.

- Nos outros jogos de quarta-feira, o Mirassol venceu o Mogi-Mirim, fora de casa, por 2 a 0, com dois gols de Acleisson; Oeste e Ponte Preta empataram em 0 a 0; o São Caetano também venceu fora de casa, batento o Marília por 2 a o, com gols de Tuta e Vandinho; o Paulista venceu o Noroeste, em casa, por 2 a 0, com gols de Freira e Maizena; e o Guarani bateu a Portuguesa por 1 a 0, com gol de Fernando Gaúcho.

- No Pacaembu, o Corinthians era o franco favorito no confronto contra o Barueri. Só esqueceram de avisar o adversário. Que bela partida fizeram os visitantes. Marcando bem, explorando a afobação corintiana e jogando pelos lados do campo, aproveitando cada espaço adversário. Foi assim que fez o primeiro gol. Outro ponto positivo do time de Barueri: Pedrão, que já se destaca há algum tempo pelo time e mostra cada vez mais que sabe fazer gols. Marcou os dois no empate. Olho nele.

Já o Corinthians foi muito afobado, querendo matar o jogo logo. Começou a se irritar com a boa marcação adversária e bateu demais, principalmente Elias. Aliás ele, Alessandro e Cristian fizeram uma partida muito ruim. Douglas foi apagado e Souza foi "Souza", esperando cair no pé. Depois que Pedrão fez o segundo gol, de pênalti, o time jogou como Corinthians: na pressão, na raça e no sufoco. Deu certo. "Achou" um pênalti, bem convertido por Chicão e um gol no finalzinho com Jorge Henrique, completando o cruzamento de Otacílio Neto. Por pouco que Souza não virou no finalzinho, gol esse que foi salvo por um verdadeiro milagre feito pelo goleiro Renê. O placar em 2 a 2 foi de certa maneira justo, porque o empate parecia mais real pela partida feita por ambos. E o Barueri deu provas que não será só mais um no Paulista esse ano.

- O Santos jogou fácil contra o Guaratinguetá. O adversário tem até um bom time, mas falta muito ainda. As armas mortais do Peixe foram Madson, que fez uma grande partida, principalmente no primeiro tempo, Lúcio Flávio, que provou que será mesmo o maestro do time, e o bom e velho Kléber Pereira, que fez os dois gols do jogo. O que se viu foi um Santos bem organizado em campo e usando bem as laterais. No segundo tempo ficou claro o cansaço, mas mesmo assim, deu para garantir os três pontinhos.

- O Bragantino bateu o Botafogo, em Ribeirão Preto, por 4 a 2 e é, por hora, o líder do Paulista. Os gols do jogo foram marcados por Pará (2), Malaquias e Danilo Bueno para o Braga, e Thiago Silvy e Frontini para o Bota.

Muita coisa vai rolar ainda, mas deu para sentir a primeira impressão de cada time. Porém, nada melhor que a paciência

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Santos 2009

O torcedor santista teve um 2008 sofrível. E isso já era esperado desde o começo, visto pelas contratações duvidosas e uma "louca" aposta nas categorias de base. Já 2009 começa muito diferente. Boas contratações, a manutenção dos principais atletas do elenco e do técnico Márcio Fernandes fazem do Santos uma das apostas para brigar por títulos. O que é melhor: entra sem pressão da imprensa e da torcida, que apenas não quer sofrer tanto como no ano passado.

O grande problema pode ser a saída de Kléber. Apesar de não vir jogando bem, é bom jogador. Fora ele, quem saiu não foi nada demais. Talvez Bida, bom volante que retornou ao Vitória após empréstimo, ou Wendel, que voltou ao Palmeiras. Mas nada que não seja substituível. Dos reservas, tem mais gente que podia sair para dar uma "enxugada" na folha salarial do time.
Já os reforços, foram muito bem escolhidos. Chegaram o lateral-esquerdo Triguinho, do Botafogo; o zagueiro Paulo Henrique, do Goiás; o jovem lateral-direito Luizinho, do Flamengo; o volante Germano, ex-Londrina e que estava no Japão; o meia Madson, vindo do Vasco; e Roni, atacante ex-Flu e que também vem do Japão. Fora os ótimos meias Lúcio Flávio, ex-Botafogo, e Bolaños, ex-LDU. Também volta Léo, lateral-esquerdo que estava no Benfica, mas que ainda não se sabe em que nível chega.
Márcio Fernandes ainda tem a desconfiança de muitos torcedores, mesmo com o bom trabalho no limitado time que tinha em mãos, no Brasileiro ano passado. Ele deve mandar a campo o time no 4-4-2, com Fábio Costa; Luizinho, Adaílton, Fabiano Eller (Paulo Henrique) e Léo (Triguinho); Roberto Brum (Germano), Rodrigo Souto, Mádson (Molina) e Lúcio Flávio; Bolaños (Roni) e Kléber Pereira. Muito melhor que o do ano passado. Muito melhor mesmo.

Fábio Costa é ótimo goleiro e deve ficar no Santos até encerrar a carreira. Luizinho ainda não teve como mostrar seu futebol, devido ser reserva de Léo Moura no Fla. Terá sua grande chance, embora que não deva ser a solução. A zaga com Adaílton e Fabiano Eller não é ruim, mas Paulo Henrique é melhor que os dois. O grande problema é aquela velha palavra: irregularidade. Tem jogo que vão bem, tem jogo que não. Léo na esquerda ainda é uma incógnita. Ele foi mal no Benfica e não é nem sombra do Léo que arrebentou em 2002. Ainda fica a dúvida. O mesmo serve para Triguinho, que precisa voltar a ser o bom lateral do tempo de São Caetano.
O meio campo é bom. Roberto Brum é o mais fraquinho e deve dar lugar a Germano, que tem raça e boa pegada. Rodrigo Souto espera o julgamento do caso de doping que foi pego ano passado. Se for absolvido, tem toda a qualidade de saída de bola que um volante precisa no futebol moderno. Na criação, Madson não deve ser titular por muito tempo. Penso que Molina é muito melhor que o baixinho. Madson é muita correria, disposição. Molina tem qualidade, posicionamento, toque de bola. Ao lado de um deles, estará o cérebro que faltava ao Peixe: Lúcio Flávio. O velho camisa 10, tão raro no futebol. Arma, tem visão de jogo, bate bem na bola e bom passe. Deve ser o grande nome dessa equipe.
No ataque, o artilheiro Kléber Pereira finalmente ganhou um parceiro à altura. Seja Bolañou ou Roni, o Santos finalmente terá uma "dupla de atacantes", e não um jogador que carrega o time todo no ataque. Porém, deve ser destacado que Bolaños não é atacante, e sim meia. Pode dar certo se exercer uma função parecida com a que Alex exerce no Inter. Porém, tanto ele como Roni serão parceiros ideais a Kléber Pereira, pois ambos caem para os lados, deixando Pereira como o centroavante.
Um Santos animador para a torcida. Vale dize que ainda falta um zagueiro mais confiável e um lateral-direito, que pode ser Élder Granja. Mesmo assim, esse blogueiro aposta o Peixe como grande surpresa nas competições e irá muito mais longe que todos pensam. Tem qualidade no meio campo e um ataque perigoso. É esperar pra ver.

Internacional 2009

O Internacional completa em 2009 o seu centenário. Mais uma vez, o Colorado começa o ano com poucos reforços e com uma equipe formada durante o Brasileirão do ano passado. Também começa mais um ano como grande favorito para as competições que irá disputar e com um dos melhores elencos do Brasil. Só não pode deixar acabar mais um ano montando o time para a próxima temporada, e nem seguir o exemplo de tantos clubes que passam o ano do centenário a "ver navios".

O ponto positivo foi manter os principais jogadores. A única perda importante foi a saída de Edinho, volante que deve ser anunciado no Lecce, da Itália. Fora ele, ninguém de peso saiu. Apenas aquela boa galera que diminui a folha salarial, como os colombianos Orozco e Bustos, e o meia-atacante Daniel Carvalho. Segurar Nilmar e Alex foi um ponto positivo, mas a pergunta que fica é: até quando? Será que eles permanecem mesmo após a janela européia do meio de ano? É esperar pra ver.

Quem chegou, vêm para brigar pela vaga de titular. Giuliano, meia-atacante vindo do Paraná, tem potencial para substituir Alex; Marcelo Cordeiro, um dos destaques no Vitória pelo Brasileirão, chega como titular da lateral-esquerda; Glaydson, volante que chega do São Caetano, brigará para ser o substítuto de Edinho; o lateral-direito Arílton, revelação do Coritiba; e o goleiro Michel Alves, ex-Juventude, tem potencial para disputar a vaga com Lauro. Além deles, o time anunciou o atacante Alecsandro, ex-Cruzeiro, e deve oficializar a chegada do lateral-esquerdo Kléber, ex-Santos. Todas peças de nível bom.

O técnico Tite deve manter a base de 2008, como já dito acima. O provável colorado virá no 4-4-2, com Lauro (Michel Alves); Bolívar, Indío (Sorondo), Álvaro e Marcelo Cordeiro (Kléber); Paulinho (Glaydson), Magrão, Guiñazu e D'Alessandro; Alex e Nilmar. Um time excelente, que deve jogar num meio campo em formato de losango, com Magrão e Guiñazu um pouco a frente de Paulinho e deixando D'ale solto.

O goleiro Lauro fechou o ano em alta, deixando o experiente Clemer no banco e com moral após o título da Sul-Americana. Agora, terá a sombra do bom goleiro Michel Alves. Na direita, Bolívar deve seguir por lá, onde não foi mal em 2008. A zaga formada por Indío e Álvaro é boa, mas muitas vezes irregular. As opções Danny Moraes e Sorondo podem solucionar isso. Na esquerda, Marcelo Cordeiro foi muito bem no Vitória e agora terá que provar sua qualidade no Inter. Pode acabar na reserva, caso Kléber venha mesmo para o Beira-Rio. E que Tite não venha com Gustavo Nery.

O meio-campo é forte, mas deve sentir a falta de Edinho, ex-capitão do clube. O garoto Paulinho parace ser o escolhido por Tite para fazer a função de cabeça-de-área, com a opção de ter Glaydson e Rosinei para a posição. Magrão é bom, mas precisa aparecer mais em algusn jogos. Guiñazu é fantástico: tem raça e qualidade em boa sintonia. A responsabilidade de municiar o ataque fica a cargo do "El Cabecón" D'Alessandro. É craque, como ninguém no Brasil. Sem mais.

O ataque deve ser Alex e Nilmar, mas apenas até o meio do ano. Alex fez um ano de 2008 fantástico, o melhor de toda carreira. Isso se deve a posição de atacante, qual desempenhou muito bem, com velocidade, habilidade e boa finalização. Tem muita gente grande interessado nele, e por isso seus dias no Beira-Rio não são longos. Nilmar vive a mesma situação. Agora que as contusões parecem ter deixado o jovem atacante de lado, o 9 do Inter tem tudo para voltar a Seleção. É um dos melhores atacantes no Brasil. Caso os dois venham a sair, Giuliano e Alecsandro serão os prováveis substitutos. Giuliano é uma grande aposta. Tem muitas qualidades parecidas com a de Alex. E Alecsando não é nenhum craque, mas sabe fazer gols. Já provou isso no Vitória e no Cruzeiro.

Tite tem um grande elenco em mãos. Se manter o futebol apresentado na Copa Sul-Americana, o Inter tem tudo para levar titulos no seu centenário. O problema fica para depois de junho. Aí é outra história. Mas, deixo claro: a Copa do Brasil e o Gauchão tem o Inter como grande favorito.

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Mini-guia do Paulistão

Começa quarta-feira, dia 21, o Paulistão 2009. Esse que deve ser um dos mais disputados dos últimos anos. Os times se reforçaram muito bem, teremos grandes artilheiros, velhos conhecidos e, com certeza, muita alegria para o torcedor. Todos querendo repetir o gesto do Palmeiras em 2008.

Segue um "mini-guia", analisando brevemente os 20 clubes do Paulistão.

Barueri: Recém-promovido a Série A do Brasileirão, o time tem uma "novidade": três técnicos. No banco, ficará Toninho Moura, e terá o auxílio de Luis Carlos Goiano e Diego Cerri. É o tipíco time "arrumadinho", com a mesma base de 2008 e que tem sua grande força no ataque. Os destaques vão para os atacantes Basílio (ele mesmo!) e Pedrão, o meia Xuxa e o zagueiro João Leonardo. Lembro que a equipe foi campeã do Interior ano passado e podem dar muito trabalho. Merece atenção e pode ir longe.

Botafogo: Tradicional clube do Estado que volta à elite, o Botafogo vai, a princípio, buscar não cair. Embora que o elenco é regular e experiente. São vários conhecidos da torcida: o goleiro Paulo Musse, o volante Augusto Recife, o atacante Frontini, o volante Jonílson (ex-Vasco) e o meia Walter Minhoca (lembra dele?), comandados por Arthur Neto. Não deve ir além do meio da tabela.

Bragantino: Mais um que manteve a base do ano passado, o Braga tentará dar trabalho aos grandes. Para isso, os mesmos de sempre: o técnico continua sendo Marcelo Veiga, que ainda terá os volantes Moradei e Somália (que atuará como ala-direito), e os atacantes Nunes e Malaquias como esperanças. Aliás, Nunes é o grande nome desse time. E, para não fugir à regra, tem seus "dinossauros": Paulinho Kobayashi e Sérgio Manoel. Vai dar trabalho, mas não muito.

Corinthians: Um dos mais badalados clubes, devido a presença de Ronaldo. Mas, não é favorito por isso. Tem um ótimo time em mãos, a base do ano passado e uma torcida louca por títulos. Assim é o Corinthians 2009: muito mais que Ronaldo. Os destaques ficam por conta do lateral André Santos e do fantástico meia Douglas, além do técnico Mano Menezes. Olho em Jorge Henrique, que não veio para ser reserva. E, lógico, fica a expectativa em ver Ronaldo jogando. Tudo isso faz do Timão favorito ao título.

Guarani: Buscando voltar aos velhos tempos, o Bugre começa 2009 animado após a volta à Série B do Brasileirão e quer fazer bonito desde o Paulistão. O técnico Luciano Dias terá a disposição o veterano Amoroso, que volta ao time depois de vários anos e clubes na carreira. É o grande nome desse time, que terá no ataque a companhia do bom Fernando Gaúcho. É um time muito reformulado, teve 15 reforços e vários saíram. Incógnita.

Guaratinguetá: Esqueça o Guará de 2008. Aquele time que liderou o Paulistão do ano passado e chegou as semifinais, caindo frente à Ponte Preta não é sombra desse time de 2009. No comando, o ex-xerife Argel, que contará com vários jogadores conhecidos (como quase todos os clubes): o lateral-direito Jamur (ex-Londrina), os meias Guaru (ex-Santos) e Ricardinho (ex-Palmeiras, Botafogo e Vitória), e os atacantes Douglas (ex-Santos), Wellington Amorin e o rodado centroavante Rodrigão. Porém, o grande destaque fica por conta dos remanescentes: o meia Nenê, o zagueiro Renato e o volante Ale. Mesmo sendo um time bem diferente, eu ainda aposto que o Guará vai brigar de novo para ficar entre os quatro. O grande problema é a falta de entrosamento.

Ituano: Mesmo com a ajuda da Traffic, o Ituano é candidato a não ir muito longe no Paulistão. Comandado pelo novato Vinícius Eutrópio, os destaques são o experiente goleiro Alexandre Faváro, e os atacantes Alex Afonso, que volta ao clube, e o jovem e bom atacante Anderson Aquino, que tem tudo para ser o "cara" da equipe. Mesmo assim, nada animador.

Marília: Rebaixada para a Série C do Brasileirão, o MAC terá que se cuidar para não enfrentar um novo rebaixamento. O time apostou mais em desconhecidos e promessas, como o goleiro paraguaio Antony, ex-Talleres/ARG e o atacante Gílson, do Iraty. Os mais conhecidos do clube são o zagueiro Régis, ex-Flu e São Paulo e o meia Fabiano Gadelha, que já está um bom tempo no time. Muito pouco para o técnico João Martins ir longe.

Mirassol: Depois de uma boa campanha em 2008, o time comandado por Roberval Davino tenta fazer bonito novamente. Para isso, o de sempre no interior: reforços conhecidos e/ou experientes. Chegaram o goleiro Mauro, ex-Santos e Paraná, o jovem lateral-esquerdo Carlinhos, que veio por empréstimo do Santos, e os atacantes Luís Ricardo, ex-Ponte, e Finazzi (é, ele mesmo). Além deles, vale ficar de olho no lateral Alex Silva e no volante Júnior Maranhão. A idéia é conquistar uma vaga na Série D, o que não deve ser difícil para o clube.

Mogi-Mirim: Com o pentacampeão Rivaldo como presidente do clube, o Sapão volta a elite paulista para, no minímo, não cair. Tarefa para o técnico Gélson Silva, que terá como grande estrela do time o experiente meia Giovanni, ex-Santos. Além dele, vale destacar o goleiro Fabiano Heves, o zagueiro Neguette e o atacante Leandrinho. Comparando a outros clubes, é pouco. Mas, pode escapar.

Noroeste: O time quer voltar a dar trabalho aos grandes e chegar longe no Paulistão. Para isso, o clube de Bauru, comandado por Ruy Scarpino, tem um bom time. Sem "medalhões", mas com jogadores rodados e com boa qualidade. Destaques para o zagueiro Bonfim, o meia Luciano Bebê e, principalmente os atacantes Careca, vindo do Corinthians, e Marinho, ex-Atlético-MG. O Noroeste merece muita atenção e pode novamente fazer bonito.

Oeste: Buscando fazer de sua casa a grande força, o time de Itápolis tem como treinador um velho conhecido dos torcedores aqui da minha cidade, Londrina. É Roberto Fonseca, grande nome desse time e responsável pelos dois últimos acessos do clube. Em campo, um time sem estrelas, mas bem entrosado e arrumado em campo. Os nomes mais conhecidos foram bons reforços para o time: o goleiro Gottardi, ex-Lusa, o lateral-direito Filipi e o volante Dionísio, ambos vindos do Santos, e o atacante Daniel, ex-Corinthians. Olho no Oeste.

Palmeiras: Atual campeão paulista, o time que entra em campo não parece ser tão bom quanto o de 2008, comandado por Valdívia. Desta vez, a equipe terá a disputa da Libertadores, o que pode fazer o time deixar meio de lado o Paulista. Mesmo que colocasse toda a sua atenção, hoje, com o elenco em mãos, não entra como favorito, mas como alguém que pode chegar. A aposta foram nas grandes revelações do Brasileirão: o zagueiro Maurício, do Coritiba, o meia Cleiton Xavier, do Figueirense, e os ótimos atacantes Marquinhos, do Vitória, e o artilheiro e novo camisa 9, Keirrison. Somados ao experiente goleiro Marcos e ao meia Diego Souza, o fato é: se não for atrapalhado por causa da Libertadores e chegar nas semifinais, o título pode ficar no Palestra.

Paulista: Em 2009, o Galo comemora seu centenário, o que sempre é um grande perigo no Brasil. Ano de centenário nem sempre trás boas coisas. O Paulista precisa fazer uma boa campanha para apagar o desempenho pífio dos últimos dois anos. No banco, o experiente Luis Carlos Ferreira terá um elenco mediano, sem nomes muito conhecidos e que chegou recentemente. Os nomes do time são os meias Francisco Alex, prata do São Paulo, Alex Oliveira, rodado por vários clubes. e o atacante Léo, que despontou no próprio Paulista, no título da Copa do Brasil. em 2005. É difícil esperar que o clube ao menos consiga uma vaga para a Série D. Se escapar do rebaixamento, já estará de bom tamanho.

Ponte Preta: Atual vice-campeã, a Macaca quer repetir o bom Paulista do ano passado e chegar novamente entre os quatro. O técnico é Sérgio Soares, que conseguiu o acesso do Santo André para a Série A do Brasileirão. Alguns jogadores continuam no clube, como o goleiro Aranha, o volante Bida e o maestro do time no ano passado, o meia Renato. Junto a eles, soma-se o atacante Leandrinho e o atacante argentino Gustavo Savóia. Muito além do Paulista, a Ponte tem como meta subir novamente a Série A do Brasileiro. Então, o estadual deve ser apenas um laboratório.

Portuguesa: A Lusa tenta juntar os cacos da queda para a Série B do Brasileiro e recomeçar o projeto para subir novamente. O time é bem organizado, comandado por Estevam Soares, que deu qualidade ao clube no ano passado. Os destaques são vários, desde os experientes com os laterais César Prates e Athiron, e o atacante Christian, até os bons remanescentes como o zagueiro Bruno Rodrigo, e os meias Edno e Fellype Gabriel. Olho na Lusa, que pode beliscar um vaguinha nas semifinais.

Santo André: promovido a Série A do Brasileiro, o time do ABC é só alegria. A expectativa é fazer um bom 2009, a começar pelo Paulista. O time será comandado por Sérgio Guedes, vice-campeão paulista com a Ponte no ano passado. No time, os experientes Marcelinho Carioca e o eterno volante Fernando terão boas companhias, como Dininho, zagueiro ex-Palmeiras e Flamengo, Élvis, meio-campista autor do gol que deu o título da Copa do Brasil ao Santo André, e o atacante boliviano Pablo Escobar, vindo do Ipatinga e que merece atenção. O ponto negativo foi o grande desmanche que o time sofreu nesse começo de ano. Porém, o time deve começar a mostrar sua cara.

Santos: No estilo "mineiro", o Santos é a grande aposta desse blogueiro que vos escreve. O time foi bem montado, manteve as peças principais e se reforçou bem. Com isso, coloco o Peixe como um dos favoritos ao título Paulista. Os bons Fábio Costa e Kléber Pereira ganham a companhia do meia Lúcio Flávio, do experiente atacante Roni e do meia-atacante Bolaños, além do experiente lateral Léo, que retorna ao clube. Para o técnico Márcio Fernandes, falta apenas um bom lateral-direito. Mesmo assim, o Peixe vêm com tudo para ser campeão.

São Caetano: Voltar a ser o velho "Azulão" não será fácil, mas é a missão. Para isso, o comando fica com Osvaldo Alvarez, o Vadão, que terá a base do time de 2008 somado a alguns reforços. Chegam o lateral Iran, ex-Corinthians e Botafogo, os zagueiros Marco Aurélio e Everaldo. Esses se juntam ao bom trio de frente formado por Vandinho, Luan e Tuta. Pode não chegar as semifinais mas, como sempre, dará trabalho.

São Paulo: Com a pinta de "todo-poderoso", o atual campeão Brasileiro não tem o Paulista como prioridade, que será dada logicamente à Libertadores. Porém, o grupo é forte o bastante para ir bem em ambas competições. Os reforços Washington, Júnior César, Arouca, Wagner Diniz e Eduardo Costa somam ao elenco tricampeão brasileiro. Com tudo isso, o time do técnico Muricy Ramalho não terá muito trabalho para chegar as semifinais. Mas ser campeão é outra história.
A primeira rodada será formada pelos seguintes jogos:
Quarta-Feira, 21: 16h30 - Santo André x Palmeiras; 19h30 - Mogi-Mirim x Mirassol; São Paulo x Ituano; Marília x São Caetano; Paulista x Noroeste; Oeste x Ponte Preta; 21h30 - Guarani x Portuguesa;
Quinta-Feira, 22: 19h30 - Corinthians x Barueri; Botafogo x Bragantino; 21h30 - Santos x Guaratinguetá;
Façam suas apostas.

domingo, 18 de janeiro de 2009

Grêmio 2009

Depois do vice-campeonato brasileiro, para muitos surpreendente, o Grêmio começa bem o ano de 2009. O time continua não sendo nenhuma maravilha e faltam algumas peças, mas é um grupo de pegada. Lembrando sempre que o grande foco do clube está, logicamente, na Libertadores e pode sim repetir a campanha de dois anos atrás, onde foi vice-campeão com um time tido como fraco para muitos.

A base da boa equipe do ano passado se manteve, principalmente as principais peças: o goleirão Victor, o zagueiro Léo e o meia Tcheco. Eles agora se juntam a bons reforços e podem fazer o técnico Celso Roth conseguir novamente surpreender a muitos. Roth, aliás, que terá novamente que enfrentar a desconfiança da torcida e de muita gente para se manter no cargo.

O time perdeu poucos jogadores. O principal que saiu foi o ótimo volante Rafael Carioca, para o Spartak Moscow/RUS. Além dele saíram o lateral-direito Paulo Sérgio, os zagueiros Pereira e Jean, e os atacantes Soares e Marcel. Nada demais. De bom mesmo, só saiu Carioca.

Os que chegaram são melhores e podem fazer do Grêmio muito mais competitivo. Conseguiu fechar bem algumas posições carentes, como a lateral-direita, agora de Ruy, vindo do Náutico, e a lateral-esquerda, onde Jadílson e Fábio Santos, ambos ex-Cruzeiro e São Paulo brigaram por uma vaga. E o ataque fica muito mais bem servido com a chegada do artilheiro Alex Mineiro, vindo do Palmeiras. Também chegaram os zagueiros Rafael Marques, do Goiás, e Fábio Ferreira, do Corinthians, além do bom volante Diogo, do Figueirense.

Com tudo isso, Celso Roth pode escalar a equipe em duas formações diferentes. No 3-5-2, o time provável é Vítor; Léo, Réver e Rafael Marques; Ruy, Wiiliam Magrão, Souza, Tcheco e Jadílson; Reinaldo (Perea) e Alex Mineiro. Se mudar para o 4-4-2, Rafael Marques daria lugar a Orteman ou Diogo.

No gol, Victor mostrou ser muito bom goleiro e é dono absoluto da camisa 1. Na direita, Ruy supre bem a saída de Paulo Sérgio, mas atua melhor como ala. Precisa apenas melhorar o cruzamento e a marcação. A zaga formada por Réver e Léo é segura e muito boa. Rafael Marques é, digamos, médio. E Fábio Ferreira precisa mostrar que sabe jogar. Na esquerda, Jadílson vem atuando bem faz algum tempo e deve assumir a esquerda, com Fábio Santos como sombra. Uma defesa compacta.

No meio, William Magrão tem tudo para se firmar como um dos bons volantes brasileiros. Sabe marcar e sair jogando, como volante "moderno". Ao seu lado, Souza fará o papel de "curinga", caindo mais pela direita quando o time jogar no 4-4-2 e dando mais saída de bola ao time. Tcheco segue sendo o cérebro e líder do time. os três tem vaga cativa na equipe, e podem ganhar a companhia de Orteman, que ainda não teve muitas oportunidades de provar seu futebol, ou do bom volante Diogo.

No ataque, Alex Mineiro será a grande referência. Sabe fazer gols, tem bom posicionamento e joga bem, apesar da queda de produção no fim do Brasileiro com o Palmeiras. Só que precisa de alguém mais regular como companheiro de setor. Perea é bom atacante, mas muitas vezes some no jogo. O mesmo acontece com Reinaldo. Ainda falta um bom atacante, principalmente que saiba cair mais pelos lados do campo.

Esse é o Grêmio 2009. Um time com uma boa defesa, um meio campo trabalhador e com bom toque de bola e um ataque perigoso. Ainda faltam um reserva para Ruy, um bom zagueiro para suprir uma provável saída de Léo, um camisa 10 para acompanhar Tcheco, além de um atacante. Como visto, não é um timaço. Mas é uma equipe com a cara do Grêmio. E quando isso acontece, o Imortal vai longe.

sábado, 17 de janeiro de 2009

Fluminense 2009

O Fluminense é, sem dúvida, o time que melhor contratou até agora. Com isso, começa mais um ano com um dos melhores elencos do Brasil, junto ao São Paulo e ao Internacional. Assim, o torcedor tem grandes esperanças que 2009 pode ser um ano muito melhor que 2008. E olha que o ano passado foi até que bom.

É claro que o time perdeu peças importantes, todos titulares e que fizeram uma temporada muito boa pela equipe, principalmente na Libertadores. Porém, teve capacidade de repor pelo menos em mesmo nível. Outro ponto positivo foi a manutenção de René Simões. Treinador do tipo "paizão" e psicólogo, que conquistou a confiança do grupo e pode fazer muito mais nesse ano.


A debandada foi considerável. Saíram quatro dos cinco bons jogadores da equipe: o lateral-esquerdo Júnior César, o volante Arouca e o atacante Washington foram todos para o São Paulo; e Thiago Silva, um dos melhores zagueiros brasileiros, foi para o Milan. Além deles, saíram o zagueiro Roger, dispensado, o volante Ygor, para a Portuguesa, e o atacante Somãlia, que foi ao Náutico.

Porém, René e a diretoria trabalharam bem para reforçar o elenco. Foram 11 reforços: o lateral-direito Mariano, do Atlético-MG; os zagueiros Xandão, do Guarani, e Cássio, do Avaí; o lateral-esquerdo Leandro, do Palmeiras; os volantes Jaílton, do Flamengo, e Diguinho, do Botafogo; os meias Masquinho, do Figueirense, Leandro Domingues, do Cruzeiro, e Leandro Bonfim, do Vasco; e os atacantes Leandro Amaral, do Vasco, e Roger, do Sport. Só faltou um goleiro para ser um time. Todos boas peças que buscarão vaga no time titular.

Com tantas opções, o técnico René Simões pode atuar tanto no 4-4-2 como no 3-5-2, mas sem mudar os 11 titulares. Isso se deve a Jaílton, que pode fazer a função de terceiro zagueiro. O provável time é: Fernando Henrique; Wellington Monteiro, Edcarlos, Luiz Alberto e Leandro; Jaílton, Diguinho, Leandro Domingues e Conca; Leandro Amaral e Roger. Sem mistérios.

Fernando Henrique está em alta com a torcida, e merece isso. Já vinha atuando bem, mas algumas falhas deixavam o torcedor ressabiado. Em 2008, fechou o gol e a grande fase o fez titular absoluto do time. Na lateral-direita, Wellington Monteiro segue no time, mas não é nada demais. Mariano tem bom potencial e pode roubar a vaga. Na zaga, Luiz Alberto segue capitão e chefe do setor, e terá agora a companhia de Edcarlos, o que ainda não me pega. Xandão é uma grata revelação do Guarani e pode ganhar o espaço. Na esquerda, Leandro é, se não melhor, no mesmo nível que Júnior César, e vem crescendo nas últimas temporadas.

O Flu tem hoje um meio-campo que mescla pegada, qualidade e velocidade. Jaílton deve ser o homem de combate, podendo atuar também como terceiro zagueiro. Diguinho foi um dos melhores volantes do Brasileirão, sabe roubar bem a bola e sair com qualidade. E sobra Fabinho, que cresceu na mão do atual treinador. Mais a frente, Leandro Domingues tem velocidade e sabe conduzir bem a bola, mas é muito irregular. Já o argentino Dario Conca é muito bom jogador. Digo sempre que o grande problema do argentino é a falta de mídia, porque saber jogar como ninguém. Só precisa chamar mais o jogo para si. E esse pode ser o seu grande ano. E Tartá e Maicon, garotos de Xerém, merecem espaço.

No ataque, Leandro Amaral volta para tentar fazer o que não pode no ano passado e tem agora a missão de ser o nome do ataque tricolor. Só que, diferente de 2008, não tem ao lado grandes nomes como Dodô e Washington. Tem Roger, que chega do acordo para liberar Arouca ao São Paulo. Além dele, René tem Ciel (!) e Alan, ex-Londrina e que já surpreendeu nos treinos e pode ganhar mais chances esse ano. Mas ainda falta um atacante.

Esse é o Flu 2009. Ainda faltam peças para a lateral-direita, um zagueiro experiente, um meia mais regular para atuar junto com Conca e um atacante. Para o ataque, se fala em Fred, do Lyon. Seria excelente. Mesmo sem essas peças, eu vejo o Flu como grande favorito para o Carioca e como candidato para levar a Copa do Brasil. Olho no tricolor!

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Flamengo 2009

Um "novo-velho" Flamengo. Apenas três reforços, e com a base de 2009 mantida. A grande diferença está em Cuca. Um técnico sedento por tíulos e querendo espantar a fama de "pé-frio" ou de "bonzinho demais". O grande mal de início de temporada é achar que todo time precisa se reforçar. Logicamente que isso é bom e muitas vezes necessário. Mas, manter uma base pe melhor ainda.

Do time comandado por Caio Júnior, saíram o volante Jaílton, que foi pro Flu, eDiego Tardelli, para o Atlético-MG, entre outros menos importantes. Chegaram do Santo André o zagueiro Douglas, o volante Willians, além do meia Zé Roberto, ex-Botafogo e vindo do Schalke 04.

A chegada mais importante foi Cuca. Foi a melhor escolha, entre outros comentados. Se a diretoria e a torcida tiver paciência, veremos um Flamengo forte. A idéia do treinador é aproveitar a base formada por Caio Júnior e dar chance a alguns "esquecidos".

A formaçao tática ainda não está definida. O Fla 2009 pode vir num 3-5-2, com Bruno; Aírton (Douglas), Fábio Luciano e Ronaldo Angelim; Léo Moura, Kléberson, Ibson, Zé Roberto e Juan; Marcelinho e Obina. Ou no 4-4-2, com Willians no lugar de um zagueiro, provavelmente Aírton, e com Ibson jogando mais solto.

A defesa é forte. Bruno é ótimo goleiro. Muito "mala", mas é bom goleiro. Léo Moura e Juan foram os jogadores que comandaram o time em 2008. Quando eles funcionaram, o time foi bem. Falta apenas um poder maior de marcação para ambos. E a zaga é firme, segura e experiente. Só não posso opinar sobre Aírton ou Douglas como terceiro zagueiro.

O meio-campo é técnico, mas de pouca marcação. Se for no 3-5-2, Kléberson e Ibson vão dar uma saída de bola muito boa, mas sem muito poder de marcação. Willians, Toró ou Jonatas podem fazer isso, dando maior liberdade aos dois. E o 10 da equipe será Zé Roberto. É bom jogador, mas precisa ter a cabeça no lugar e querer ser atleta. Melhor que Marcelinho Paraíba ele é. Mas os dois podem formar uma dupla de ligação e com boa chegada ao ataque, caso Cuca jogue num 4-3-2-1.

Falando em ataque, eis o grande problema de Cuca. Obina é o xodó, mas não inspira confiança. Vandinho e Josiel precisam mostrar se tem potencial. O primeiro ainda me dá esperanças, mas o segundo nem tanto. Caso Marcelinho não queira ser mais atacante, será mais um problema para Cuca. Quem pode aparecer como surpresa é o ótimo garoto Everton, que veio do Paraná ano passado. É esperar para ver.

Ainda faltam peças, como bons reservas para os laterais e um bom atacante, alguém que chegue para definir. Fala-se em Mota, ex-Cruzeiro, no qual não vejo como solução. Também é preciso pensar um substituto para Ibson, que deve mesmo partir no meio do ano.

Com o que tem em mãos e com um bom atacante, veremos um bom Flamengo. Particularmente, eu espero um time jogando um futebol parecido com o apresentado no 5 a 2 sobre o Palmeiras, ano passado. Cuca tem capacidade para isso, mas a palavra-chave do Flamengo em 2009 é uma: paciência.

Baboseiras...

Duas frases me impressionaram hoje.

- na capa do diário esportivo Lance!, vinha a seguinte frase de Vanderlei Luxemburgo: "Eu não preciso provar que sou bom. Eu sou bom". Luxa foi bom. Hoje precisa sim provar que continua o mesmo. Ser campeão paulista é muito pouco para quem se acha tanto. Ele já foi o mais cotado para a Seleção. Não é mais, existem outros melhores.

Comparemos Luxemburgo a Ronaldo. Uma tola comparação, a princípio. Ronaldo é bom jogador? É. Ninguém discorda. Ele continua sendo? Não como antes. E o que precisa fazer? Jogar bem. Assim é com Luxa. Ele tem capacidade para fazer muito. Mas, precisa de títulos para comprovar tudo isso.

- A outra vai ser uma nota curta: "Eu vou à Copa". A frase é de Zé Roberto, apresentado hoje no Flamengo. Com todo respeito ao jogador, que joga bem mas precisa de cabeça no lugar, fica a pergunta: por qual Seleção, Zé? Liga pro Joel.

Luto Xavante

Hoje o futebol brasileiro acordou triste, com a notícia do acidente do ònibus que levava a delegação do Brasil de Pelotas. Acidente que ocasionou a morte do preparador de goleiros Giovani Guimarães, e dois jogadores: o zagueiro Régis e o atacante uruguaio Cláudio Millar.

Eu vi muito pouco de Cláudio Millar. Mas ouvi muito. Desde sua rápida passagem pelo Botafogo em 2001, quando jogou no Santa Cruz, até chegar a ser o "artilheiro-cinderela" em Pelotas. Era ídolo lá, identificado com a torcida e com o time, onde passou dos 100 gols com a camisa Xavante.

Para quem não sabe, o Brasil de Pelotas foi 3° colocado no Campeonato Brasileiro de 1985. Eliminou o Flamengo e chegou as semifinais contra o Bangu, por quem foi eliminado. Hoje, o rubro-negro, novo time do goleiro Danrlei, ex-Grêmio, perde o chão. Podia fazer um ótimo Campeonato Gaúcho. Agora, resta a torcida, jogadores, comissão técnica e diretoria tentar juntar os cacos e as dores para se reerguer.

Força Xavante. Fica nossa oração aos familiares.

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Cruzeiro 2009

A Raposa fez o melhor possível para montar um bom time em 2009: manteve a base. Fato raro, visto que os Perrela sempre adoraram vender e encher os cofres. Manter Wágner, Ramires e Guilherme foi uma ótima notícia para a torcida cruzeirense. A lamentar somente a não contratação para a defesa, tão frágil e criticada em 2008.

O time perdeu poucos jogadores que vinham atuando. O único importante que saiu foi lateral-esquerdo Jadílson, que foi para o Grêmio. De resto, o time manteve os mesmos atletas e ganhou bons reforços, que fazem do time mais maduro e experiente.

A dúvida é: porque tantos atacantes? Ao meu ver, uma prévia que Guilherme parte depois da Libertadores. Três jogadores de frente chegaram: Wellington Paulista, do Botafogo; Soares, do Grêmio; Jael, ex-Atlético-MG; e Alessandro, ex-Fla e Flu e que estava no Japão. Além deles, vieram o lateral-direito Jancarlos, do São Paulo, e o zagueiro Leonardo Silva, do Vitória.

Aliás, manter Adílson Batista foi uma das decisões acertadas do Cruzeiro. O time que deve ser por ele escalado deve vir no 4-4-2, com Fábio; Jancarlos, Leonardo Silva, Thiago Heleno (Espinoza) e Sorín; Fabrício, Marquinhos Paraná, Ramires e Wágner; Guilherme e Wellinton Paulista (Thiago Ribeiro). Mas também pode ir para um 3-5-2, visto que Sorín deixou de ser lateral faz muito tempo (se foi algum dia...). Com isso, Marquinhos Paraná saíria para a entrada de Espinoza, ou não, sendo o próprio Paraná um "falso" terceiro zagueiro.

No gol, Fábio é bom goleiro já faz tempo. As vezes apronta as suas, mas é confiável e está mais experiente. Na lateral-direita, Jancarlos foi uma boa contratação e terá o jovem Jonathan no seu encalço. Na zaga, o grande problema. Nem Leonardo Silva, nem Expinoza ou Thiago Heleno e Léo Fortunato são bons zagueiros. Faltam opções mais regulares para essa posição. Na esquerda, como já disse antes, Sorín não é lateral, é um ala. E isso pode fazer diferença. Porém, o jovem Fernandinho é muito bom jogador e pode substituí-lo.

No meio, o mesmo time do ano passado, com muita qualidade e pegada. Fabrício é um ótimo volante e lidera bem o time em campo. Marquinhos Paraná tem boa saída de bola e chega como homem surpresa. Ramires dispensa comentários e deve ser, ao lado de Hernanes, a dupla ideal de volantes "modernos", daqueles que sabem marcar e sair com qualidade ao ataque. E Wágner dá qualidade ao meio-campo e é o motor do time, o camisa 10. E o jovem Bernardo vêm ai. Anotem.

No ataque, Guilherme é favorito a ser titular, e assim deve ser. É outra grande revelação do Cruzeiro e deve fazer em 2009 o ano da afirmação. Seu companheiro ainda é indefinido. Wellington Paulista foi irregular no Botafogo. Soares, ex-Londrina, não foi bem no Flu e no Grêmio, mas foi ótimo no Figueirense, sob comando de Adílson Batista. E Alessandro, ao meu ver, larga em desvantagem. Sobra ainda Thiago Ribeiro, que não mostrou muita coisa em 2008, e Jael, ex-Galo, que é uma ótima promessa.

Enfim, esse é o Cruzeiro. Penso que dará certo e pode fazer o "Trem Azul" voltar a ativa. Tomara que sem descarrilhar. Para isso, ainda faltam zagueiros e um lateral-esquerdo para suprir Sorín. Mesmo assim, olho na Raposa, que têm a Libertadores pela frente e pode ir muito mais longe que pensam.

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Corinthians 2009

O Timão voltou e é, sem dúvida, o grande destaque do mercado e das notícias. Não falo somente por causa de Ronaldo. O Corinthians soube se reforçar bem para o ano da volta a Série A e manteve a base. Com tudo isso, dá para colocar o time como um dos favoritos aos títulos do Paulistão e da Copa do Brasil.

As saídas não foram importantes para o clube. No máximo, Herrera, que foi bem substituído. Porque ninguém vai ficar lamentando as saídas de Perdigão, Fábio Ferreira e até mesmo de Diogo Rincón.

Já os reforços foram muito bem indicados por Mano Menezes. Todos vieram com grandes chances de se tornarem titulares, o que mostra a boa visão nas contratações. Chegaram os zagueiros Escudero, do Argentino Juniors, e Jean, do Grêmio; o volante Túlio, do Botafogo; e os atacantes Souza, do Panathinaikos/GRE e ex-Fla, e Jorge Henrique, do Botafogo. Além, lógico, de Ronaldo.

Ronaldo talvez não jogue o tanto que o torcedor espera. Entenda o "tanto" como número de jogos e também no sentido de qualidade. Eu torço para que ele volte com tudo, pois fará bem ao futebol brasileiro. Mas ainda é uma incógnita. Pelo menos, se vê um grande esforço do atleta Ronaldo. E também se vê que o Corinthians já lucrou muito com essa chegada.

Com ou sem Ronaldo, o time segue bem. E Mano Menezes deve ter como titular, no 4-4-2, a seguinte equipe: Felipe; Alessandro, William, Chicão e André Santos; Túlio, Cristian, Elias (Morais) e Douglas; Dentinho (Jorge Henrique) e Souza (Ronaldo).

A defesa é a mesma de 2008. Uma boa defesa. Mas Felipe, particularmente, não me passa tanta confiança, mas tem a da torcida. Na lateral-direita, Alessandro precisa ser mais regular, mas Diogo não é uma "sombra" tão grande. A zaga é firme e segura. Joga sem brincadeira e faz muito bem o papel. Os dois já foram muito bem em 2007 e mantiveram a fase em 2008. E na esquerda, André Santos fechou o ano passado em alta, como um dos principais jogadores do Corinthians. E ainda sobraram Jean, uma boa opção de banco, e Escudero, que pode atuar também como lateral-esquerdo.

O meio-campo ganha uma forma mais compacta. Túlio é um bom volante, sabe dar combate e marcar. Cristian não é nada demais, mas foi bem até agora. Caso não corresponda, Eduardo Ramos e Bruno Octávio aparecem como opção, sendo o segundo com mais moral com Mano. Elias aparece como terceiro homem de meio campo, como jogava na Ponte Preta. Pode ser substituído por Morais, o que daria mais velocidade e menor poder de marcação ao setor. E fecha a meia-cancha, um dos melhores jogadores do país: Douglas. É o camisa dez, como antigamente. Tem passe, qualidade na chegada ao ataque, comanda o time em campo. Pode parecer exagero, mas é o jogador que merece mais atenção de Dunga.

No ataque, o time está muito bem servido. Dentinho evoluiu demais com Mano, aprendeu a fazer gols e chegar com mais eficiência ao ataque. Jorge Henrique é o jogador "motor". Sabe fazer o ataque rodar, abre muito bem o jogo pelas pontas e cai como uma luva para jogadores de área, como Ronaldo e Souza. Aliás, Souza precisa mostrar se voltou a fase de jogar mais e falar menos. Mas sabe bem fazer a função de centroavante. E Ronaldo, como já disse antes, ainda é uma incógnita. Se for o Ronaldo que jogou no Milan (sim, no Milan) será o melhor atacante do Brasil. Porém, só saberemos disso em campo.

Enfim, esse deve ser o Corinthians 2009. Ainda faltam opções para a reserva e um lateral-direito. E Kléber ainda é o sonho, embora que o time não precise muito. O que temos certeze é que será um time com a cara de "Corinthians". Uma defesa com xerifes, dois volantes pegadores, um 10 clássico e um ataque perigoso, com um craque. A Fiel tem todo o motivo do mundo para ter esperanças no ano 99 da história do clube.

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Botafogo 2009

Um novo Botafogo. É isso que o torcedor pode esperar do alvinegro carioca em 2009. A saída de 14 atletas, sendo 9 titulares, e a contratação de 12 jogadores decretaram o fim de vez da "era Cuca" e o verdadeiro início da "era Ney".

Ney Franco é um bom treinador e faz parte da boa nova safra de técnicos. Terá que começar um novo Botafogo, mas terá a chance de dar sua cara ao time. Perdeu jogadores importantes, como os zagueiros Renato Silva e André Luís, os volantes Túlio e Diguinho, o lateral Triguinho, o meia Zé Carlos, o maestro Lúcio Flávio e os atacantes Jorge Henrique e Wellington Paulista. Porém, desses, apenas Lúcio Flávio fará muita falta.

Para recompor o elenco, chegou quase um novo time: os zagueiros Wellington e Teco, do Cruzeiro, além do retorno de Juninho, que estava no São Paulo; os volantes Léo Silva, do Cruzeiro, Fahel, do Goiás, e Batista, destaque no Avaí; os meias Maicossuel, do Palmeiras, e Jean Carioca, do ABC-RN; e os atacantes Reinaldo, do JEF United e ex-Fla, Diego, do Nacional-PORT e ex-Cruzeiro, e Victor Simões, que estava na Coréia e jogou pelo Figueirense.

Com essas peças, o time deve ter o seguinte formato, no 4-4-2: Renan (Castillo), Alessandro, Teco, Juninho e Eduardo; Leandro Guerreiro, Fahel (Batista), Túlio Souza (Lucas Silva) e Maicosuel; Reinaldo e Victor Simões (Diego).

A equipe tem dois bons goleiros a disposição. Renan precisa de experiência, mas mostra ter um grande potencial. E Castillo, apesar de alguns erros, ganhou a confiança do torcedor. Na lateral-direita, Alessandro está mais maduro e terá a sombra de Thiaguinho, que fez um ótimo Brasileiro. Na zaga, Teco e Juninho, no papel, é uma dupla que pode ser ótima. Fecha a defesa o lateral-esquerdo Eduardo, que ainda precisa mostrar serviço com a camisa botafoguense.

Leandro Guerreiro tem a missão de ser o cão de guarda no meio-campo, e pode fazer isso. Ao seu lado, Batista ou Fahel ajuda na segurança e também na saída de bola. O volante vindo do Avaí pode ser um dos bons nomes desse time e merece muita atenção. E ainda tem Léo Silva para a posição. Na ligação, Túlio Souza e Lucas Silva brigam por uma vaga e pela chance que não tiveram em 2008. O novo camisa 10 será Maicossuel, o que não me anima muito. Tem velocidade e saída de jogo, mas não convenceu em uma grande equipe. É esperar pra ver.

No ataque, dois ótimos nomes. Reinaldo sabe fazer gol. Não é craque, matador, etc. Mas sabe balançar as redes. E ao seu lado um jogador forte e de velocidade: Victor Simões, que estava no futebol coreano. Para quem não lembra, o atacante se destacou no Figueirense em 2007 e pintou como grata revelação. No banco, um Diego louco para roubar a vaga de quem vacilar, além da promessa Laio.

Se esse Botafogo é melhor do que o da "era Cuca" só o tempo irá dizer. Ainda faltam algumas peças de confiança, como um lateral-esquerdo (que pode ser Léo, ex-Santos)e mais um meia (o nome especulado e muito perto é Renato, ex-Atlético-MG e Vasco). Porém, uma palavra pode definir esse grupo: operário. É desse jeito que veremos o Botafogo: saí o futebol bonito, e entra um futebol coletivo, tático e com muita disposição.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Atlético-MG 2009

O Galo vem em 2009 para esquecer o ano do centenário e tentar montar uma equipe competitiva. No comando, nada melhor que Émerson Leão. Muitos podem torcer o nariz, mas faz muito tempo que Leão não chega para montar um clube desde a pré-temporada.

Junto com ele, retornam de empréstimo o atacante Éder Luís, que estava no São Paulo, e o lateral-esquerdo Thiago Feltri, vindo do Goiás. Os reforços até agora foram seis: o lateral-esquerdo (e agora meia) Júnior, ex-São Paulo; os volantes Júnior, ex-Grêmio, Carlos Alberto, ex-Corinthians, e Renan, ex-Vitória e São Paulo; o meia-atacante Lopes, ex-Palmeiras e que estava no futebol japonês; e o atacante Diego Tardelli, ex-Flamengo. De quem saiu, ninguém importante ao clube. No máximo Jael, atacante que foi para o rival Cruzeiro.

Leão deve escalar o time no 3-5-2, com a seguinte formação: Juninho, Leandro Almeida, Marcos e Welton; Carlos Alberto, Rafael Miranda, Renan, Junior e Thiago Feltri (Junior); Diego Tardelli e Éder Luís.

No gol, Juninho é um bom nome. Tem uma boa sombra, o reserva Edson. Não comprometem, mesmo não sendo fora-de-série. A zaga mescla a experiência de Marcos, com a liderança do jovem Leandro Almeida, ótimo zagueiro, e a prata-da-casa Welton. Um defesa razoável.

Nas alas, Carlos Alberto deixou mesmo de ser volante e se torna ala-direito, como vinha sendo utilizado por Mano Menezes no Corinthians. Particularmente não vejo muito além da revelação Sheslon, que apareceu bem no clube no fim do Brasileiro-2008. Na esquerda, Thiago Feltri deve assumir a lateral, caso o experiente Júnior seja deslocado para o meio-campo. Porém, sendo Feltri ou Júnior na esquerda, o time estará bem servido.

No meio, Rafael Miranda é um bom cabeça-de-área, mesmo tendo caído de produção na temporada passada. Renan é o "xodó" de Leão, que pediu a contratação do jogador que foi lançado por ele em 2005, no São Paulo. Sabe jogar e marca bem. A ligação, a princípio, ficará a cargo de Júnior. Um teste, que pode ou não dar certo. Eu prefiro Renan Oliveira, bom jogador que pode estourar com grande revelação esse ano. Tem também Lopes. Se o "Tigrão" jogar o que fez no Palmeiras, pode ser a melhor contratação do clube. Mas não sabemos como ele estava no Japão. Pode-se também dar uma chance ao garoto Tchô, eterna esperança de um dia dar certo no time principal, mas que sofreu por contusões. Entre os 4, melhor Renan Oliveira.

O melhor setor da equipe é o ataque, que deve ser formado pelo rápido e habilidoso Éder Luís e o atacante Diego Tardelli. O primeiro não foi bem no São Paulo, devido ao posicionamento diferente do que jogava no próprio Galo. O segundo começou 2008 bem no Flamengo, mas a contusão no braço tirou ele de grande parte da temporada.

Ao meu ver, precisa ainda de um ala ou lateral-direito que passe mais segurança, e um camisa 10. Mas, no papel, é um time que pode dar mais alegrias a torcida do que a equipe do ano passado. E a grande esperança está em Leão.

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Curtas do mercado

O mercado da bola vai ganhando cara de fim de compras para alguns clubes, mas de várias novidades para outros. Vamos a elas. Curtas e diretas:



- O Atlético-MG apresentou os volantes Júnior, ex-Fla, e Carlos Alberto, ex-Corinthians. Está negociando com Júnior, experiente lateral-esquerdo que estava no São Paulo, e o meia Lopes, ex-Palmeiras, que está no Japão. Aos poucos, Leão vai dando uma boa cara ao Galo.

- Na Baixada, o Atlético-PR apresentou Lima, atacante que já teve passagem pelo clube e estava no Figueirense. Não me pega. Outro atacente que pode chegar é Wanderley, do Cruzeiro. Bom atacente. E Alan Bahia foi mesmo para o Japão, onde será treinado por Caio Júnior no Vissel Kobe.

- O Botafogo deu prazo máximo até quinta-feira para o atacente Wéldon se apresentar. Dois atacantes entraram em pauta: Vitor Simões, que já teve atuação destacada no Figueirense, e Jonas, que estava na Portuguesa. Vejo os três no mesmo nível, de médio a bom. Zaráte deve mesmo sair do clube e Juninho chega amanhã.

- No Corinthians, nada de anúncio de reforços. Eu pergunto: um lateral-direito cairia bem, não?

- O Flamengo pode perder Obina para o futebol árabe. E nada de reforços. Pelo menos, a base foi mantida, o que já é muito bom para Cuca.

- Já o Fluminense vai montando um ótimo time para 2009. Apresentou o lateral-esquerdo Leandro, renovou com o lateral Wellington Monteiro e fechou a contratação do atacante Roger, do Sport, que vem em negociação da liberação de Arouca para o São Paulo.

- O Grêmio apresentou o lateral-esquerdo Jadílson, e tenta a contratação do atacante argentino Maxi Lopez, cria do River Plate e que está jogando no futebol russo.

- O rival Inter contratou o bom goleiro Michel Alves, ex-Juventude, e o também bom lateral-esquerdo Marcelo Cordeiro, do Vitória. Olho no Colorado!

- Surpreendente! Assim pode se falar da contratação do Náutico. Carlinhos Bala, ex-Sport, agora no Timbu, foi a notícia do mercado da bola. Ele fará dupla com Somália. Ótima dupla de ataque, por sinal, para quebrar a hegemonia do Sport no Pernambucano.

- O Palmeiras ainda espera a definição de Kléber. O time ainda procura reforços. Dois nomes comentados: Brandão, atacante já dito antes aqui no blog, e o lateral-direito Maurinho, ex-Santos e São Paulo, e que trabalhou com Luxemburgo no Cruzeiro em 2003.

- Na Vila Capanema, o Paraná contratou por empréstimo o goleiro Felipe, do Santos. Boa aposta.

- A querida Portuguesa fechou com Fellype Gabriel e apresentou o volante Ygor, ex-Flu. Volta pra Série A, Lusa!

- Na Vila, o Santos acertou mesmo com Roni. Bom reforço. E apresentou o volante Germano, ex-Londrina, e o meia Madson, do Vasco. Olho no Peixe!

- A notícia no São Paulo é a vinda de Arouca, do Flu, já para esse começo de temporada. Será que fecharam as contratações no Tricolor?

- Paulo Baier é o grande reforço do Sport para a Libertadores. É preciso mais para não fazer feio na competição, visto que perdeu a dupla de atacantes em um só dia.

- Carlos Alberto no Vasco. Será que agora vai? Futebol tem, é preciso cabeça. Aliás, será que ele e Léo Lima vão mesmo dar a volta por cima? O próximo que pode pintar na Colina é o atacante Vandinho. Uma boa.