Publicidade

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Brasileirão - 37ª rodada - Jogos do Domingo (3ª parte)

- Palmeiras 1x0 São Paulo: E o Verdão voltou. Na velha e boa arma: bola parada. Foi assim nas boas chances que teve no primeiro tempo. O São Paulo teve poucas, mas grandes oportunidades. Na melhor delas, Juan apareceu na cara do gol, após passe de Dagoberto. Bola na trave. Após isso, foi a vez do Palmeiras ter a grande chance de abrir o placar. Rogério Ceni salvou em duas belas defesas. E ficou na bronca com Valdívia.

O segundo tempo foi de grande equilíbrio. O São Paulo precisava vencer para ficar mais perto da Libertadores. O Palmeiras, querendo fechar bem o ano. Ambos criaram chances de abrir o placar. Mas o alviverde tem Marcos Assunção. A velha fórmula. Falta, direta, gol: 1 a 0 Palmeiras. O Verdão seguiu em cima, assustando. Na base da bola aérea, o tricolor buscou o empate. Porém, o time palmeirense ficou perto de matar o jogo com Fernandão, que perdeu.

Vitória comemorada pelo torcedor palmeirense. Rivalidade a parte, deve ser comemorado o fato que o time voltou a jogar bem, como nos tempos que queria uma vaga na Libertadores. Como a dupla Marcos Assunção e Valdívia fazem bem à equipe. O primeiro pela eficiência na bola parada. O segundo, por voltar a jogar de forma solta. Pena que já é tarde. O São Paulo, desde a chegada de Leão e Luís Fabiano, só jogou bem contra pequenos. Nas grandes provas, perdeu. Não foi diferente contra o Palmeiras.

- Atlético (MG) 4x0 Botafogo: Galo forte e salvo de uma vez. Embora o Botafogo tenha começado muito bem. Perdeu duas boas chances de abrir o placar. Na primeira descida, Neto Berola fez boa jogada pela esquerda e sofreu pênalti. Daniel Carvalho cobrou e fez: 1 a 0. Caminho aberto para goleada. O Galo teve duas boas chances de ampliar. Na terceira, André aproveitou o rebote para fazer: 2 a 0. O Botafogo teve a chance no fim do primeiro tempo. Mas Loco Abreu, no melhor estilo Brasil na Copa América, isolou, longe do gol. Provando assim que não era dia do alvinegro carioca.

Era dia dos mineiros. O Galo comandou o segundo tempo. Perdeu chances de liquidar o jogo. Insistiu e fez a goleada. André, em contra-ataque, recebeu nas costas da zaga e encobriu Jefferson. Golaço. 3 a 0. No finalzinho, bola parada e Leonardo Silva liquidou.

Atlético salvo. Cuca mais uma vez se tornou salvador de um time "rebaixado" antes da hora. Conseguiu fazer um time do que era apenas um monte de jogadores. Arrancou na hora certa. E colhe os frutos. O Botafogo, na sua impaciência, colhe também seus frutos. Queda livre e Libertadores longe demais. Não pela possibilidade. Ela ainda existe. O problema é o futebol. Isso já não existe mais.

Brasileirão - 37ª rodada - Jogos do Domingo (2ª parte)

- Flamengo 1x0 Internacional: Mesmo desfalcado, Flamengo vence e fica perto da Libertadores. O rubro-negro não fez um bom primeiro tempo. Sentiu a falta de entrosamento. Viu o Inter chegar mais ao ataque e controlar boa parte do primeiro tempo. D'Alessandro e Leandro Damião eram os mais perigosos. Faltou pontaria. O Flamengo acordou antes do intervalo. Bastou um bom lance. A bola caiu nos pés de quem decide. Passe veio quadrado, Moledo falhou, Ronaldinho não: 1 a 0.

O rubro-negro por pouco não ampliou no começo do segundo tempo. O Inter seguiu ofensivo, mas sem a mesma qualidade do primeiro tempo. Só conseguiu se acertar após a entrada de Andrezihnho. Foram várias chances desperdiçadas. Felipe salvou em chute de Leandro Damião. O colorado cansou. E o Fla por pouco não matou o jogo no contra-ataque.

Bastou o gol de Ronaldinho. O Flamengo não jogou bem. Sentiu os desfalques. Mas se superou. O camisa 10 mostrou que, mesmo em má fase, é decisivo. E coloca o rubro-negro perto da Libertadores. O Internacional jogou bem, teve volume de jogo. Mas faltou pontaria e ousadia. Pagou o preço em uma falha da zaga.

- Coritiba 1x0 Avaí: O Coritiba chegou. Porém, quem esperava goleada sobre o rebaixado Avaí, enganou-se. Jogo equilibrado, com o time catarinense marcando forte a saída de jogo do Coxa e assustando em vários lances. Vanderlei teve trabalho para segurar o Avaí. Quando conseguiu chegar com perigo, o alviverde parou em Moretto. E na trave.

Veio o segundo tempo. Precisando vencer, o Coritiba foi para o abafa. Mas encontrava as mesmas dificuldades para superar a marcação do Avaí. Nem mesmo com Fabiano expulso o time conseguiu espaços. Sendo assim, o gol só poderia sair de uma bola parada. Escanteio cobrado e Jéci subiu para cabecear firme e fazer o gol da vitória. Aí foi só administrar.

O incrível aconteceu. Todo mundo foi tropeçando. O Coritiba não. Engrenou a sequência que faltou durante todo o Brasileiro. Fez valer ainda mais o fator casa. E chegou ao G5. Basta vencer para chegar a Libertadores. Coroar assim um ano praticamente perfeito. E rebaixando o rival. O Avaí jogou com vontade, bem armado e por pouco não atrapalhou o Coritiba. Por que Moretto não foi titular antes?

domingo, 27 de novembro de 2011

Brasileirão - 37ª rodada - Jogos do Domingo (1ª parte)

- Figueirense 0x1 Corinthians: Ainda não. O Corinthians sentiu o gosto do título, mas não é campeão. Jogo travado, com o Figueirense bem organizado. As poucas chances de gol foram do time catarinense. Chegou a acertar a trave, com Julio César.

Sem criação, Tite colocou Alex no intervalo. O Corinthians acordou e melhorou. Aos poucos, foi dominando o jogo. Mas viu o Figueirense ficar perto de abrir o placar.

Porém, Alex mostrou mais uma vez ter estrela. Fez uma jogadaça pela esquerda. E colocou na cabeça de Liédson, para fazer o gol do jogo: 1 a 0. O time catarinense tentou o abafa. Mesmo assim, vitória corintiana. Mas nada de título.

Faz algumas rodadas que insisto: Alex tem sido o diferencial na criação corintiana. Entrou e resolveu mais uma vez. Título perto. Mas, pode escapar. O Figueirense já não depende de si para chegar a Libertadores. Perdeu em casa justo quando não podia. Uma pena, diante de uma campanha tão boa.

- Fluminense 1x2 Vasco: O gol da esperança. O Vasco segue vivo na briga pelo título. Gol que recompensa o erro da arbitragem logo no começo. Diego Souza fez em posição legal, mas teve o gol anulado. Foi um primeiro tempo equilibrado. O Fluminense demorou um pouco para se encontrar, mas teve duas grandes chances de abrir o placar no primeiro tempo. O Vasco, comandado por Diego Souza, viu Élton perder um gol feito, digno de Inacreditável FC. Marquinho respondeu a altura.

O jogo ficou ainda mais movimentado no segundo tempo. O Fluminense teve sua grande chance de fazer o primeiro gol. Partida truncada. E só começou a ser decidido nos últimos 15 minutos.

As alterações de Cristovão levaram o Vasco a vitória. Alecsandro, pouco depois de entrar, recebeu passe de Diego Souza e marcou: 1 a 0. Quase fez o segundo, em seguida.

Porém, o Fluminense tem Fred. Isso não pode ser esquecido. A defesa do Vasco esqueceu. E o camisa 9 marcou um lindo gol: 1 a 1. Gol que matava o Brasileirão para o Corinthians.

Tensão. Entrega. Raça. Tudo isso ficou evidente no fim. Eram 45 minutos. Contra-ataque puxado por Diego Souza, que lançou Alecsandro na direita. No meio da área, Bernardo, que entrou no intervalo. Apareceu como um foguete, livre. Precisou de duas tentativas. E a bola estufou às redes e o peito dos vascaínos: 2 a 1.

Para quem sente falta ou defende o mata-mata, esse jogo saciou qualquer saudade. O Vasco mostrou ser guerreiro. Quer o título e não se entregou. Estrela de Cristovão Borges, que colocou a dupla Alecsandro e Bernardo, decisivos. Grande jogo que deixa tudo para última rodada. Vale destacar também o Fluminense, que brigou o quanto pode. Mas é o Vasco quem continua na briga. Com um espírito guerreiro.

Brasileirão - Pitacos 37ª rodada

Eu pensei em fazer um começo para os pitacos da rodada. Mas, ia acabar dizendo que faltam duas rodadas, que o campeão pode sair nesta, que a briga pela Libertadores pode ficar ainda mais equilibrada, que temos duas decisões contra o rebaixamento. Porém, melhor ir direto aos pitacos da rodada.

- Figueirense x Corinthians: A goleada sofrida para o Fluminense não pode fazer esquecer: ganhar do Figueira no Scarpelli foi algo para poucos. Principalmente no segundo turno. O time catarinense é chato e bem organizado. Nos últimos jogos, o Corinthians venceu com estrela de campeão. Mas precisa ficar atento.

Palpite: Figueirense

- Fluminense x Vasco: Uma decisão. Um clássico. Fluminense embalado. Vasco organizado e focado. Além disso, um duelo particular entre Fred x Dedé. Ou seja: um jogão imperdível. Onde a experiência pode fazer a diferença.

Palpite: Vasco

- Flamengo x Internacional: Terceira final desta rodada. Flamengo, em queda, precisa vencer se quiser ir para Libertadores. Bem organizado, o Inter pode aproveitar o momento para ficar ainda mais perto da vaga.

Palpite: Empate

- Palmeiras x São Paulo: Salvo da degola e com um bom futebol após o retorno de Marcos Assunção, o Palmeiras já avisou que os clássicos da últimas rodadas serão um campeonato a parte. O São Paulo, com Leão, só jogou bem contra os rebaixados. Hora de provar que merece ir à Libertadores.

Palpite: Palmeiras

- Atlético (MG) x Botafogo: Outro jogão. Galo buscando escapar da degola. Basta ganhar. Botafogo quer voltar ao G5. Precisa vencer. Atlético em melhor momento. Cariocas em queda.

Palpite: Atlético (MG)

- Coritiba x Avaí: O Coritiba chega nas últimas rodadas sonhando com Libertadores. Mesmo irregular, conseguiu embalar no fim. Jogando em casa, soube comandar. Não deve ser diferente agora, diante do rebaixado Avaí. Time catarinense já entregou os pontos. E apareceram crises internas, para ajudar. Para finalizar, perder pode atrapalhar o rival Figueirense de ir à Libertadores.

Palpite: Coritiba

- Santos x Bahia: Um dos últimos testes antes do Mundial. Muricy manda força máxima para o jogo. Bahia, frágil, não pode vacilar se não cai. Deve jogar no estilo Joel: fechado, no contra-ataque.

Palpite: Santos

- Grêmio x Atlético (GO): Jogo que não vale nada. Só para confirmar vaga na Sulamericana. Grêmio quer fechar bem em casa. Atlético, surpreender. Tricolor em melhor fase.

Palpite: Grêmio

- Ceará x Cruzeiro: Uma final. Assim é encarada essa partida por ambos. Vozão embalado pela vitória sobre o Grêmio, que manteve o alvinegro vivo. Cruzeiro, ainda mal, mas mostrando raça.

Palpite: Empate

- América (MG) x Atlético (PR): O Coelho foi rebaixado. Porém, tem muito jogador lá querendo derrubar Antônio Lopes, o grande culpado apontado por alguns do elenco. Com isso, o Atlético pegará um adversário complicado. Mas tem jogado com capacidade para surpreender.

Palpite: Atlético (PR)

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Champions League - Reta final da fase de grupos (1ª parte)

- Grupo A

O Bayern Munique garantiu o 1º lugar na chave ao derrotar o Villarreal por 3 a 1. Ribéry abriu o placar logo no começo do jogo. Superior na partida, os alemães ampliaram ainda no primeiro tempo com Mario Gomez, que aproveitou o rebote após chute de Tymoshchuk. No segundo tempo, o Villarreal até esboçou reação ao diminuir no retorno do intervalo, com belo gol de De Guzman. Mas a reação parou aí. Ribéry aproveitou mais uma chance e matou o jogo.

No duelo direto pela outra vaga do grupo, o Napoli derrotou o Manchester City, por 2 a 1, e passa a ser o favorito para ficar com a 2ª colocação. Graças a grande atuação de Cavani. O primeiro gol veio em cobrança de escanteio, onde tocou de cabeça. Balotelli não demorou para aparecer e deixar tudo igual. Mas, no começo do segundo tempo, Cavani iniciou e terminou a jogada, fazendo o gol da vitória. O Napoli por pouco não ampliou. O City por muito pouco não empatou. Mas ficou mesmo no 2 a 1.

Bayern Munique classificado, líder e com sobras. Sobram Napoli, com 08 pontos, e City, com 07. O Villarreal não pontuou. Próxima rodada tem City x Bayern, Villarreal x Napoli. Façam suas apostas.

- Grupo B

Aqui, é a Internazionale quem se garantiu, ao ficar no empate contra o Trabzonspor, fora de casa, por 1 a 1. Álvarez abriu o placar no primeiro tempo, após bela tabela. O empate turco veio logo depois, com Altintop, em belo chute de fora contando com desvio.

O grande resultado do grupo B foi a vitória do Lille sobre o CSKA Moscou fora, por 2 a 0. De lanterna, o time francês voltou a pensar seriamente na vaga. Berezoutski fez um belo gol contra e ajudou os franceses no começo do segundo tempo. Sow aproveitou rebote e matou o jogo.

Inter classificada e garantida em primeiro, com 10 pontos. Para a outra vaga, todos tem chances. Trabzonspor, com 06, Lille e CSKA Moscou, com 05, brigam. Internazionale x CSKA, Lille x Trabzonspor. Por isso que a rodada foi tão importante para os franceses.

- Grupo C

O Benfica arrancou empate do Manchester United, fora, por 2 a 2, e garantiu a vaga na próxima fase. Os portugueses foram para cima logo no começo e abriram o placar. Jogada de Gaitán pela direita e Jones marcou contra. E por pouco não ampliou. O Manchester demorou mas conseguiu o empate. Nani cruzou da esquerda e Berbatov - impedido - deixou tudo igual.

O United cresceu com o gol e seguiu apostando no lado esquerdo. E dali saiu a virada. Mais um cruzamento de Nani e Fletcher apareceu entre a zaga para chutar e completar no rebote: 2 a 1. Porém, nem deu tempo de comemorar. Bruno César fez a jogada pela esquerda e Aimar aproveitou a sobra: 2 a 2. Bagunçado, o Manchester tentou, sem sucesso, pressionar.

Quem gostou do empate foi o Basel, que venceu o Otelul Galati, por 3 a 2, e segue com chances de classificação. O time suíço começou com tudo e fez 3 a 0 logo no primeiro tempo. Fabian Frei abriu o placar e Alexander Frei fez 2 a 0 em menos de 15 minutos. Streller ampliou. No segundo tempo, os romenos ainda reagiram, diminuiram para 3 a 2 com gols de Giurgiu e Antal, mas não conseguiu o empate.

Benfica, com 09, está classificado. Isto porque, na última rodada, o Manchester United pega o Basel, fora. United tem os mesmos 09 pontos. O Basel tem 08. O Otelul Galati não fez nenhum ponto.

- Grupo D

O Real Madrid passeou sobre o Dínamo Zagreb: 6 a 2. Com 20 minutos de jogo, já estava 4 a 0. Benzema fez logo aos 02 e depois tocou para Callejón ampliar. Higuaín fez bela jogada e marcou o terceiro gol. E no rebote do argentino, Ozil fez o quarto. No segundo tempo, Higuaín ainda fez 5 a 0 e tabelou com Benzema, que fez o sexto. No fim, Beciraj e Tomecak diminuiram para os croatas.

Na outra partida, o Ajax segurou o Lyon, fora, e ficou no 0 a 0. As melhores chances no primeiro tempo foram dos holandeses. Os franceses melhoraram no segundo tempo, mas a pressão não deu resultado.

Real Madrid, 100%, com 15 pontos. Ajax, em segundo, muito perto da vaga, com 08. Lyon tem 05. Dinamo Zagreb sem nada. Zagreb x Lyon, Ajax x Real. Um empate basta para os holandeses.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Seleção PB - 36ª rodada

Moretto (Avaí); Fagner (Vasco), Rodrigo Moledo (Internacional), Rhodolfo (São Paulo) e Juan (São Paulo); Paulinho (Corinthians), Marcos Assunção (Palmeiras) e Felipe (Vasco); Felipe Azevedo (Ceará), Luís Fabiano (São Paulo) e Fred (Fluminense). Técnico: Abel Braga (Fluminense).

Melhor da rodada: Fred (Fluminense).

Reservas: Charles (Cruzeiro) e Valdívia (Palmeiras).

Brasileirão - 36ª rodada - Jogos do Domingo (3ª parte)

- Figueirense 0x4 Fluminense: Fred. Mais uma vez ele. E o Fluminense atropelou o Figueirense em pleno Scarpelli. O time catarinense se impôs logo no começo e foi melhor em boa parte do primeiro tempo. Teve boas chances para abrir o placar. O tricolor levou perigo em alguns lances. Mas, o Figueira comandava as ações. Mas nada de gol.

Veio o segundo tempo. Outro jogo. Fred apareceu. Os gols também. O camisa 9 chutou cruzado logo aos 02 minutos para abrir o placar. O Figueirense tentou responder, mas não teve muito tempo para respirar. A noite era de Fred. Carlinhos cruzou, a bola passou pelo goleiro, pelo zagueiro, só para encontrar o atacante: 2 a 0.

O Figueirense não se entregou. Tentou ir para cima e diminuir. Mas era noite tricolor. Era noite de Fred. Ele puxou contra-ataque, tocou para Deco que deixou Marquinho na boa para fazer o terceiro. Para fechar mais uma atuação de gala, o camisa 9 recebeu um lindo passe de Lanzini, nas costas da defesa, e bateu sem deixar a bola cair: 4 a 0.

O Fluminense está na Libertadores. Briga pelo título. E conta com um herói chamado Fred. O atacante resolveu quando o time mais precisava. Fez o tricolor chegar quando muitos não esperavam. Vencer o Figueirense no Scarpelli não é para qualquer um. Golear assim, muito menos. O Figueirense não jogou mal. Foi o Fluminense que atropelou. Mas não coloque o Figueira como morto. O time pode ficar com a vaga na Libertadores também.

- Coritiba 1x0 Santos: Placar suficiente para o Coritiba sonhar com Libertadores até o fim. Os reservas do Santos não deram grande trabalho. O Coxa começou melhor. Boas trocas de passe no ataque, velocidade. Mas poucas chances de gol no primeiro tempo. O Peixe, com seu mistão, nada fez.

O mesmo ritmo continuou no segundo tempo. Coritiba ainda melhor e mais perto do gol. Pressionou e criou mais oportunidades desde a volta do intervalo. A trave e Aranha tentaram segurar, mas o gol veio. Cruzamento de Geraldo e Leonardo marcou. Após isso, o Coritiba apenas administrou. Teve ainda chance de ampliar. O Santos não jogou.

E o Coritiba ainda tem chances de Libertadores. Remotas, complicadas, mas com tanta gente tropeçando, por que não? A tabela ao menos ajuda. O Santos com a cabeça no Mundial mandou seu time misto. Dizem que estava em campo. Eu vi apenas o goleiro.

- Bahia 0x2 Palmeiras: Palmeiras salvo. Jogou melhor e venceu. Não foi um grande jogo, mas o alviverde teve boa atuação. O primeiro tempo foi de poucas oportunidades. Na primeira vez que chegou, o Palmeiras abriu o placar. Escanteio com Marcos Assunção, Luan mandou na trave e Ricardo Bueno aproveitou. O Bahia tentou reagir, mas o Verdão tinha controle do jogo.

O segundo tempo foi mais movimentado. O Palmeiras perdeu a chance de ampliar e se salvou de levar o empate, tudo no começo. Valdívia comandava o alviverde. Primeiro chutou de fora, depois deu um passe incrível para Luan. Marcelo Lomba salvou. Os dois times tiveram gols anulados, um após o outro. No fim, a velha arma palmeirense apareceu. Em uma das únicas faltas próxima da área, Marcos Assunção, com o capricho de sempre, matou o jogo.

O retorno de Marcos Asssunção fez bem ao Palmeiras. Valdívia jogou como o torcedor esperou quase o ano todo. Bons passes, domínio, segurança. Lembrou o Palmeiras que brigava pela Libertadores. O Bahia perde e corre riscos ainda. Precisa cuidar, se não...

Brasileirão - 36ª rodada - Jogos do Domingo (2ª parte)

- Botafogo 1x2 Internacional: Vitória para colocar o Inter no G5 e deixar o Botafogo longe da Libertadores. Jogo travado e com poucas chances claras de gol. O jogo esquentou apenas quando Alessandro não teve fair play e entrou na briga com D'Alessandro. A confusão acordou o Colorado, que teve grandes chances de abrir o placar no fim do 1º tempo. E chegou ao gol. Ótima jogada pela esquerda e Oscar invadiu a área para deixar Leandro Damião na boa para fazer: 1 a 0.

O time gaúcho quase ampliou o placar no retorno do intervalo. Comandado por Renato, o Botafogo melhorou e passou a assustar. Porém, o Inter tem mais qualidade. E bastou um passe incrível de Andrezinho para Oscar ampliar. Felipe Menezes ainda respondeu rápido e diminuiu. A defesa do Inter e Muriel salvaram no fim. Não deu para o Botafogo.

O Internacional chega ao G5 e pode ganhar a vaga para Libertadores. Com qualidade no meio, o time vem jogando bem e, principalmente, fazendo resultados. Posição esta que poderia ser muito bem do Botafogo. Mas o time caiu demais no fim. O problema de não ter banco pesou. Ainda pode, mas não conseguirá. É um time que entregou os pontos antes do fim.

- Atlético (GO) 0x0 Flamengo: Jogo de 0 a 0. O Flamengo precisava vencer para ficar mais perto da vaga na Libertadores. Mas foi o Atlético quem teve boas chances, com Marcão. Com seus meias muito bem marcados, o Fla ameaçou apenas nos chutes de fora.

O Atlético seguiu perigoso e teve um pênalti claro não marcado de Felipe em Marcão. O goleiro rubro-negro quase entregou o ouro logo depois e Marcão perdeu mais um gol. O Flamengo muito pouco fazia. Ronaldinho e Thiago Neves muito mal na partida. Coube a Diego Maurício dar um pouco de ofensividade ao time. Ou seja: 0 a 0. E o Dragão quase fez no fim.

Placar justo para um Atlético que não soube aproveitar as chances e um Flamengo apático, como quem não tem mais pelo que brigar no Brasileiro. A Libertadores pode vir. Mas com esse futebol, não. O Atlético está salvo de qualquer risco de rebaixamento e pode começar a pensar em 2012.

- Cruzeiro 1x1 Atlético (PR): No duelo dos desesperado, um empate que não ajuda ninguém. Não faltou disposição na partida. Jogo equilibrado desde o começo, com os times chegando ao ataque. O Atlético chegava bem pelo lado direito. E por ali que abriu o placar. Wendel aproveitou falha grotesca de Diego Renan e cruzou na medida para Marcinho marcar: 1 a 0. O gol fez o Cruzeiro ir para cima. O empate veio em contra-ataque. Cruzamento de Wellington Paulista e Charles aproveitou: 1 a 1.

O segundo tempo foi de mais vontade do que chances criadas. O Atlético sempre melhor. E o Furacão foi prejudicado pela arbitragem. Paulo Baier recebeu em posição legal para fazer o gol da vitória, mas o auxiliar marcou impedimento. O rubro-negro paranaense teve ainda duas chances no fim, mas parou em belas defesas de Fábio.

O empate não é tão ruim para o Atlético, mas perder dois pontos por causa da arbitragem nesta reta final é complicado. O Cruzeiro joga sua vida contra o Ceará na próxima rodada. Mas, não tem como negar. Os dois times mostraram porque estão nesta situação. Pouca qualidade dos dois lados.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Brasileirão - 36ª rodada - Jogos do Domingo (1ª parte)

- Corinthians 2x1 Atlético (MG): Adriano finalmente estreou e colocou o Corinthians na liderança. O Timão teve maior posse de bola, mas pegou um Atlético muito bem organizado na marcação. Com isso, o primeiro tempo foi de raras oportunidades para os dois times. Quase nada de chutes a gol.

Porém, este retrato mudou após o intervalo. O Corinthians levou perigo no primeiro lance. O Atlético fez o gol na sua primeira chance. Jogada bem ensaiada. Cobrança de falta. Bernard, Richarlyson, Daniel Carvalho e Leonardo Silva. Um toque de cada um. Galo 1 a 0.

O gol veio justamente quando Tite ia colocar Alex para melhorar o setor de criação. Manteve a mudança e tirou o apagado Danilo. Depois, sacou William, o melhor do time até ali, e colocou Adriano. Torcida chegou a ficar na bronca. Porém, logo perceberam o motivo.

Adriano foi fazer o pivô. Aliviou Liédson na marcação. E o Corinthians começou a criar. Por pouco não levou o segundo gol. Com "dois camisas 9", a bola ficou constantemente na área do Galo. Renan Ribeiro foi realizando grandes defesas. Mas aí, o trio de frente apareceu de vez no jogo.

Tudo mudou em 10 minutos. Primeiro Émerson começou a jogada, achou Alessandro, que cruzou na cabeça de Liédson. Tudo igual no Pacaembu. O empate se arrastava. Até que aos 43, um desarme, uma bola espirrada se transforma em contra-ataque. Émerson engata a 5ª marcha. E espera o momento certo para deixar Adriano na cara do gol, para bater cruzado e virar o placar.

A velha máxima de "vitória com a cara do Corinthians" precisa ser lembrada. Novamente os ingredientes de virada, sofrimento, gol no fim e herói se misturam. Na reta final, pode fazer uma diferença incrível. Adriano é o maior herói corintiano da última semana. Finalmente estreou para a torcida. Tite apostou no Imperador. Ele aliviou a marcação em Liédson no empate e depois fez o gol da vitória. Um gol que, até aqui, valeu toda espera, paciência e investimento.

Dizer que o Corinthians ganhou o Brasileirão com esse gol é precipitado. Mas, com o gol, faltam 04 pontos para o título. Primeiro, o Figueirense, brigando por Libertadores, em Floripa. Depois, o Palmeiras, rival louco para carimbar o título. Não tem vida fácil. Mas tem gordura necessária para ser campeão.

O Atlético não cai. Cuca apostou em uma boa marcação e em uma bola parada. Deu certo. Mas, mudou mal a equipe, deixou o Corinthians pressionar e pagou o preço. Mas, o Galo dificilmente cai. Tem gente pior.

domingo, 20 de novembro de 2011

Brasileirão - 36ª rodada - Jogos do Sábado

- Vasco 2x0 Avaí: Vasco faz seu papel. O Avaí assustou no começo, em uma lambança de ataque e defesa. Serviu para deixar o time vascaíno atento. Após o lance, domínio total da equipe carioca. Ainda mais com a expulsão de Junior Urso, aos 20 minutos. O Vasco foi para cima. Parou em Marcelo Moretto, que fez grandes defesas para salvar o Avaí e segurar a pressão gigante dos cariocas.

Pressão que seguiu após o intervalo. E o gol veio. Grande jogada de Felipe, que limpou o marcador e acertou belo chute de fora: 1 a 0. Sem forças, o Avaí assistia o Vasco jogar. Moretto seguiu trabalhando bem. Éder Luís fazia um carnaval na defesa. O segundo gol foi questão de tempo. Cruzamento da esquerda (mais um) e Élton fez, de cabeça. Após isso, o time vascaíno apenas administrou.

Vasco fez o dever de casa. Venceu o rebaixado Avaí. Agora, secar o Corinthians e dois clássicos pela frente. Situação não é fácil. Mas, jogando bem assim, pode fazer seu papel. O Avaí já tinha caído. Mostrou mais uma vez porque. Exceto a grande atuação de Marcelo Moretto. Sem ele, seria um sacode sem tamanho.

- São Paulo 3x1 América (MG): Sem chances para o Coelho. O São Paulo fez finalmente uma boa atuação e volta a pensar em Libertadores. Com escalação mais ofensiva, o tricolor pressionou boa parte do 1º tempo. Neneca teve trabalho desde o começo e salvou como pode o time mineiro. O América pouco ameaçou. O São Paulo era superior. Abriu o placar com Luís Fabiano, após escanteio cobrado por Dagoberto. A pressão do São Paulo continuou e o segundo gol saiu. Novamente com Luís Fabiano, que recebeu dentro da área e chutou cruzado.

Veio o segundo tempo e Juan matou o jogo logo no começo. Mais uma boa jogada trabalhada no ataque, Luís Fabiano deixou o lateral na boa para empurrar para as redes: 3 a 0. A expulsão de Xandão e o placar fizeram o São Paulo tirar o pé. Com isso, chamou o América para o ataque. O Coelho buscou até chegar ao gol. Alessandro diminuiu.

O São Paulo jogou como há muito tempo não jogava. Venceu, atuou de forma ofensiva, se impôs desde o começo. Não deixou o América aprontar mais uma vez. Venceu e voltou a sonhar com Libertadores. E, pelos tropeços dos adversários, pode sim. Só que, para os dois clássicos - Palmeiras e Santos - precisa de mais bola. O Coelho lutou até o fim, mas caiu. Volta para Série B de cabeça erguida ao menos.

- Grêmio 1x3 Ceará: Vozão segue firme para fugir da degola. Precisando da vitória, o Ceará foi ao jogo com três atacantes. Com posse de bola e boa saída para o ataque, o alvinegro abriu o placar com Felipe Azevedo, após boa jogada de Osvaldo: 1 a 0. Porém, o Grêmio controlou as ações e empatou o jogo, com Douglas. O tricolor não virou o placar porque Fernando Henrique salvou no fim do 1º tempo.

No desespero, o Ceará precisava vencer e foi atrás disso logo na volta do intervalo. Thiago Humberto foi derrubado na área. Felipe Azevedo cobrou e fez: 2 a 1. O Grêmio por pouco não empatou logo na sequência. E não demorou para Felipe Azevedo fazer mais um e praticamente matar o jogo. O atacante entrou do jeito que deu entre a defesa gremista, tentou uma vez, pegou rebote, e chutou. Victor salvou já dentro do gol: 3 a 1. O tricolor gaúcho ainda teve oportunidades de diminuir. Fernando Henrique salvou e Miralles, no fim, perdeu pênalti. O Ceará pode ampliar em contra-ataques. Mas, ficou mesmo no 3 a 1.

Ceará segue na degola. Mas, se não vencesse, já poderia arrumar as malas para Série B. Vitória de quem não entregou os pontos. Agora, decisão contra o Cruzeiro no PV. Se tiver ousadia como neste jogo contra o Grêmio, pode escapar. O tricolor gaúcho apenas espera as férias e, quem sabe, atrapalhar o rival Inter no fim.

Seleção PB - 35ª rodada

Márcio (Atlético/GO); Marcos Rocha (América/MG), Leonardo (Atlético/GO), Dedé (Vasco) e Richarlyson (Atlético/MG); Adílson (Grêmio), Marcos Assunção (Palmeiras), Deco (Fluminense) e Luiz Ramírez (Corinthians); Guerrón (Atlético/PR) e Fred (Fluminense).Técnico: Tite (Corinthians).

Melhor da rodada: Fred (Fluminense).

Brasileirão - 35ª rodada - Jogos da Quinta

- Flamengo 0x0 Figueirense: Empata barato para o Flamengo. O rubro-negro teve a melhor chance do jogo no começo. Boa troca de passes e Deivid parou em Wilson, que fez grande defesa. O goleiro do Figueira trabalhou muito bem no primeiro tempo e parou o Flamengo. O trio de arbitragem ainda errou em lance que Ronaldinho sairia sozinho na cara do gol. Porém, após um bom começo, o Fla caiu. Errando muitos passes, custava a chegar ao ataque. O Figueirense esboçou reação, mas sem grande perigo.

Na base do contra-ataque, o Figueira melhorou no segundo tempo. Aproveitou os erros do Flamengo e passou a assustar mais. O rubro-negro, apático, não conseguia chegar. Contou com Paulo Victor para salvar o placar. O goleiro derrubou Wellington Nem na área, mas pegou o pênalti mal cobrado por Aloísio. O Fla não voltou do intervalo.

Empate não foi ruim para o Figueirense, mas saiu com a sensação que poderia ter vencido e colado nos líderes. O Flamengo fez um bom começo de primeiro tempo. E só. Luxa insiste em Renato Abreu. Não é o culpado da história, mas não rende no meio. E a Libertadores pode escorrer pelas mãos. Segue no G5, mas precisa mostrar futebol para continuar ali.

- Santos 1x1 Atlético (GO): Nada de vida fácil para o Peixe, que achou o empate no fim. O Santos começou solto, ofensivo, como esperado. Dominou principalmente em jogadas com Neymar e na bola parada. O Atlético teve apenas um bom lance. E fez o gol. Bida cobrou falta e achou o zagueiro Leonardo, livre, para marcar. Após o gol, o jogo seguiu o mesmo. Santos com domínio do jogo, mandou bola na trave e perdeu novas oportunidades.

A pressão santista continuou após o intervalo. Aumentou após expulsão de Agenor. Parou no goleiro Márcio, com grandes defesas. O Atlético ainda chegou algumas vezes no contra-ataque e pode matar o jogo. Mas o Santos era melhor. Chegava fácil ao ataque. Porém, a bola parecia não querer entrar. Ou esperou um grande lance para isso. O goleiro Márcio seguia parando o ataque do Peixe. Até que, aos 50 (isso, 50), a bola sobrou para Ganso. Tentou o drible, se livrou da marcação e acertou belo chute, no canto.

Placar justo pelas proporções, mas o Santos poderia ter goleado facilmente. Parou na boa marcação do Atlético, na noite inspirada de Márcio e na falta de pontaria. Mas o gol veio. É o tipo de jogo que não importava o placar - pelo menos para o Peixe. Com a cabeça no Mundial, Muricy quer o time solto. Conseguiu. Mas precisa de atenção os espaços que deixa. Empate bom para o time goiano, que dificilmente cai. Aliás, não cai.

- Atlético (MG) 2x1 Coritiba: Galo cada vez mais longe da degola. O Atlético mostrou como seria o seu jogo desde o começo. Usando bem as laterais, iria pressionar do começo ao fim. A defesa do Coritiba quase ajudou marcando contra. Mas coube a Neto Berola abrir o placar. Jogada de Richarlyson pela esquerda e a bola parou nos pés do atacante, dentro da área chutar cruzado: 1 a 0.

A melhor chance do Coxa veio pouco depois do gol. Porém, Everton Costa perdeu um dos gols mais feitos do Brasileirão. Era noite do Atlético. O time mineiro seguia melhor. Pressionava e ficava perto do segundo gol.

Pressão que continuou no segundo tempo. Richarlyson aparecia bem pela esquerda. O Atlético perdeu várias chances de ampliar. E viu o Coxa começar a assustar cada vez mais nos contra-golpes. Justamente aí veio o gol do Galo. Leonardo Silva avançou pelo meio, chutou mal, mas contou com desvio: 2 a 0. Era a noite do Atlético. Nem mesmo o gol de Bill, no fim, estragou.

Cuca fez o improvável para muitos. Salvou o Galo. Muito além disso, fez um grupo bagunçado virar um time depois de 10 meses. E o Atlético vai garimpar ainda uma vaga na Sulamericana. Coxa, mal fora de casa, praticamente entrega os pontos no sonho para Libertadores.

Brasileirão - 35ª rodada - Jogo da Quarta (3ª parte)

- Ceará 0x1 Corinthians: No sufoco, um esquecido fez ser lembrado para levar o Corinthians à vitória. O Ceará foi melhor no primeiro tempo. Osvaldo comandou a equipe. O Vozão pressionou o tempo todo. Julio César salvou o Corinthians.

Tite mudou o time. O Corinthians equilibrou o jogo, mas demorou para se acertar no setor ofensivo. Após os 20 minutos, a partida foi lá e cá. O Corinthians pressinou. O Ceará teve novas chances para abrir o placar. Porém, quem fez o gol foi o time paulista. Luiz Ramirez, esquecido após a expulsão contra o Tolima, na Libertadores, entrou, deu nova cara e recebeu na esquerda. Passou pelo marcador e tocou na saída do goleiro: 1 a 0. Logo após, Júlio César fez duas grandes defesas, garantindo a vitória corintiana.

Considerado um dos "vilões" na queda do Corinthians na Libertadores, Ramírez pode ser lembrado pelo gol que faz o time ficar um passo a frente do Vasco na briga pelo título. O Ceará foi melhor, mas não soube decidir. O papel decisivo ficou nos pés esquecidos do peruano.

- Palmeiras 1x1 Vasco: O gol de Dedé aos três minutos e parecia que o Palmeiras não complicaria a vida do Vasco. Parecia. O alviverde levou perigo ao gol de Fernando Prass, seja nas jogadas com Cicinho e Luan, seja na bola parada com Marcos Assunção. O Vasco chegava nos contra-ataques e nos chutes de longe.

O Vasco voltou melhor do intervalo. Dedé quase iluminou ainda mais sua fase e por pouco não matou o jogo. Mas, o Palmeiras tem uma arma mortal: Marcos Assunção. E, em escanteio cobrado, a bola rebateu e sobrou para Luan deixar tudo igual. A partida ganhou emoção. O Vasco em busca da vitória, pressionou. Mas o empate persistiu.

Nada de entrega. O Palmeiras mostrou melhora novamente, principalmente com Marcos Assunção. Um time limitado precisa de uma arma. E a bola parada é essa arma para o Palmeiras. O Vasco tem Dedé, mas faltou algo mais. Um pouco mais de força, de criação e de presença de área. Vai ter que correr mais pelo título.

- Avaí 0x0 Cruzeiro: Na luta contra o rebaixamento, mais raça que bom futebol. Foram poucas chances de gol. As melhores do Avaí. Fábio apareceu muito bem pelo Cruzeiro.

No segundo tempo, a Raposa apareceu mais no ataque. Farías perdeu um gol feito, em rebote do goleiro Felipe. O Avaí voltou a levar perigo. Mandou duas bolas na trave, ambas em jogadas originadas na direita. A expulsão de Naldo, do Cruzeiro, não mudou o retrato do jogo nos minutos finais.

Avaí rebaixado. Brigou, mas faltou time. Não teve bom planejamento. Vai para Série B em 2012. O Cruzeiro não quer fazer o mesmo caminho. Falta qualidade, mas tem apresentado raça. Porém, não é o suficiente.

sábado, 19 de novembro de 2011

Brasileirão - 35ª rodada - Jogos da Quarta (2ª parte)

- Internacional 1x0 Bahia: Colorado vivo na briga pela Libertadores. O gol de Gilberto no começo deu maior tranquilidade para o Inter. D'Alessandro conduzia o time. O Bahia apostava no estilo de marcação e saída para o jogo. Levou perigo.

Porém, o que chamou a atenção no primeiro tempo foram os erros de Paulo César Oliveira e seus auxiliares. Primeiro, quando o volante Fabinho defendeu cabeçada de Leandro Damião. Nada de pênalti. Depois quando Bolívar solou Dodô. Jogo perigoso é uma questão de interpretação. Mas, a solada criminosa merecia expulsão.

No segundo tempo, o Inter seguiu comandado por D'Ale e Gilberto. O Bahia arriscava nos chutes de fora. No fim, o camisa 10 colorado por pouco não ampliou.

Vitória colorada para colocar o time perto do G5 novamente. D'Alessandro voltou a mostrar bom futebol. O Bahia jogou como sempre. Esperando um erro do adversário. Não veio. Atuação patética da arbitragem. Nada mais.

- Atlético (PR) 1x0 São Paulo: Furacão faz o dever de casa. O gol de Guerrón aos 10 minutos fez o Atlético controlar o jogo. O São Paulo tentou responder em imediato, mas Renan Rocha trabalhou bem. Guerrón aproveitava bem os espaços pelo lado direito. Rogério Ceni teve trabalho.

O Atlético seguiu melhor no segundo tempo. Rogério Ceni continuou aparecendo bem e segurando o time paranaense. O São Paulo chegou poucas vezes. Quando conseguiu, Renan Rocha parou o ataque tricolor.

Atlético cumpre o papel para quem quer escapar da degola. Vencer em casa é fundamental. O time encontrou o ritmo junto com sua torcida. Agora, é entrar na reta final. O São Paulo, apático, ainda não conseguiu se acertar. Pode até brigar pelo G5. Mas, falta bola.

Brasileirão - 35ª rodada - Jogos da Quarta (1ª parte)

- Fluminense 5x4 Grêmio: Um super-jogo precisava de um herói. O duelo dos tricolores é mais uma das partidas que vão entrar para história dos Brasileirões. E quem agradece é o torcedor.

O Fluminense começou no ataque. Deu espaços para o Grêmio subir. Cavalieri "catou borboleta" e Rafael Marques abriu o placar para os gaúchos.

Em busca do empate, o tricolor carioca dominou e foi para cima. Conseguiu o empate com Fred, após cobrança de falta de Marquinho: 1 a 1. O Grêmio passou a aproveitar mais uma vez os espaços. E conseguiu o segundo gol no fim do primeiro tempo. Marquinhos, em falta bem cobrada: 2 a 1 Grêmio.

Veio a segunda etapa. O Grêmio começou melhor. Mas a dupla Deco e Fred apareceu. O meia deu um belo lançamento para o camisa 9 - impedido - marcar o gol de empate: 2 a 2. O domínio carioca seguiu. E Rafael Sóbis acertou um balaço de fora, para virar o placar: 3 a 2. Porém, a máxima seguiu. Fluminense novamente deu espaços e o Grêmio aproveitou. Fez um gol atrás do outro. Primeiro Brandão recebeu cruzamento de Lúcio e empatou novamente a partida. Um minuto depois e Adílson acertou um belo chute: 4 a 3 para os gremistas.

Placar definido? Não. E Fred respondeu na mesma moeda. Logo na sequência, pênalti para Fred bater e fazer: 4 a 4. Mais dois minutos e o camisa 9 do Flu aproveitou bate-rebate e, de virada, virou pela última vez o placar: 5 a 4 Fluminense, quatro vezes Fred.

O Grêmio teve Brandão expulso. E mandou uma bola no travessão no fim, com Douglas. E Fred respondeu na mesma moeda.

Nove gols, quatro bolas na trave. Quatro vezes Fred. No fim das contas, o imortal tricolor foi o Fluminense. Uma partida que lembrou os velhos tempos. Dois times que não se preocuparam - ou não conseguiram - defender. O Grêmio foi guerreiro, mas o Fluminense tinha Fred em dia único. Fez quatro gols e comandou o tricolor carioca. Se a vitória é daquelas que colocam o time rumo ao título, eu não sei. Mas que é digno de quem briga pela taça, isso é.

- América (MG) 2x1 Botafogo: Coelho sobe, Fogão desce. Cada time seguiu na sua fase. O América foi melhor no começo. Teve duas boas oportunidades. No contra-ataque, o Botafogo também pode abrir o placar, ambas com Elkeson. Aí o Coelho resolveu matar o jogo. Na saída errada da defesa botafoguense, bola roubada e Fábio Júnior recebeu na cara de Jefferson, que fez pênalti. Yes, we Kempes fez. Não demorou e a zaga do alvinegro carioca deu mais um vacilo. Kempes deu para Fábio Júnior ampliar: 2 a 0. Se não fosse Jefferson, cabia mais.

Caio Júnior mudou o time, mas a equipe demorou para reagir no segundo tempo. O gol de Loco Abreu deu esperanças. A expulsão de Gilson também. O Botafogo melhorou e poderia sair com o empate, mas o trio de arbitragem anulou gol legal do alvinegro, marcado por Herrera. Nem precisa de replay para ver que Herrera estava em posição legal. O Botafogo pressionou até o fim, explorando as bolas cruzadas na área. O América apenas segurou.

Vitória e esperança para o América, apesar da situação complicada. Derrota, queda de Caio Júnior e o Botafogo precisa arrumar a casa após cinco derrotas em seis jogos. A Libertadores segue uma realidade. Mas é preciso acordar logo.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Seleção PB - 34ª rodada

Fábio (Cruzeiro); Cicinho (Palmeiras), Dedé (Vasco), Bruno Aguiar (Santos) e Eusébio (Ceará); Felipe Bastos (Vasco), Paulinho (Corinthians), Tinga (Internacional) e Wellington Nem (Figueirense); Julio César (Figueirense) e Luís Fabiano (São Paulo). Técnico: Jorginho (Figueirense).

Melhor da rodada: Dedé (Vasco).

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Brasileirão - 34ª rodada - Jogos do Domingo (3ª parte)

- Vasco 2x0 Botafogo: E o novo mito vascaíno decidiu novamente. Mesmo com três volantes, o Vasco demorou para conseguir segurar as descidas do Botafogo. Apostou no contra-ataque. E deu resultado. Jogada pela direita e a bola sobrou do outro lado com Fellipe Bastos, que abriu o placar - Diego Souza, ao meu ver, participa da jogada em impedimento.

O Vasco atropelava no contra-ataque. Diego Souza teve duas boas chances de ampliar. Na melhor delas, o próprio Diego Souza aproveitou lambança de Antônio Carlos com Jefferson e foi derrubado na área. Ele mesmo cobrou, mal, o pênalti e Jefferson defendeu.

O mesmo retrato seguiu na segunda etapa. Éder Luís explorava as costas de Cortês. O Vasco abusava de perder gols. Jefferson fez uma das mais belas defesas deste Brasileirão. Caio Júnior mudou o Botafogo, mas o time não se encontrava.

Aí apareceu Dedé. Roubu a bola no meio, armou e foi para a área completar de cabeça: 2 a 0. Após a expulsão de Rômulo, o Botafogo até esboçou uma melhora. Mas não teve forças.

Vitória que mostra: Vasco vai até o fim pelo título. Ao mesmo tempo que aparenta um Botafogo apenas na briga por Libertadores. O Vasco cresce. O Botafogo parou. O esquema adotado por Cristovão matou o Glorioso. E o contra-ataque foi mortal. Some isso a Dedé, zagueiro que entrará, sem dúvidas, para a história.

- Cruzeiro 1x0 Internacional: Na raça. Foi assim a vitória do Cruzeiro. O Inter teve duas chances de abrir o placar no começo. Não fez e levou o gol. Cruzamento de Wellington Paulista e Farías abre o placar para a Raposa. Mesmo após o gol, o Colorado era melhor. Chegava com boa troca de passes ao ataque, quase sempre pelo lado esquerdo e pelos pés de Tinga. Perdeu boas oportunidades de empatar. O Cruzeiro até chegava, mas o Inter era muito melhor. Porém, nada de gol. Parou em Fábio e nos chutes para fora.

Segundo tempo e o mesmo ritmo. Inter melhor, Fábio trabalhando bem. A expulsão de Elton atrapalhou o Colorado, mas o time gaúcho teve novas chances de empatar. Na melhor delas, Nei mandou no travessão em mais uma jogada de Tinga. Com um a mais, a Raposa equilibrou o jogo e desperdiçou as oportunidades de ampliar.

Resultado justo? Não. O Inter foi muito melhor. Perdeu um caminhão de gols. Poderia golear. Parou em uma das poucas jogadas de ataque do Cruzeiro. Um time que tinha Leandro Guerreiro com a 10. Mas que ganhou na raça. Ainda corre sérios riscos. Mas entendeu que, se falta bola, raça e sorte não pode faltar.

- Atlético (GO) 0x1 Bahia: O gol de Souza no começo, após vacilo gigante da defesa do Atlético, fez o Bahia respirar cada vez mais longe da degola. O jogo foi fraco. Poucas oportunidades, com o Bahia mais ligado e um pouco melhor no primeiro tempo. Após a expulsão de Gílson, do rubro-negro, e Souza, do tricolor, o Atlético acordou.

O Dragão voltou com tudo na segunda etapa. Teve várias chaces de empatar o jogo. Parou em Marcelo Lomba. O Bahia apenas segurou e buscou o contra-ataque.

Bahia vence mais uma e respira. Joel Santana achou a fórmula. O tricolor ganhou um gol. E venceu. O Atlético corre pouco risco, mas precisa acordar. Caiu demais nos últimos jogos.

Brasileirão - 34ª rodada - Jogos do Domingo (2ª parte)

- Ceará 2x3 Santos: Santos derruba o Vozão. Mesmo com o time misto, o Peixe começou melhor e abriu o placar, com Bruno Aguiar. A partir do gol, o Ceará dominou. Foi ao ataque e conseguiu o empate, com Felipe Azevedo, de pênalti. A pressão seguiu e veio a virada. Mais uma jogada de Euzébio e Osvaldo marcou: 2 a 1. E poderia ser mais.

Mas o Santos acordou no segundo tempo. Empatou em mais um gol de Bruno Aguiar. Criou chances para virar. O Ceará não diminuiu e também deu trabalho para Aranha. E o goleiro acabou como heroi. Ele pegou o pênalti cobrado por Nicácio. No contra-ataque, a bola sobrou para Diogo acertar belo chute e virar mais uma vez o placar: 3 a 2. No fim, Aranha salvou mais uma vez e garantiu o resultado.

Mesmo sem pretensões, o Santos embala. E afunda o Ceará. O Vozão se complica e volta ao Z4.

- Grêmio 2x2 Palmeiras: Mais uma vitória que escapa do Palmeiras. E parecia um novo Palmeiras. O jogo não era bom, mas o alviverde era melhor. E quando o Grêmio chegou, o Verdão abriu o placar. Cicinho começou a jogada e aproveitou o rebote de Victor (fez um milagre na cabeçada de Ricardo Bueno): 1 a 0. E poderia ter ampliado ainda no primeiro tempo.

O Palmeiras seguiu melhor na segunda etapa. Usando bem as laterais, chegava com perigo no ataque. E, na volta de Marcos Assunção, retornou a velha arma: bola parada. Assim veio o segundo gol. Assunção, falta, gol: 2 a 0.

O Grêmio não se entregou. O gol não demorou para sair. Boa jogada de Leandro e Brandão diminuiu. Mas o tricolor não dava sinais que conseguiria o empate. Isso até os 45 minutos. A bola sobrou para Fernando, que acertou um chute perfeito: 2 a 2.

Mais uma vez o Palmeiras perde pontos praticamente garantidos. Mais dois pontos que escorrem pelos dedos. O time fez uma boa partida. A melhor depois de muitos jogos. A volta de Marcos Assunção é parte disso. Mas, quando a fase não é boa. O Grêmio pouco fez. Sem criação, assustou pouco. Teve espaço em duas jogadas. Uma diminuiu, e outra empatou. Resultado: alviverde ainda com medo de cair; tricolor é o único de "férias".

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Brasileirão - 34ª rodada - Jogos do Domingo (1ª parte)

- Corinthians 2x1 Atlético (PR): Um começo arrasador e o Corinthians segue líder. Cinco minutos que não deixaram o Atlético respirar. Dois minutos e Paulinho abriu o placar. Mais dois e Émerson ampliou. O domínio corintiano seguiu por todo o primeiro tempo. Melhor em campo, criou boas chances de ampliar. A pressão veio de todos os lados - bola aérea, chute de longe, de perto.

A mudança feita por Antônio Lopes, colocando Nieto, alterou o jogo. Paulo Baier diminuiu logo na volta do intervalo. O Atlético comandava as ações. Nieto por pouco não empatou, em balaço de fora que explodiu no travessão. O Corinthians conseguiu equilibrar, mas o Furacão ficou perto do empate. Restou ao Timão segurar e garantir a vitória.

Liderança mantida. O Corinthians teve um ótimo primeiro tempo. E precisou segurar o Atlético, que voltou como um furacão no segundo tempo. Contou com a sorte e soube segurar o resultado. Líder e jogando bem. Mas dando espaços e pecando na marcação. O Atlético ainda pode escapar. E melhorou muito para conseguir isso.

- Coritiba 2x0 Flamengo: Coxa segura o Flamengo e volta a sonhar com Libertadores. O Coritiba começou bem, viu o rubro-negro assustar, mas soube se impor em casa. Foram várias oportunidades de abrir o placar. Lembrou mais uma vez o Coxa do primeiro semestre: ofensivo e de futebol envolvente. O primeiro gol foi questão de tempo. Leonardo aproveitou escanteio e fez 1 a 0. A marcação do Flamengo era inexistente. A armação também. E o Coritiba ampliou: Maranhão roubou bola de Ronaldinho, avançou, chutou e contou com desvio para bola encobrir Felipe: 2 a 0.

O árbitro errou ao não dar pênalti de Émerson em Ronaldinho. Fato que poderia mudar o jogo ainda no primeiro tempo. O Flamengo equilibrou a partida após o intervalo e passou a levar perigo. Mas o Coxa não diminuiu o ritmo e conseguiu controlar o jogo. Teve chances de ampliar.

Um boa vitória do Coritiba, que voltou a ser o bom time do primeiro semestre. Três vitórias seguidas e chegou mais perto do G5. Não deve pegar uma vaga na Libertadores, mas vai tentar. Como quem está acima acostumou a tropeçar, não é demais sonhar. O Flamengo perdeu, mas não é o fim do mundo. Mas é praticamente o fim do sonho do título.

Brasileirão - 34ª rodada - Jogos do Sábado

- Fluminense 1x2 América (MG): Coelho travesso apronta mais uma. O Fluminense percebeu desde o começo que a vida não seria fácil. O América foi melhor em todo o primeiro tempo. O time mineiro pressionou, Marquinho e Cavalieri salvaram. O goleiro pegou ainda um pênalti de Fábio Júnior. Mas o Coelho seguiu melhor. O atacante perdeu outra bela chance. Mas o sufoco mineiro acabou em gol. Kempes recebeu na área e não perdoou.

O Fluminense não acordou no segundo tempo. O América seguiu melhor. Ficou atrás e aproveitou os vários erros do tricolor para chegar no contra-ataque. Em um deles, Alessandro ficou na cara de Cavalieri e ampliou. Logo depois, Rafael Moura, na raça, diminuiu. O Flu ainda teve uma boa chance de empatar com Fred. O abafa no fim não deu resultado.

O América continua em situação complicada, mas bem menos que antes. Se cair, fez o possível para não acontecer e não se entregou. Se escapar da degola, Givanildo Oliveira será presidente com uma estátua no clube. O time poderia golear o Fluminense. Tricolor apático, sem criatividade. Igual aos tempos quando Abel chegou. Lanzini mal. Apenas um bom reserva.O Flu precisa fazer seu papel em casa. Se não, até a Libertadores escapa.

- Figueirense 2x1 Atlético (MG): Figueira cada vez mais lá em cima. Vitória daquelas que embalam ainda mais o time. Jogo equilibrado no começo, com o Galo um pouco melhor. As primeiras boas chances foram do Atlético. O Figueirense até chegou a equilibrar, mas o time mineiro abriu o placar. Werley aproveitou a cobrança de escanteio e fez 1 a 0 para o Atlético.

O Figueirense foi para cima após o gol. Teve duas chances ainda no 1º tempo, com sua dupla Wellington Nem e Júlio César. A mesma postura seguiu após o intervalo. Sempre chegando pelos pés da sua dupla dinâmica e utilizando muito bem o lado direito de ataque.

Com o domínio, o empate veio rapidamente. Wellington Nem arriscou de fora, a bola pingou na frente do goleiro Renan Ribeiro, que aceitou: 1 a 1. O Atlético até tentou ir ao ataque, mas o time carinense era melhor. Boas trocas de passe no ataque, chutes perigosos e boas oportunidades desperdiçadas. Mas a pressão só voltou a dar resultado no fim.

E quer melhor forma de virada? Eram 42 minutos. Grande jogada de Bruno (mais uma) pela direita e a bola sobrou nos pés de Julio César, livre, mandar para o gol: 2 a 1. Explosão da torcida e do time.

Justiça feita, o Figueirense foi melhor que o Atlético. Buscou o ataque. E volto as repetições. Ganhar do Figueira no Scarpelli não é fácil. Um time muito bem organizado por Jorginho. Grande atuação de Bruno pela direita. Mais uma participação decisiva da dupla Wellington Nem e Julio César. O Figueirense chegou, tomou seu lugar no G5 e pode sim sonhar com Libertadores. Realidade muito perto de acontecer após um segundo turno perfeito e uma série de 13 jogos sem perder.

O Atlético segue respirando bem fora da degola. Mas não pode vacilar. Porém, é um time acertado. Não cai.

- São Paulo 2x0 Avaí: Jogo fraco e vitória tricolor graças a estrela de Luís Fabiano. O Avaí foi um pouco mais perigo no primeiro tempo. Aliás, teve uma rara oportunidade de abrir o placar, defendida por Rogério Ceni. O São Paulo apostou nas bolas aérea e nos chutes de longe. Ambos sem nenhum resultado.

O tricolor voltou melhor no segundo tempo. Na primeira boa jogada, Luis Fabiano ficou com a sobra em jogada de Lucas e abriu o placar. Não demorou e Fabuloso ampliou, aproveitando mais uma sobra, desta vez livre na cara do goleiro. O Avaí ainda mandou uma bola no travessão e deu trabalho para Rogerio Ceni, mas não conseguiu reagir. O São Paulo ainda criou chances para ampliar.

São Paulo vence mas não convence. Time ainda peca na criação e na finalização. O Avaí não teve força e ousadia para vencer. Com isso, Luís Fabiano aproveitou duas sobras para matar o jogo. A Libertadores ainda está perto do Tricolor. O bom futebol, não. E o Avaí, na gangorra de boas e más atuações, dificilmente escapa da degola.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Brasileirão - Pitacos 34ª rodada

Vamos para os pitacos de mais uma rodada. Seguimos a contagem regressiva. Faltam apenas cinco rodadas. A mesma história: todo jogo é decisivo, tal time pode voltar a pensar em título, o outro pode sonhar com Libertadores. Uns vão respirar, outros vão dormir na degola. Então, vamos aos jogos:

- Fluminense x América (MG): Tricolor embalado. Coelho também. Sabe aqueles jogos ganhos antes de começar, que o favorito acaba não ganhando? Então. Não deve ser esse. Por mais que o Flu goste de tropeçar em pequenos. Por mais que o América tem jogado bem e vendido caro seus jogos. O time carioca deve seguir seu caminho em busca do título.

Palpite: Fluminense

- São Paulo x Avaí: Cartada decisiva para ambos os times. São Paulo precisa voltar a ganhar se quiser pensar em Libertadores. Avaí necessita dos três pontos para sonhar em sair da degola. Dois times irregulares, que as coisas não andam dando certo.

Palpite: Empate

- Figueirense x Atlético (MG): Expectativa de um jogão. Os dois estão jogando muito bem, crescendo na competição e chegando mais longe do que se esperava alguma rodadas atrás. O Figueira, como sempre tenho colocado, é o chato da competição. Embalado pela dupla Wellington Nem e Júlio César, pode fazer valer o fator casa mais uma vez. O Galo finalmente virou um time, compacto e decisivo. Pode surpreender novamente.

Palpite: Figueirense

- Corinthians x Atlético (PR): Para levantar do tropeço na última rodada. Esse é o objetivo deste confronto para o Corinthians. Sem Alex, o time perde muito seu poder de criação e, por consequência, o poder ofensivo. Adriano fica no banco. O Furacão até tem melhorado, mas não parece capaz de segurar o Timão.

Palpite: Corinthians

- Coritiba x Flamengo: Matematicamente, ainda dá para sonhar com Libertadores. Assim, o Coxa vai buscar manter a boa fase em casa para segurar o Flamengo. O poder ofensivo voltou, principalmente com Davi. O rubro-negro vem embalado, mas não tem apresentado grande força fora-de-casa. Mas sempre é o Flamengo.

Palpite: Coritiba

- Ceará x Santos: Vozão ainda correndo da degola. Vitória contra o Avaí deu um ar. Mas o time sabe que é fraco. Pega um Santos embalando para o Mundial.

Palpite: Santos

- Grêmio x Palmeiras: Enquanto negociam Kléber, tudo promete um jogo sem grande graça. Grêmio já não tem muito o que fazer. Palmeiras precisa fugir da degola. Futebol tem faltado ao alviverde. Resta saber se o tricolor será o mesmo do jogo contra o Fla. E se o Verdão jogará como no primeiro turno pelo menos.

Palpite: Empate

- Vasco x Botafogo: Candidato ao jogo da rodada. Não bastava o clássico, some a posição dos times, a briga pelo título e o momento de ambos. Vasco empolgado - e não poderia ser diferente - com a classificação na Sulamericana. Botafogo começa a tropeçar quando não pode. Mas tem Loco Abreu, que adora aprontar em jogos assim.

Palpite: Botafogo

- Cruzeiro x Internacional: Raposa juntando os cacos. Time em fase horrível. Não aparenta forças. E o rebaixamento pode ficar ainda mais cravado em caso de derrota. O Colorado tem jogado bem fora. Mas é irregular.

Palpite: Empate

- Atlético (GO) x Bahia: Os dois times podem descartar qualquer chance de rebaixamento. Dragão perdeu aquela força de antes. O Bahia vai jogando no estilo Joel.

Palpite: Empate

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Seleção PB - 33ª rodada

Fernando Henrique (Ceará); Léo Moura (Flamengo), Réver (Atlético/MG), Edson Silva (Figueirense) e Juninho (Figueirense); Amaral (América/MG), Muralha (Flamengo), Deco (Fluminense) e Thiago Neves (Flamengo); Neymar (Santos) e Souza (Bahia). Técnico: Vanderlei Luxemburgo (Flamengo).

Melhor da rodada: Thiago Neves (Flamengo).

Os goleiros não tiveram grande destaque nesta rodada. Fernando Henrique fez grandes defesas no fim e garantiu a vitória do Ceará. Léo Moura fez bem seu papel na direita. A zaga é segura, com Réver, que parou o Grêmio, e Edson Silva, que não deu espaços para Loco Abreu. Na esquerda, Juninho, que preocupou desde antes do jogo e mostrou porque em campo. Amaral fechou o meio-campo e ainda marcou o gol da vitória americana. Muralha entrou para o Flamengo golear, com duas assistências e uma grande atuação. Deco, cerebral e genial. Thiago Neves fez três, fez chover e "só" por isso é o melhor da rodada. Neymar fez um carnaval na defesa vascaína. Souza, quem diria, aprontou e comandou a virada do Bahia. Com mudanças corretas e certeiras, Luxa é o "profexor".

Reservas: Thiago Carleto (América/MG) - não deixou o Corinthians jogar do lado direito do ataque, e ainda aproveitou bem os espaços; Deivid (Flamengo) - pode não jogar bem, mas faz gol; Nieto (Atlético/PR) - mais uma vez decisivo de cabeça para o Furacão; Joel Santana (Bahia) - mudou e calou as vaias da torcida com a virada; Abel Braga (Fluminense) - ganhar no Beira-Rio ele mostrou que sabe bem.

Brasileirão - 33ª rodada - Jogos do Domingo (3ª parte)

- Internacional 1x2 Fluminense: Grande jogo no Beira-Rio e o velho ídolo resolveu. O Inter comandou os primeiros dez minutos. Mas aquela máxima de "quem não faz, toma" aconteceu. Oscar perdeu gol feito. Não demorou e Deco colocou a bola na cabeça de Rafael Moura para o Fluminense abrir o placar.

O Colorado seguiu apertando. E o domínio levou ao empate. Damião fez o cruzamento da direita e Oscar, livre, desta vez não perdoou: 1 a 1. Mas o Fluminense estava mortal. Mais um passe incrível de Deco e Rafael Sóbis chutou cruzado para colocar o Flu na frente.

O Inter seguiu com maior iniciativa no segundo tempo. Mas, bem armado, o Fluminense conseguiu segurar o time gaúcho. A expulsão de Juan travou de vez o colorado. E o tricolor por pouco não ampliou no fim, em contra-ataque salvou por Muriel.

Muita gente duvidava do Fluminense na briga pelo título - até este blogueiro. Mas, não tem como dizer algo diferente. O tricolor chegou. Vence jogos complicados e decisivos. Rafael Sóbis e Deco tem papel fundamental nesse bom momento. O Inter chegaria. Porém, perdeu vários pontos em casa. Isso é crucial para quem sonha com título.

- Palmeiras 0x2 Coritiba: Coritiba superior e vitória tranquila. A volta de Marcos Assunção parecia que traria um novo ar ao Palmeiras. Leve engano. O Coxa aos poucos dominou o jogo. Everton Costa aproveitou o vacilo de Henrique, passou por Deola e Davi aproveitou: 1 a 0 Coritiba. A zaga palmeirense continuou sofrendo para parar o ataque do Coritiba.

Nem a velha arma da bola parada funcionou para o Palmeiras. Luan era o que mais levava perigo, mas quando tentou, parou em Vanderlei. Ricardo Bueno teve a chance de empatar. Mas era o Ricardo Bueno... O Coritiba matou o jogo aos 11 minutos. Marcos Aurélio deu um passe de coxa e Leonardo, livre, ampliou. O Palmeiras até teve chances. Mas a zaga vacilava e o Coritiba poderia golear. João Vitor foi expulso. E o ataque não funciona.

O Coritiba finalmente conseguiu jogar bem fora de casa. Um pouco tarde aliás. Davi faz diferença. O Palmeiras? É um time em queda-livre, se esforçando para disputar o bi da Série B em 2012, com uma defesa perdida, sem armadores e um ataque que é uma tragédia. Não cai porque começou bem. E empatou bastante.

- Atlético (PR) 2x1 Atlético (GO): Bendito Nieto. O Furacão precisava vencer de qualquer forma. Venceu. Sem Paulo Baier, Marcinho tentou comandar o time. Porém, o time goiano era melhor no primeiro tempo. Chegava com maior perigo e mais facilidade ao ataque, usando bem os lados.

E assim chegou ao gol. Thiago Feltri apareceu pela esquerda e cruzou para Anselmo abrir o placar para o Dragão. O time paranaense tentva chegar, mas não se encontrava no primeiro tempo. O Atlético (GO) continuou melhor e assustando.

O segundo tempo foi outro jogo. Logo no começo, Nieto aproveitou o cruzamento e fez o gol de empate, de cabeça. O Furacão voltou arrasador. Márcio salvou a virada uma vez. Mas não conseguiu segurar Nieto. Mais um cruzamento, agora da direita e o argentino fez o segundo.

O time goiano chegou a mandar uma bola no travessão. Nieto quase fez seu hat-trick. Mas o placar ficou mesmo na vitória da equipe paranaense.

O fator casa é o que pode salvar o Atlético (PR). Tem cumprido bem esse papel. Mesmo sem Paulo Baier, contou com Nieto inspirado. Antônio Lopes quase jogou isso fora, arriscando com Fransérgio no ataque. Arrumou e ganhou. O time goiano utilizou bem os laterais, mas não aguentou a pressão na segunda etapa.

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Brasileirão - 33ª rodada - Jogos do Domingo (2ª parte)

- Flamengo 5x1 Cruzeiro: Jogo era do Cruzeiro. Virou um show do Flamengo. Apesar das dificuldades na criação, o rubro-negro começou arriscando mais, principalmente em chutes de fora. O Cruzeiro chegou e abriu o placar. Farías desvio cobrança de escanteio e Anselmo Ramón, livre, mandou para as redes: 1 a 0.

A Raposa teve duas grandes chances para ampliar e quem sabe matar o jogo. Farías mandou uma bola no travessão. Foi ali também onde a bola parou no pênalti cobrado por Victorino. Eram 30 minutos.

O jogo mudou ali. O Flamengo foi para cima, empurrado pela torcida. Não demorou e Deivid acertou um chutaço de fora, a bola bateu no travessão, nas costas de Fábio e entrou. Tudo igual, mas com um rubro-negro embalado.

Luxemburgo colocou Muralha no lugar de Maldonado. Intenção de melhora saída de jogo. Deu certo. O Flamengo teve 12 minutos arrasadores na volta do intervalo. Deivid virou o placar aos três, em bela cobrança de escanteio de Ronaldinho. Aos oito, Thiago Neves apareceu. Fez o terceiro gol, após receber bom passe de Muralha. E aos 12, a dupla apareceu novamente. Muralha foi ao fundo, cruzou e Thiago Neves tocou de cabeça para o gol aberto: 4 a 1.

Sem Montillo, que saiu machucado no começo do segundo tempo, o Cruzeiro não apresentava forças. Situação agravada após o goleiro Fábio dar uma "assistência" para Thiago Neves, que encobriu o camisa um e fez 5 a 1. Pior ainda com a expulsão de Anselmo Ramón, em agressão a Fierro.

Estádio lotado, virada, goleada. Elementos que pode gerar uma arrancada final em busca do título. Grande jogo de Thiago Neves e Muralha. O Flamengo aproveitou a sorte, quando o Cruzeiro não ampliou o placar, e atropelou. Luxemburgo mudou bem o time. Vitória justa. O Cruzeiro assinou o atestado de rebaixamento. Defesa péssima, meio-campo perdido e um ataque pífio. Ainda dá tempo de não cair. Só o time não se entregar - se é que não se entregou.

- Avaí 1x2 Ceará: Na luta contra o rebaixamento, grande vitória do Ceará. O Vozão mostrou desde o começo que estava disposto a complicar a vida dos catarinenses. O time cearense abriu o placar com Thiago Humberto, em contra-ataque. O meia recebeu com liberdade na área e fe 1 a 0. Com o Ceará encolhido, o Avaí foi para o abafa em busca do empate.

Pressão que seguiu no segundo tempo. Fernando Henrique começou a trabalhar mais - e bem. Foram boas oportunidades perdidas pelo Avaí. O Ceará seguiu apostando no contra-ataque. Assim chegou ao segundo gol. Felipe Azevedo aproveitou cruzamento da direita e livre ampliou. O Avaí diminuiu logo depois com William e seguiu vivo na partida. O time catarinense perdeu novas chances. No final, Fernando Henrique fez duas grandes defesas e salvou a vitória cearense.

O jogo era sim uma decisão. O Ceará venceu e respira fora da degola. O Avaí perde mais uma em casa e vê a situação complicada, já que quase todos que brigam contra o rebaixamento venceram na rodada - menos o Cruzeiro. Dilmas Figueiras arrumou o Vozão e conseguiu a vitória. Irá salvar o time novamente?

domingo, 6 de novembro de 2011

Brasileirão - 33ª rodada - Jogos do Domingo (1ª parte)

- América (MG) 2x1 Corinthians: O líder tropeçou no lanterna. O Corinthians começou controlando o jogo. O América não se organizava em campo. Porém, a saída de Alex mudou o jeito de jogar do alvinegro. O Coelho começou a arriscar mais. E veio o pênalti de Alessandro em Kempes. Mandrake? Fábio Júnior cobrou e fez 1 a 0. O Corinthians tinha dificuldades para chegar ao ataque. Dependia da vontade de Émerson. O empate veio quando Sheik sofreu pênalti de Amaral. Chicão fez e deixou tudo igual.

Segundo tempo de pouco futebol. O América explorou a lentidão da defesa corintiana e por pouco não ampliou. O Corinthians só chegou em bola parada. No fim, o lance que matou o jogo. Falta de Chicão em Carleto. Amaral cobrou e mandou no canto de Julio César: América 2 a 1.

Faz algumas rodadas que lembro: o América é lanterna, mas vendeu caro os últimos resultados. Não foi diferente neste jogo. Aproveitou a apatia e lentidão corintiana e conseguiu três pontos fundamentais para não cair. Situação ainda complicada. Mas o time ainda respira e acredita. Corinthians percebeu duas coisas. Alessandro e Chicão estão lentos e muito mal. Alex é meio time no esquema armado por Tite. Não perdeu a liderança. Mas os pontos perdidos hoje podem fazer muita diferença.

- Santos 2x0 Vasco: Santos embalado parou o líder Vasco. Grande atuação de Neymar. Abriu o placar logo aos três minutos, em cobrança de falta - contou com desvio de Renato Silva. O Vasco foi para cima e ficou perto do empate. Perdeu duas boas chances e teve um gol anulado, todas em cruzamentos para área. O Santos criou pouco, mas também teve chances de ampliar.

O segundo tempo foi de Neymar e Ganso. Várias oportunidades de ampliar com grandes passes e habilidade da dupla. O Vasco quase não chegava ao ataque. E o segundo gol santista saiu. Passe de Neymar e um balaço de Borges, de fora: 2 a 0. Podemos dizer que o Santos ficou mais perto do terceiro que o Vasco de diminuir.

Santos cada vez mais embalado para o Mundial. Ganso voltou bem. Neymar jogando muito novamente. Muricy encontrou seu esquema. Cresce na hora certa. O Vasco reduziu o ritmo nos últimos dois jogos. Felipe fez falta ao time, assim como Rômulo. Porém, segue na briga. Só precisa retomar o foco.

Brasileirão - 33ª rodada - Jogos do Sábado

- Botafogo 0x1 Figueirense: Rumo à Libertadores? O Figueirense venceu e chegou ao G5. O belo chute de Julio César logo no começo quebrou qualquer esquema montado por Caio Júnior. Tentou parar o time catarinense pela esquerda, só que o gol veio da direita. Jefferson não teve chance.

Após o gol, o Botafogo tentou fazer seu jogo. Pressionou, parou em Wilson e na própria afobação. Enquanto isso, o Figueirense ganhava espaço para contra-atacar. Julio César por pouco não ampliou.

O ritmo botafoguense diminuiu no segundo tempo. Herrera entrou, mas não deu mais poder ofensivo ao time. O Figueirense começou melhor e ficou muito perto do segundo gol, usando muito bem o lado direito. Nos últimos dez minutos, o Botafogo foi novamente para o abafa. perdeu outras boas oportunidades, sempre nas bolas jogadas para a área. Não deu.

O Figueirense é chato, surpreendente e bem armado. Qualidades que são lembradas diretamente. Jorginho faz um trabalho excelente. Coloca o Figueirense no G5, e vai brigar muito para ficar ali. Cresceu ainda mais na reta final. Sabe a hora certa de matar o jogo, conta com Julio César e Wellington Nem em grande fase e explora bem o contra-ataque. O Botafogo perdeu. Caio Júnior tentou inovar, parar o lado mais perigoso do Figueira, mas o gol no começo matou isso. Pior, afobou a equipe e a torcida. Porém, nada está perdido e o time, com mais uma vitória, tudo volta ao normal. Torcedor exagera muitas vezes. Mas é incrível como os times de Caio Júnior quebram no final.

- Bahia 4x3 São Paulo: Jogão em Pituaçu e o Bahia respira. Dois times buscando o ataque. O tricolor baiano teve a primeira boa chance. O São Paulo dominou após isso e fez o primeiro gol. Um golaço. Wellington chapelou dois de uma vez e bateu antes da bola cair: 1 a 0. Lucas estava inspirado e conduzia bem o São Paulo. Marcelo Lomba fez belas defesas e impediu o time paulista de ampliar no primeiro tempo.

O segundo tempo começou arrasador. Logo no primeiro minuto, Souza cortou a marcação e empatou o jogo. Logo na sequência, Lucas mandou um chutaço e marcou um lindo gol: 2 a 1 São Paulo. Não demorou e Cícero fez o terceiro. O jogo parecia liquidado. O São Paulo poderia ter feito o quarto - Marcelo Lomba salvou mais uma vez.

Porém, após isso, só deu Bahia. As mudanças feitas por Joel finalmente deram resultado. Nikão fez jogada pela esquerda e Lulinha diminuiu: 3 a 2. Jogada feita por dois que entraram no segundo tempo. O empate veio pouco depois. Escanteio cobrado e Fahel desviou para o gol.

O empate veio quando o Bahia dominava. Com isso, saiu a virada. Mais uma jogada das alterações de Joel. Junior achou Nikão na esquerda, que cruzou rasteiro e Luiz Eduardo marcou contra: Bahia 4 a 3.

Virada incrível do Bahia com a cara de Joel Santana. Tricolor esperou o São Paulo, que dominou primeiro tempo e parte do segundo. Abriu 3 a 1. Joel e o time eram vaiados. Mas as alterações do técnico deram resultado. Virada que faz o Bahia ficar longe da degola. E o São Paulo longe da Libertadores. Time não consegue se impor quando começa a ser dominado. Marcação em queda também.

- Atlético (MG) 2x0 Grêmio: Galo cada vez mais longe da degola. O Atlético teve maior posse de bola no primeiro tempo. O jogo foi equilibrado. As oportunidades de gol foram poucas para os dois times. O alvinegro um pouco mais perigoso. E antes do intervalo, saiu o gol. Chute de fora de Fillipe Soutto e André aproveitou o rebote: 1 a 0.

A expulsão de Neto Berola no começo do segundo tempo parecia complicar a vida do Atlético. Daniel Carvalho ainda mandou no travessão em falta. O Grêmio demorou para chegar, mesmo com um homem a mais. Arriscou em chutes de fora, chegando a acertar a trave com Mario Fernandes. Porém, quando o tricolor era melhor, veio o segundo gol atleticano. Marquinhos Cambalhota, que acabara de entrar, dominou uma bola chutada para o ataque e arriscou de fora: 2 a 0. O Grêmio ainda ficou perto de diminuir no fim. Mas a vitória do Galo já estava assegurada.

Atlético abre vantagem para a degola e já está na Sulamericana. Como disse antes, Cuca conseguiu fazer do Galo um time. Nem mesmo a expulsão de Neto Berola quebrou a equipe. O alvinegro sobe no momento certo. Cravo aqui: não cai. O Grêmio segue na inconstância. Mesmo com um a mais durante o segundo tempo, não conseguiu pressionar. Quando começou a fazer isso, descuidou na defesa e tomou o segundo gol. Já pode pensar em 2012.